Jordânia e Iraque vencem; Moçambique joga para o gasto

logo-copa-2014

vote no Plano Tático no concurso TOP Blogs

Por Matheus Laboissière

Pelas Eliminatórias Asiáticas, jordanianos e iraquianos triunfaram dentro de casa. Melhor para a Jordânia, que garantiu vaga na Fase Final, na melhor campanha da história do país no torneio – antes, o mais longe que o país havia chegado foi a segunda posição do Grupo 1 da penúltima fase, atrás do Irã, quando só o campeão seguia em frente. O Iraque também ficou bem perto de carimbar o passaporte, o que pode ocorrer já no próximo jogo. No qualificatório da África, Moçambique era franca favorita sobre a fraca Ilhas Comores, mas não conseguiu tornar real a esperada goleada. Boa leitura!

Jordânia é dona da melhor campanha na 3ª Fase

Jordânia x Cingapura

Realmente, o atual momento do futebol jordaniano é sensacional (veja detalhes nesta matéria especial). Depois de surpreender os prognósticos na chave A, ao vencer o Iraque, fora de casa, por 2 a 0 (veja detalhes do jogo – texto 1), e a China, por 2 a 1, dentro de seus domínios (veja os gols e resumo da partida – texto 2), agora os jordanianos comemoram os 100% de aproveitamento na atual etapa. Diante de 19.000 torcedores, que ocuparam boa parte das arquibancadas do estádio Internacional de Amã (25.000 lugares), a vítima da vez foi Cingapura.

O primeiro gol dos anfitriões aconteceu logo aos 15 minutos do primeiro tempo. Em jogada individual do atacante Ahmed Hayel Ibrahim, o atleta do Al-Faisaly (Jordânia) ganhou do zagueiro Ismail Yunos, do Gombak United (Cingapura), na corrida, fazendo a volta por fora. Já dentro da área, ele só tinha ângulo para bater cruzado, e foi o que ele fez!

Num chute rasteiro e no contrapé do goleiro Lionel Lewis, do Home United (Cingapura), que ainda esticou a perna direita para desviar a bola, sem sucesso, Ibrahim inaugurou o placar, para delírio da torcida jordaniana! Bonito gol! Já no segundo tempo, por volta dos 19 minutos, a defesa de Cingapura se complicou na saída de bola.

Ela sobrou para o bom meia Hassan Abdel-Fattah, que viu o companheiro de posição Amer Deeb, livre na frente. O ótimo passe de Abdel-Fattah deixou o jordaniano na cara do gol, sendo acompanhado por um zagueiro, que não chegaria na bola. Diante disso, Lionel Lewis foi se posicionando fora do gol, a fim de diminuir o ângulo de Deeb, mas não adiantou. Com habilidade, um dos destaques da Jordânia tocou por cima do adversário, balançando as redes e fazendo a capital nacional explodir de alegria!

 Imagem de Amostra do You Tube

A vitória de 2 a 0 corrobora a impecável campanha jordaniana. Com 12 pontos em quatro partidas, a equipe já balançou as redes adversárias nove vezes, sendo vazada em apenas uma oportunidade, na vitória diante da China, em casa. Matematicamente classificada, a Jordânia tentará confirmar a liderança do grupo, para chegar à Fase Final com a moral em alta.

A próxima partida, dia 15 de novembro, será diante do próprio Iraque, em casa. Se vencer, a Jordânia garante a primeira colocação da chave. Será que os jordanianos têm condições de disputar a primeira Copa do Mundo da história? O Plano Tático faz votos que sim! Por sua vez, Cingapura, com zero ponto, está matematicamente eliminada e cumprirá tabela contra a China, em casa, na rodada da próxima terça-feira.

Iraque soa, mas derrota chineses no último lance

Iraque x China

A primeira partida entre China e Iraque, na casa do primeiro, foi repleta de emoções, apesar de um único gol ter sido marcado, pelo Iraque (veja os melhores momentos – texto 2). A receita voltou a se repetir em solo catariano, na capital do país, Doha, em razão de a FIFA não ter permitido ao Iraque atuar em seus domínios, por falta de segurança. Uma pena, pois um jogo importante merecia público maior dos que os 5.000 torcedores iraquianos e chineses que compareceram ao estádio Grand Hamad (15.000 lugares).

A primeira grande chance da partida, bastante disputada, foi dos chineses. Em cobrança de lateral para a área, a defesa iraquiana afastou parcialmente, com a bola sobrando para o meia Zhao Xuri, do Shaanxi Renhe Commercial Chanba (China). Ele demonstrou muita habilidade e pegou de primeira, sem deixar a bola cair. Ela passou rente à trave esquerda do goleiro Mohammed Kassid, do Al-Talaba (Iraque), que saltou bastante assustado!

Pouco tempo depois, a China marcou! Em ótima troca de passes do ataque chinês, dentro da área, o meia de 31 anos, Zhen Zhi, do Guangzhou Evergrande (China), serviu seu companheiro. Após muita confusão, com o goleiro Kassid envolvido, a bola sobrou nos pés de Zhi, que meio sem ângulo mandou para as redes, aproveitando que o arqueiro iraquiano estava fora do gol! Porém, o árbitro australiano Green Peter assinalou, acertadamente, impedimento no lance, anulando o gol da China! Zhi levou as mãos à cabeça!

A resposta do Iraque veio ainda na primeira etapa. Falta bem cobrada deixou o craque do time, o meia Younis Mahmoud, na cara do gol, só com o goleiro Yang Zhi, do Beijing Gouan (China), à frente. Mahmoud chutou forte, mas o arqueiro de 28 anos conseguiu espalmar a bola para longe do gol chinês! Já na segunda etapa, a 11 minutos do fim, a China poderia ter aberto o placar.

O meia Hao Junmin, do Shandong Luneng Taishan (China), cobrou falta com força, no cantinho esquerdo de Kassid. O goleirão iraquiano saltou, mas não conseguiu a defesa. Sorte dele que a bola explodiu na trave e ganhou distância, impedindo rebote do ataque visitante bem na hora em que Kassid estava no chão. Quando a partida se encaminhava para um empate sem gols, um lance aparentemente inofensivo resultou em cartão vermelho, o que desequilibrou as ações.

O goleiro chinês Yang Zhi cobrou tiro de meta, que alcançou o círculo central. Um atleta iraquiano conseguiu desviar de cabeça para frente, surpreendendo a defesa chinesa, que avançava para o meio-campo, no intuito de ajudar numa jogada ofensiva. Esperto, Younis Mahmoud engatou a quinta marcha e disparou em direção à área de Zhi.

Quando ele se preparava para finalizar, o zagueiro Zhang Lipeng, de 22 anos, do Ganghzou Evergrande, decidiu parar o atacante com um carrinho por trás. Logicamente, o árbitro Green Peter expulsou o chinês de forma direta, que nem esboçou reclamação, mas lamentou o ocorrido!  Com um a mais, o Iraque sentiu que poderia vencer e partiu a todo ataque.

No finalzinho da partida, os donos da casa tiveram chance de fazer 1 a 0. Enquanto o lance ocorria no flanco esquerdo do ataque iraquiano, o meia Samer Saeed, de 23 anos, do Najaf (Iraque), se posicionava totalmente livre dentro da área chinesa, numa falha grotesca dos zagueiros, que sequer se preocuparam com a retaguarda. Saeed cansou de pedir a bola, levantando os braços freneticamente. No entanto, a esfera de jogo foi na direção do experiente meia Nashat Akram, que joga no Lechwiya (Catar) e tem 14 gols em 103 partidas pela seleção.

Ele recebeu passe, igualmente livre, e finalizou no contrapé de Zhi, mas a bola explodiu na trave! Na sobra, Saeed se empolgou e encheu o pé, mas a finalização foi horrorosa, totalmente torta e para o alto! Os iraquianos não acreditaram na chance que perderam… Porém, a insistência iraquiana seria premiada poucos minutos mais tarde.

Aos 47 do segundo tempo, já nos acréscimos, Younis Mahmoud recebeu ótimo passe, nas costas do zagueiro Su Xiang, do Ganghzou Evergrande. Ele invadiu a área, protegeu a posse da bola durante a investida do zagueiro e finalizou bonito, no alto, sem chances para Yang Zhi. O banco do Iraque comemorou em alto e bom som, o técnico brasileiro Zico incluído!

 Imagem de Amostra do You Tube

Com a grande e importante vitória, o Iraque se aproxima definitivamente da Fase Final das eliminatórias. A equipe agora conta com nove pontos, três a menos do que a Jordânia, mas seis de vantagem em relação à China, a duas rodadas do fim. No próximo dia 15 de novembro, terça-feira, um empate diante da Jordânia, fora de casa, garante o Iraque na 4ª Fase do qualificatório. Mesmo se vier a perder, a China terá de vencer a já eliminada Cingapura, também fora de casa, para continuar sonhando em disputar a segunda Copa de sua história – jogou a edição de 2002.

Moçambique ganha pelo placar mínimo

Ilhas Comores e Moçambique

Em mais um confronto das Eliminatórias Africanas em que as equipes têm grande diferença no que tange à qualidade, os moçambicanos não precisaram de muito esforço para sair de Ilhas Comores com a vitória. O único gol que aconteceu na partida, realizada na cidade de Mitsamouli, no extremo norte da ilha comorense, no acanhado estádio Said Mohamed Cheikh (2.000 lugares).

O lateral-esquerdo Almiro Lobo, conhecido como Miro, atleta do Platinum Stars (África do Sul), converteu pênalti, por volta dos 11 minutos da etapa final, fechando o magro placar. O fato triste do jogo ocorreu aos 30 minutos. O veterano goleiro moçambicano João Kapango, de 36 anos, acabou contundido e teve de ser substituído por Soarito, goleiro do Maxaquense (Moçambique). É improvável a sua recuperação para a partida de volta, na próxima terça-feira, dia 15 de novembro de 2011.

Imagem de Amostra do You Tube

O resultado do jogo de ida foi o mesmo do dia 9 de outubro de 2010, quando Ilhas Comores e Moçambique se enfrentaram, em jogo válido pelo Grupo C das Eliminatórias para a Copa Africana de Nações 2012. A título de curiosidade, ambos acabaram eliminados, os moçambicanos tendo somado sete pontos, enquanto Ilhas Comores fez apenas um.

Na partida de volta, no estádio do Zimpeto, em Maputo, capital de Moçambique, os anfitriões devem confirmar a classificação à 2ª Fase. No qualificatório da CAN 2012 deu Moçambique, por 3 a 0. O vencedor deste confronto jogará na chave G, ao lado de Egito, Guiné e Zimbábue.

Eliminatórias Asiáticas | Eliminatórias Concacaf

Eliminatórias Sul Americanas | Eliminatórias Africanas

Redes Sociais

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede