Canadá apenas empata e se classifica; Porto Rico goleia fora de casa; Suazilândia perde

logo-copa-2014

vote no Plano Tático no concurso TOP Blogs

Por Matheus Laboissière

Os canadenses estavam bastante tranquilos na tabela e jogaram para o gasto diante de São Cristóvão & Névis. Já eliminado, Porto Rico queria deixar algo de positivo e conseguiu boa vitória diante de Santa Lúcia.  Já a Suazilândia não poderia fazer muita coisa diante da República Democrática do Congo. Boa leitura!

Canadá confirma vaga

São Cristóvão e Névis x Canadá

Parece que os torcedores são-cristovenses acreditavam num milagre diante do Canadá, que só estaria eliminado se perdesse as duas partidas finais para São Cristóvão & Névis. 4.000 torcedores ocuparam metade dos assentos do estádio Warner Park Sporting Complex (8.000 lugares), que sediou a Copa do Mundo de críquete 2007, para se ter uma ideia.

A superioridade canadense era clara, mas foram os anfitriões que tiveram a primeira grande chance de marcar logo no início da partida. Lançamento longo encontrou a cabeça do veteraníssimo atacante Keith Gumbs, de 39 anos e 47 gols em 131 partidas pela seleção de São Cristóvão & Névis. O atleta do Sriwiijaya (Indonésia) se antecipou bonito ao zagueiro Adam Straith do Energie Cottbus (Alemanha) e cabeceou forte. A bola raspou a trave esquerda do goleiro Lars Hirschfeld, do Valarenga (Noruega), que saltou, mas não achou a bola!

Pouco depois, Gumbs teve outra chance. Em novo chutão para dentro da área, a bola ficou mais para Hirschfeld, que ainda tinha a proteção de um zagueiro. Porém, o quique da pelota atrapalhou os planos do goleiro canadense, que teve de disputar a posse no alto, com Keith Gumbs. No entanto, o juiz salvadorenho Elmer Arturo Bonilla marcou falta do atacante são-cristovense.

A primeira boa chance do Canadá só aconteceu no segundo tempo. O atacante Simeon Jackson, do Norwich City (Inglaterra), precisou cruzar a bola para a área duas vezes, até um atleta canadense, não identificado, cabeceou por cima do gol de Akil Byron, do Newton United (São Cristóvão & Névis). Na metade da etapa final, Lars Hirschfeld teve de espalmar para escanteio.

Em bom toque de passes de São Cristóvão & Névis, a bola chegou para o zagueiro Kareem Mitchum, de 21 anos, do Newton United. Na entrada da área, ele mostrou intimidade com a bola e experimentou, obrigado o goleiro canadense a fazer defesa parcial! A grande jogada do Canadá saiu dos pés do ataque, aos 30 minutos.

O meia Josh Simpson, do Manisaspor (Turquia), tocou para Simeon Jackson, o grande nome do Canadá no jogo. Livre de marcação, ele caminhou com a bola dominada, invadiu a área adversária e driblou Mitchum, que ficou no chão. Na pequena área, ele encheu o pé, mas a bola foi justamente no corpo de Byron, que espalmou para frente, do jeito que deu.

No rebote, o zagueiro David Edgar, do Burnley (Inglaterra), se preparava para encher o pé e balançar as redes são-cristovenses, mas aí apareceu o zagueiro Kareem Harris, do Washington Archibald HS (São Cristóvão & Névis) para tirar a bola e salvar os donos da casa!

Na parte final do jogo, São Cristóvão & Névis se lançou ao ataque em busca do gol que mantinha as chances de classificação para a 3ª Fase. No contra-ataque, o Canadá teve ainda mais chances de abrir o marcador. Numa delas, Simeon Jackson invadiu a área sozinho, acompanhado pelo atacante Olivier Ocean, do Greuther Fürth (Alemanha). Porém, ele foi fominha e não tocou, preferindo finalizar. A bola bateu em Byron, que havia saído do gol a fim de diminuir o ângulo de Jackson, e ficou nas mãos do goleiro são-cristovense.

 Imagem de Amostra do You Tube

O insosso empate serviu ao Canadá, que está matematicamente classificado à próxima etapa. Porém, a seleção da América do Norte enfrentou adversários fraquíssimos, casos de São Cristóvão & Névis, Porto Rico e Santa Lúcia, o que deixa o sinal de alerta ligado para a próxima fase.

Os canadenses estão confirmados no Grupo C, que ainda tem Honduras, Cuba e Panamá. A estreia do Canadá acontece no próximo dia 8 de junho de 2012, diante dos cubanos, fora de casa. Duas seleções se classificam para o Hexagonal Final, a etapa que definirá os classificados para a Copa do Mundo do Brasil e o quarto colocado, que disputará a repescagem contra o campeão da Oceania. Será que o Canadá tem forças? O Plano Tático, neste momento, não acredita.

Porto Rico deixa lanterna para Santa Lúcia

Santa Lúcia x Porto Rico

O público que comparece ao estádio Juan Ramón Loubriel (12.500 lugares), em Santa Lúcia, deixou clara a validade do confronto dos donos da casa diante de Porto Rico. Talvez, os 350 torcedores que pagaram ingressos para assistir à partida queriam saber quem seguraria a lanterna do Grupo D. E Porto Rico mostrou que, mesmo fraco, é muito melhor que a caribenha Santa Lúcia.

O primeiro gol da partida surgiu logo aos quatro minutos, por meio do zagueiro Cristian Arrieta, de 32 anos, do Fort Lauderdale Strikes (Estados Unidos). Dez minutos depois, o jovem atacante Hector Ramos, de 21 anos, do Puerto Rico Islanders (Porto Rico), maior equipe do país, dobrou a vantagem porto-riquenha. No início do segundo tempo, logo a um minuto de bola rolando, o mesmo Hector Ramos marcou o terceiro.

A goleada de 4 a 0 de Porto Rico sobre Santa Lúcia teve fim aos nove minutos, com o gol marcado pelo meia Andrés Cabrero, de 22 anos, atleta do Bayamon FC (Porto Rico). Com a vitória elástica, Porto Rico chega aos seis pontos em cinco partidas (1v, 3e, 1d), conquistando seu primeiro triunfo nestas eliminatórias.

No jogo final, diante de Santa Lúcia, em casa, os porto-riquenhos devem vencer mais uma vez, o que, a depender do resultado entre Canadá e São Cristóvão & Névis, pode dar a Porto Rico a segunda posição da chave.

Suazilândia perde em casa

Suazilândia x RD Congo

O objetivo do pequeno país no sul da África, encravado no território da África do Sul, era bem claro. Os próprios suazilandeses disseram, dias antes da realização da partida diante da República Democrática do Congo, que já disputou a Copa de Mundo, em 1974, como Zaire, que o time esperava apenas aprender algo com os adversários. Os democrático-congoleses, que jogam em times médios da 1ª Divisão da França, na Bélgica e até no próprio país, pelo TP Mazembe, grande algoz do Internacional no Mundial de Clubes da FIFA 2010, são mais experientes e deixaram isso claro.

O primeiro gol da partida surgiu aos 18 minutos, por meio do atacante Dioko Kaluyituka, de 24 anos, atleta do Al-Ahli Doha (Catar). Seis minutos mais tarde, o atacante Trésor Mputu, de 25 anos, desde 2002 no TP Mazembe (111 gols em 182 jogos), dobrou o marcador para os visitantes. O único grito de gol dos torcedores da casa, presentes ao estádio Nacional Somhlol (20.000 lugares), em Lobamba, capital legislativa da Suazilândia, aconteceu no segundo tempo.

Por volta dos 20 minutos, o atacante Sidurno Shogwe, do Manzini Wanderers (Suazilândia), deu alegria a seu país. Porém, oito minutos depois, a República Democrática do Congo fez o terceiro, com o zagueiro Gladys Bokese, do Daring Club Motema Pembe (República Democrática do Congo), dando números finais à partida.

A vitória por 3 a 1 dá a vaga aos democrático-congoleses, que devem golear na partida de volta, a ser realizada em Kinshasa, capital do país. A Suazilândia, que tem a base do time jogando no obscuro futebol do país, à exceção de quatro atletas, que defendem clubes da vizinha África do Sul, restará aprender um pouco mais com os adversários e tentar marcar pelo menos um gol. Ambas tarefas bem difíceis! O vencedor do confronto participará do Grupo I, ao lado de Camarões, Líbia e do vencedor entre Guiné Bissau e Togo.

Eliminatórias Asiáticas | Eliminatórias Concacaf

Eliminatórias Sul Americanas | Eliminatórias Africanas

Siga o Plano Tático no Twitter: https://twitter.com/PlanoTatico

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede