Venezuela consegue outro bom resultado; Nicarágua derrota Dominica de novo; Togo empata

logo-copa-2014

vote no Plano Tático no concurso TOP Blogs

Por Matheus Laboissière

Pelas Eliminatórias Sul Americanas, a Colômbia recebeu a Venezuela esperando somar mais três pontos e se aproximar do Uruguai, na segunda posição. Não deu. Na América Central, a fraca Nicarágua levou a melhor sobre a ainda mais frágil Dominica. Na África, Togo, que foi à Copa de 2006, continua em baixa.

Venezuela segura Colômbia

Colômbia x Venezuela

O estádio Metropolitano Roberto Melendéz (49.612 lugares), em Barranquilla, estava com lotação máxima, em razão do bom momento da seleção colombiana nas eliminatórias. Os atletas da casa sentiram o entusiasmo dos torcedores e partiram para cima da Venezuela desde o primeiro minuto. Porém, foram os visitantes que tiveram a primeira grande chance da partida.

Aos nove minutos, o meia Tomás Rincón, do Hamburgo (Alemanha) fez grande jogada pelo flanco direito, driblando o meia James Rodríguez, jovem de 20 anos, do Porto (Portugal). Ele foi à linha de fundo e cruzou. A bola viajou na direção do atacante Nicolás Fedor, do Getafe (Espanha), que mergulhou à frente do zagueiro, para excelente defesa do goleiro David Ospina, do Nice (França)! No rebote, o mesmo Fedor se levantou e finalizou, mas estava desequilibrado, com a bola passando rente à trave esquerda de Ospina! Os torcedores venezuelanos presentes ao estádio não acreditaram!

Aos 11 minutos, a Colômbia fez boa jogada e alcançou o 1 a 0 no placar. O atacante Jackson Martínez, do Chiapas (México), e Jaime Rodríguez fizeram boa tabelinha na entrada da área, envolvendo a marcação dos zagueiros Roberto Rosales, do Twente (Holanda), e Oswaldo Vizcarrondo, do Olimpo (Argentina), que foi ao chão. Martínez tocou atrás, para Fredy Garín, outro atleta do Porto, que resolveu o lance!

Com uma rolada de bola para frente, ele emendou um petardo, que explodiu no ângulo direito do goleiro Renny Vega, do Caracas (Venezuela). Ele ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol da Colômbia! Com a desvantagem no marcador, a Venezuela tentou empatar ainda no primeiro tempo, mas os lances mais perigosos aconteciam nas cobranças de falta do meia Juan Arango, do Borussia Mönchengladbach (Alemanha).

Aos 20 minutos, Vega se atrapalhou e quase deu o segundo gol aos colombianos. A cobrança de escanteio encontrou as mãos do goleiro venezuelano. Entretanto, Vega não conseguiu segurar, com a bola escapando de seu domínio. Martínez estava perto do lance e finalizou a gol, sem goleiro. O zagueiro Gabriel Cichero, do Lens (França), estava em cima da linha e conseguiu tirar de cabeça, cedendo novo escanteio!

Assim que a Colômbia percebeu que o goleiro venezuelano estava inseguro, começou a arriscar chutes de fora da área. Aos 25 minutos, o meia Dorlan Pabón, do Atlético Nacional (Colômbia) finalizou forte, de fora da área, para boa defesa de Vega, que mergulhou no canto esquerdo a fim de espalmar para o lado. Aos 33, novo chute de Pabón obrigou ao goleiro venezuelano a espalmar do jeito que deu, pois a bola fizera curva. No rebote, Vizcarrondo apareceu para dar um chutão e impedir o gol colobiano.

Já no finalzinho da primeira etapa, Rodríguez dominou a bola, evitou a marcação do adversário e chutou no alto, colocado. Quando ele já se preparava para comemorar, viu Vega voando na direção da bola para tirá-la do gol! Boa defesa!

No segundo tempo, a Venezuela continuava chegando com dificuldade, restando aos visitantes utilizar-se da bola parada de Arango. Logo aos três minutos, o habilidoso meia cobrou uma falta com maestria. A bola voou no ângulo esquerdo de Ospina e só não entrou por causa do goleiro colombiano, que conseguiu o desvio com a ponta dos dedos. A bola ainda acabou batendo na trave! Arango, que parecia bastante concentrado, não acreditou no lance!

Aos 14 minutos, James Rodríguez fez grande jogada pelo flanco esquerdo do ataque da Colômbia e cruzou para a área. O atacante Teófilo Gutiérrez, do Racing Club (Argentina), se encontrava livre, dentro da pequena área e só teria o trabalho de empurrar para o gol. Porém, ele deu uma de zagueiro e isolou a bola, para desespero dele e de todos os atletas e torcedores colombianos! A Colômbia continuava tentando fazer o segundo gol, que lhe daria tranquilidade na partida.

Aos 34 minutos, no entanto, o que os colombianos temiam aconteceu. Em jogada de contra-ataque iniciada por chutão de Renny Vega, que foi na direção do atacante Rondon, 22 anos, do Málaga (Espanha), e do veterano zagueiro Mario Yepes, de 35 anos, do Milan (Itália). O atacante venezuelano conseguiu o desvio para frente, com a bola ficando com o zagueiro Luis Armando Perea, do Atlético de Madrid (Espanha).

Porém, o colombiano falhou feio, com a bola sobrando para o meia Frank Feltscher, nascido na Suíça e atleta do Grasshopper (Suíça). Na entrada da área, ele roubou a bola, invadiu a área de Ospina e tocou na saída do goleiro, para empatar a partida em 1 a 1! Com o mau resultado dentro de casa, a Colômbia se lançou ao ataque, mas os atacantes pecaram muito nas finalizações.

A grande chance da vitória ocorreu aos 44 minutos. Rodríguez cobrou falta na entrada da área com perfeição, mas a bola explodiu no travessão e foi para a linha de fundo! Vega sequer se aproximou de fazer a defesa, pulando baixo demais! No último lance da partida, um contra-ataque venezuelano quase resultou em gol, num belo chute de fora da área de Arango, que passou perto da trave esquerda de Ospina.

 Imagem de Amostra do You Tube

Com o importante empate, num jogo que estava todo para a Colômbia, os venezuelanos alcançam os quatro pontos, assumindo a quinta posição, que dá vaga na repescagem contra o quinto colocado das Eliminatórias Asiáticas. A Colômbia está em terceiro, com os mesmo quatro pontos, mas em duas partidas, num grande começo de campanha. Na próxima rodada, hoje, 15 de novembro de 2011, a Colômbia recebe a conturbada Argentina, enquanto a Venezuela sediará o jogo diante da Bolívia.

Nicarágua se despede com vitória

Nicarágua x Dominica

Pelo Grupo C das Eliminatórias Concacaf, Nicarágua e Dominica fizeram o único jogo da rodada, em razão de a chave ter apenas três equipes, já que Bahamas desistiu da competição e não foi substituída (veja detalhes). Como ambas as seleções estavam matematicamente eliminadas, apenas 2.100 torcedores pagaram ingressos para acompanhar a partida dentro do estádio Nacional Dennis Martínez, em Managua, capital da Nicarágua.

Desde os primeiros minutos, o time da casa atacou a frágil defesa de Dominica, que se safava de levar gols do jeito que dava. O meia Félix Zeledón, do Deportivo Walter Ferreti (Nicarágua), era o atleta que mais levava perigo ao gol do goleiro Glenson Prince.

O único gol marcado nos 90 minutos aconteceu no início do segundo tempo. Por volta dos 12 minutos, o experiente atacante Raúl Leguías, de 29 anos, atleta do Managua FC (Nicarágua), deu a segunda vitória a seu país na história das eliminatórias (veja matéria especial), ambas sobre a fraca Dominica, que tem a maioria dos jogadores convocados atuando no próprio país, o que não quer dizer muita coisa.

 Imagem de Amostra do You Tube

Assim, Nicarágua encerra sua participação nas Eliminatórias Concacaf com seis pontos em quatro partidas (2v, 0e, 2d), além de cinco gols marcados e sete sofridos. Dominica, por sua vez, ainda terá a partida diante do 100% Panamá, fora de casa, e não deve sair da Cidade do Panamá, capital do país, sem uma goleada. Os dominicanos ainda nem marcaram nestas eliminatórias, além de terem sofrido oito gols.

Togo não passa por Guiné Bissau

Guiné Bissau x Togo

No último dia 11 de novembro de 2011, o Togo esperava sair da cidade de Bissau com os três pontos e mais próxima da vaga à 2ª Fase das Eliminatórias Africanas. E até que os togoleses começaram bem, deixando os torcedores de Guiné Bissau presentes ao estádio Lino Correia (12.000 lugares) preocupados. Aos 32 minutos, o atacante Serge Gakpé, de 24 anos, que atua pelo Nantes (França), fez 1 a 0 a favor dos visitantes. Porém, não demorou muito para o país de língua portuguesa igualar o marcador.

Cinco minutos depois, o atacante Basile de Carvalho, de 30 anos, do Lokomotiv Plovdiv (Bulgária), converteu pênalti e colocou Guiné Bissau na partida. Mas ficou só nisso. Pior para os anfitriões, que têm a base da equipe atuando no futebol português, todos eles em equipes pequenas e médias da ex-metrópole.

Para o jogo de volta, hoje, 15 de novembro de 2011, em Lomé, capital de Togo, os togoleses, chefiados pelo atacante do Tottenham (Inglaterra), Emmanuel Adebayor, de 27 anos, devem vencer e garantir vaga à próxima etapa. É importante dizer que Togo está sem técnico, já que o nigeriano Stephen Keshi, que comandava a seleção de origem francesa, deixou a equipe em 2 de novembro para acertar com a seleção de seu país. Quem passar neste confronto entrará no Grupo I, que terá Camarões, Líbia e o vencedor de Suazilândia e República Democrática do Congo.

Eliminatórias Asiáticas | Eliminatórias Concacaf

Eliminatórias Sul Americanas | Eliminatórias Africanas

Siga o Plano Tático no Twitter: https://twitter.com/PlanoTatico

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede