Eliminatórias 2014: Visitantes não conseguem vencer

logo-copa-2014

 vote no Plano Tático no concurso TOP Blogs

Antígua & Barbuda e Guiana fizeram o dever de casa e somaram três pontos. Já Bahrein e São Cristóvão & Névis não conseguiram vencer seus adversários, Catar e Porto Rico, e ficaram no 0×0, largando mal em suas respectivas eliminatórias! Boa leitura!

Bahrein começa mal edição 2014 das eliminatórias

Bahrein x Catar

O Bahrein não conseguiu repetir o resultado conseguido na Fase Final das Eliminatórias Asiáticas para a Copa de 2010. Não ocasião, a equipe havia vencido por 1×0, o que ajudou a equipe a chegar na terceira posição, disputando os playoffs asiáticos diante da Arábia Saudita – conseguiu a classificação para o playoff final –  e perdendo a vaga na Copa do Mundo para a Nova Zelândia. Desta vez, o resultado não saiu do 0×0, frustrando os 6.000 torcedores que esperavam uma vitória no estádio Nacional de Bahrein (35.000 lugares).

O resultado também não agradou os catarianos, que são mais fortes, na estreia do técnico brasileiro Sebastião Lazaroni no comando da equipe (veja matéria de sua contratação, no texto 1). O fato é que as duas equipes, que mereceram balançar as redes, pararam nas boas performances dos goleiros.

O primeiro a chegar foi o Catar. O lateral-esquerdo Ibrahim Majid lançou o atacante uruguaio Andrés Quintana, que já atuou pela seleção sub-23 do Catar. Porém, o passe foi muito alto e a bola sobrou para o brasileiro Fábio Montezine, que não conseguiu pegar em cheio, defesa fácil para o goleiro do Bahrein, Sayed Jaffer.

Em outro lançamento, André Quintana dessa vez conseguiu finalizar, mas a bola passou no canto esquerdo de Jaffer, sem grande perigo. O Bahrein também chegou pelo alto e quase marcou. O meia Abdulla Abdi Omar recebeu lançamento vindo da defesa na frente dos zagueiros. Livre de marcação, ele caminhou com a bola dominada, adentrou a área e chutou.

O goleiro catariano Qasem Burhan saiu muito bem do gol, fechando o ângulo. A bola bateu nele e foi para escanteio. Por pouco o Bahrein não inaugurou o placar! Outro brasileiro convocado para a seleção do Catar, Junior Marcone, ex-Vitória-BA, Vila Nova-GO e Marília-SP, tentou tirar, mas não conseguiu.

No segundo tempo, o Bahrein foi o primeiro a levar perigo. O meia Salman Issa, capitão da equipe, observou Hamad Al Anezi livre dentro da área e cruzou. Ele conseguiu  finalizar, mas a bola foi para fora, levantando a torcida presente, que sentiu o bom momento.

A resposta catariana veio com o brasileiro Fábio Montezine. Ele fez grande jogada individual, se livrando de Salman Issa e Hussain Baba, indo em direção à grande área. Antes de finalizar nas mãos do goleiro Sayed Jaffer, Fábio ainda deixou o terceiro atleta bareinita para trás, Hamad Al Anezi. O Catar começava a tomar a dianteira das ações ofensivas.

Num escanteio, Sayed Jaffer saltou fora da pequena área para impedir a cabeçada de Ibrahim Abdulmajed, mandando para escanteio. Depois, ele espalmou outra cabeçada de um atacante do Catar, gerando outro escanteio aos visitantes. Quintana ganhou do zagueiro no alto, mas errou na mira. Num ataque bastante veloz, o Bahrein perdeu a grande chance de partida. Mahmood Abdulrahman se posicionou muito bem na área, recebeu cruzamento e cabeceou a gol. Porém levou azar, com a bola explodindo no travessão de Qasem Burhan.

Imagem de Amostra do You Tube

Sebastião Lazaroni demonstrou chateação com o empate sem gols, pois planejava começar a campanha no Grupo E com uma vitória. Porém, em entrevista, o atacante Andrés Quintana disse que o objetivo era vencer, mas que considerou o ponto trazido do Bahrein de bom tamanho, diante das circunstâncias da partida.

Amanhã, a tarefa do Catar será bem mais difícil. Os catarianos recebem o Irã, que venceu a Indonésia por 3×0 (veja matéria sobre o jogo – texto 2), esperando vencer para já disparar na liderança. Já o Bahrein vai até a Indonésia também em busca dos três pontos. É bom lembrar que nas eliminatórias para a Copa de 2010, o Bahrein foi mais longe que Irã e Catar e não pode ser considerado galinha morta. Os dois primeiros avançam à Fase Final.

Antígua & Barbuda goleia Curaçao

Antígua & Barbuda x Curaçao

Os donos da casa, apoiados por apenas 2.000 torcedores que compareceram ao estádio Sir. Vivian Richards (10.000 lugares), venceram a sétima partida em eliminatórias. Apesar de os atletas de Curaçao – que substitui Antilhas Holandesas – serem mais experientes, já que atuam, em sua maioria, nas divisões inferiores da Holanda, Antígua & Barbuda, com a base da seleção sendo o Antigua Barracuda, time local que disputa a 3ª Divisão dos Estados Unidos (USL Pro).

O primeiro gol surgiu aos nove minutos e foi de Curaçao, marcado pelo atacante Rihairo Meulens, de 23 anos, do Almere City (2ª Divisão da Holanda). O empate antiguense aconteceu apenas aos 42 minutos, por meio do lateral-esquerdo Marc Joseph. Ainda no primeiro tempo, aos 47 minutos, o jovem meia Quinton Griffith, de apenas 19 anos, virou para os anfitriões.

No começo da etapa final, a virada. Aos sete, Tamarley Thomas abriu vantagem no placar a favor de Antígua & Barbuda, que ficou mais tranquila. Até Richamar Siberie, atacante do modesto Wilhemina Hercules, das divisões inferiores da Holanda, diminuiu para Curaçao, deixando os torcedores apreensivos.

Pelo menos a angústia durou apenas um minuto. O atacante Peter Byers, de 26 anos, do Los Angeles Blues, também da 3ª Divisão estadunidense, fez o quarto, aos 30 minutos. Cinco minutos depois, ele mesmo fechou o placar, marcando o quinto da goleada de 5×2 sobre Curaçao.

Na segunda rodada, amanhã, Antígua & Barbuda visita a seleção mais fraca do Grupo F, Ilhas Virgens Estadunidenses, que perderam de 6×0 para o Haiti na rodada inaugural (veja detalhes do jogo – texto 2). Já Curaçao receberá o Haiti, em Willemstad, capital do país, no mesmo dia. Os haitianos são os favoritos para ficar com a única vaga à 3ª Fase.

São Cristóvão & Névis para em Porto Rico

São Cristóvão e Névis x Porto Rico

Uma partida que não tinha favorito. Num cenário como este, a força da torcida poderia fazer a diferença a favor de São Cristóvão & Névis. Cerca de 3.500 torcedores acompanham in loco a partida, disputada no estádio Warner Park Sporting Complex (8.000 lugares), em Basseterre, capital do país.

As duas equipes começaram desde cedo a buscar o gol, mas Porto Rico teve as melhores chances do primeiro tempo. Sorte da defesa dos anfitriões, que soube bloquear as investidas porto-riquenhas, que têm a base da seleção atuando no próprio país e nos Estados Unidos. A única boa chance de São Cristóvão & Névis foi com o veterano atacante Keith Gumbs, de 38 anos. Porém, o camisa 11 chutou fraco, para fácil defesa de Terence Boss.

Na etapa final, os erros de finalização continuaram persistentes, o que impediu a abertura de placar. O meia Joesk Willians recebeu ótimo passe de Keith Gumbs, mas não conseguiu finalizar, pois Boss já tinha saído do gol e fechara o ângulo muito bem. Pelo lado de Porto Rico, Scott Jones perdeu a chance de fazer o gol da vitória, ao errar um chute já dentro da área.

Aos 34 minutos do segundo tempo, o goleiro de Porto Rico sofreu uma falta maldosa de Gumbs. Depois de chutão do goleiro de Névis, Akil Byron, a bola quicou e sobrou para o atacante. Ele dominou mal, a bola escapou, ficando mais com Terence Boss. Aí Gumbs simplesmente levantou a chuteira e atingiu o goleiro, levando o cartão amarelo!

 Imagem de Amostra do You Tube

Com o empate, ambos ficam trás do Canadá, que goleou Santa Lúcia por 4×1 (veja detalhes do jogo – texto 1) e disparou na liderança do Grupo D. Aliás, o Canadá é o próximo adversário de Porto Rico, em casa, amanhã, 6 de setembro de 2011. No mesmo dia, São Cristóvão & Névis vai até Santa Lúcia em busca dos primeiros três pontos nas eliminatórias.

Guiana derrota Barbados e lidera Grupo B

Guiana x Barbados

Um confronto em que o Plano Tático não arriscaria vencedor, dada a obscuridade das equipes. Barbados é uma equipe mais forte e experiente, com alguns jogadores atuando por times das divisões inferiores da Inglaterra. É claro que a base das duas seleções atua nos próprios países, o que deixava o jogo com um ar de indefinição. Por esta razão, os 4.500 torcedores que se acomodaram no estádio de Providence (15.000 lugares), na cidade de mesmo nome, fizeram a diferença.

O gol que inaugurou o marcador aconteceu aos 25 minutos da primeira etapa. O autor foi o atacante de Guiana, nascido em Georgetown, capital do país, Shawn Beveney, de 29 anos. Ele atua no Cray Wanderers, da 7ª Divisão da Inglaterra. (Ishhmian League Premier Division).

O segundo e último gol da Guiana ocorreu já na metade da etapa final, por volta dos 30 minutos. Desta vez quem balançou as redes foi o veteraníssimo zagueiro Charles Pollard, de 37 anos. Ele é um dos poucos profissionais do elenco, já que defender o North East Stars, da 1ª Divisão de Trinidad & Tobago (T&T Pro League). Com a vitória, Guiana assume a liderança do Grupo B, levando vantagem de um gol para Trinidad & Tobago, que suou para derrotar Bermudas (veja a matéria sobre o jogo – texto 1). Na segunda rodada, amanhã, 6 de setembro, Barbados encara, em casa, os trinitinos, enquanto Guiana recebe Bermudas.

Não perca, a partir de amanhã, 6 de setembro de 2011, caro Leitor Plano Tático, mais resumos de partidas sobre as Eliminatórias para a Copa do Mundo 2014! Sempre ao final dos textos, os links para as Eliminatórias que já estão em andamento. Lá, você encontra todos as matérias do Plano Tático referente aos jogos! Acesse!

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede