Ilhas Maurício desistem das Eliminatórias 2014

cub-m-defeat-to-congo

vote no Plano Tático no concurso TOP Blogs

Por Matheus Laboissière

No próximo dia 11 de novembro, a capital de Ilhas Maurício, Port Louis, cidade de 128 mil habitantes, localizada a noroeste do país, receberia um importante jogo, válido pelas Eliminatórias Africanas para a Copa de 2014. Os donos da casa entrariam em campo diante da Libéria, que provavelmente venceria com facilidade. Quatro dias mais tarde, seria a vez de os liberianos sediarem a partida, na cidade de Paynesville, subúrbio da capital Monróvia, para definir a vaga à 2ª Fase do torneio. Novo triunfo liberiano não seria nenhuma surpresa Mas essas partidas não ocorrerão.

Tudo porque, no último dia 31 de outubro de 2011, as Ilhas Maurício, número 189 do Ranking da FIFA, por meio da Associação de Futebol de Ilhas Maurício (MFA, em inglês), comunicaram a FIFA que a seleção não entrará em campo. A justificativa da terceira desistência de Ilhas Maurício na história – desde 1974, primeira participação, não jogou os qualificatórios para os Mundiais de 1978, 1982; em 1990, a FIFA rejeitou a entrada do país, por dívidas com a entidade – não é oficial, mas fontes ligadas a MFA dizem que o motivo principal é a falta de dinheiro.

A quantia necessária para a disputa dos dois jogos diante da Libéria atingiria 2 milhões de rúpias mauricianas, equivalentes a R$ 115 mil, soma que a entidade que rege o futebol nacional diz não poder honrar. Porém, parece que há mais pormenores envolvidos.

Gastos

Primeiro jogo das Eliminatórias para a CAN 2012, diante de Camarões

Imagem de Amostra do You Tube

Desde o dia 4 de setembro de 2010, quando Ilhas Maurício recebeu Camarões, perdendo por 3×1, na estreia de ambos nas Eliminatórias para a Copa Africana de Nações 2012, os mauricianos jogaram mais cinco vezes, contra República Democrática do Congo e Senegal (duas vezes) e Camarões, pelo Grupo E.

Logicamente, a classificação à Fase Final da competição não era o objetivo principal, que se limitava apenas a treinar a seleção para o grande campeonato, as eliminatórias. A título de curiosidade, Ilhas Maurício terminaram na lanterna da chave, perdendo as seis partidas – marcou duas vezes e sofreu 22 gols.

Em agosto de 2011, Ilhas Maurício viajaram até Seicheles, a fim de disputar os Jogos do Oceano Índico, espécie de Pan Americano da região – acontecem de quatro em quatro anos. No torneio de futebol, o técnico mauriciano Akbar Patel levou atletas experientes, sendo o principal deles o meia francês naturalizado Jonathan Bru, de 26 anos, que jogou do sub-16 até o sub-21 da França, indo defender Ilhas Maurício (tem 11 jogos e dois gols).

Outro meia, Jimmy Cundasamy, também fez parte do plantel. Aos 34 anos, o jogador é o que mais vestiu a camisa da seleção, com 52 jogos – atua pelo US Stade Tamponnaise (Ilhas Reunião). Isso leva a crer que a competição seria utilizada para testes, visando às eliminatórias.

Ilhas Maurício entraram no Grupo A, ao lado de Seicheles, Ilhas Comores e Ilhas Maldivas. Após três partidas, os mauricianos terminaram em segundo, com quatro pontos (1v, 1e, 1d), avançando às semifinais. O adversário do primeiro mata-mata foi Mayotte, que acabou eliminado nos pênaltis (5×4), após 0×0 no tempo normal. Em 13 de agosto, a grande final colocou Seicheles e Ilhas Maurício em lados opostos. A igualdade em 1×1 forçou a decisão do título sob a cobrança de pênaltis, vencida por Seicheles, por 4×3.

Vitória mauriciana de 2×0 sobre Ilhas Comores, pelos Jogos do Oceano Índico 2011

Imagem de Amostra do You Tube

Para terminar, a MFA ainda gastou algumas rúpias na disputa de três amistosos, contra clubes do país. De que serviriam as partidas diante de Cercle de Joachim SC (30 de setembro), Cureripe Starlight SC (1º de outubro) e Petite Rivière Noire SC (5 de outubro) se não para testar o elenco mauriciano levando-se em conta os jogos frente aos liberianos?

Futuro

Há rumores, ainda sem confirmação, de que dois grupos estão disputando o comando da MFA desde as últimas semanas, o que pode ter resultado na desistência da seleção em forma de retaliação das pessoas que comandam a entidade local. Este parece ser o real motivo, já que tudo leva a crer que o planejamento de jogos da seleção visava testar o time para o qualificatório de 2014. O atual presidente, Vinod Persunoo, chegou a ser demitido do cargo, mas voltou uma semana depois, por força da própria FIFA, que viu a demissão do profissional como injusta, em desacordo com o regulamento da entidade.

É importante dizer que Ilhas Maurício também comunicaram a Confederação Africana de Futebol (CAF, em inglês) que a equipe não disputará as Eliminatórias para a Copa Africana de Nações 2013, que começam já em 2012 – também estão fora Ilhas Comores, Djibuti, Eritreia, Mauritânia e Somália.

Com a saída de cena das Ilhas Maurício, que ainda terá de pagar multa de 90 mil rúpias (R$ 5 mil), a Libéria está automaticamente classificada para a 2ª Fase das Eliminatórias Africanas. A equipe fará parte do Grupo J, ao lado de Senegal, Uganda e Angola. A estreia liberiana será diante de Senegal, em 1º de junho de 2012, fora de casa.

Maior goleada nas Eliminatórias para a CAN 2012, 7×0 a favor de Senegal

Imagem de Amostra do You Tube

Redes Sociais

Siga o Plano Tático no Twitter: https://twitter.com/PlanoTatico

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede