Clubes da Itália procuram promessas de Malta

Luca Corona um treinador de jovens da Juventus desembarcou em Malta para observar atletas

Ontem, 19 de fevereiro de 2012, a tradicional Juventus venceu o Catania, por 3 a 1, em Turim, pelo Campeonato Italiano, se aproximando do Milan na classificação, com um jogo a menos que o rival rubro-negro. O ponto alto da partida – para os Apaixonados por Futebol Alternativo – aconteceu nas arquibancadas do novo estádio da Juventus (inaugurado em setembro de 2011).

Um grupo de crianças vindas de Malta, que tem uma escolinha oficial da Juventus na ilha, foi convidado para assistir ao jogo, uma atividade durante os cinco dias que ficarão em Turim. Os candidatos à carreira em grandes clubes da Europa terão sessões de treinamento com outras escolinhas da Vecchia Signora italianas, sempre acompanhadas pelo diretor técnico da Juventus Soccer School (Escolinha de Futebol da Juventus, em Malta), Mark Marlow, e Charles Borg, o técnico do time, função que cumpre há três anos.

Fundada em 1975 e sediada na cidade de Birkirkara, de 25 mil habitantes, no centro do território de Malta, a entidade oficialmente ligada à matriz tem o objetivo de divulgar a marca Juventus Football Club nas ilhas de Malta, ocupadas por cerca de 400 mil habitantes. Pode-se até comprar ingressos para os jogos do clube na escolinha, que costuma enviar jovens atletas que se destacam nos treinamentos.

Mais crianças

Cartaz avisando dos treinamentos no Floriana

Outro time italiano, desta vez da capital do país, a Lazio, também está recebendo grupo de futuros atletas para avaliação. 20 meninos nascidos em 1997 e 1998, por sessão de testes, com duração de uma hora cada, foram observados em treinamentos em Malta, nas instalações de um dos maiores clubes do país, o Floriana FC, segundo maior vencedor da liga nacional, com 25 troféus, um a menos que o Sliema Wanderers. O acordo entre as agremiações foi acertado em 2011.

Seis técnicos do clube italiano desembarcaram em Malta para observar e escolher 30 atletas, dentre os 46 que enfrentaram o inverno europeu e apareceram para ser avaliados, que disputarão um jogo amistoso, em março de 2012. Destes, apenas cinco melhor avaliados embarcarão para a Itália, em junho de 2012, para serem observados mais atentamente.

E a parceria entre os clubes não parece se limitar aos jovens. O goleiro italiano Simone Santarelli, de 23 anos, revelado pela Lazio, mas que nunca jogou pelo time principal, desembarcará em Malta para defender o Floriana. Ele tem duas partidas pela seleção sub-17 da Itália e estava no Foggia, atual nono colocado na Prima Divisione A, a terceira divisão italiana.

Escassez

Muitas crianças maltesas brigam por oportunidades em grandes clubes da Europa, mas a verdade é que pouquíssimas conseguem se profissionalizar e defender equipes do exterior, não necessariamente no primeiro escalão do continente. Atualmente, levando-se em conta as principais competições nacionais de cada país da Europa, apenas nove jogadores de Malta têm contrato profissional.

O atacante Andrè Schembri, 25 anos, já retratado em matéria do Plano Tático (clique aqui para ler o texto), que defende o Panionios (Grécia), da primeira divisão, custa 800 mil euros, maior valor de mercado entre os que jogam fora. Há ainda malteses na Austrália, nas primeiras divisões de País de Gales, Chipre, além da terceira divisão da Inglaterra e da quarta da Itália. Espera-se que a parceria entre clubes de Malta e da Itália sejam, no futuro, algo mais além de meras ações de divulgação de suas marcas entre os habitantes das ilhas.

Últimas

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede