Burquina Fasso tropeça em Congo; Togo apenas empata

Na África, Burquina Fasso poderia ter começado a campanha com um triunfo, mas não conseguiu passar por Congo, num dos poucos empates sem gols da rodada. Por sua vez,também  era importante para Togo começar vencendo, mas a Líbia impediu a vitória dos anfitriões. Boa leitura!

Burquina Fasso frustra torcida

No Grupo E das eliminatórias não há uma grande força. É verdade que Burquina Fasso e Gabão, pelo menos na teoria, brigam pela única vaga à Fase Final, mas Níger e Congo também podem surpreender. Numa chave como essa, o mando de campo é bastante importante, não se pode perder pontos dentro de casa. E foi isso que aconteceu com Burquina Fasso.

Os torcedores burquineses nem lotaram o estádio du 4-oût (35 mil lugares), localizado na capital do país, Ouagadougou, um fato estranho, mas não tão misterioso assim. Além da má campanha na Copa Africana de Nações 2012 (eliminação na Fase de Grupos, com três derrotas na chave B), os jogadores convocados pelo técnico belga Paul Put, de 56 anos (treinou Gâmbia entre 2007-11) mostrava a distância entre torcedores e seleção. Apenas um atleta, o zagueiro Narcisse Bambara, do Étoile Filante (Burquina Fasso), jogava no próprio país – ele ficou no banco, mas nem chegou a entrar.

Com um elenco formado por jogadores atuantes na Europa e nas principais ligas asiáticas e africanas, era de se esperar uma vitória burquinense diante de Congo, lotado de jogadores locais, com alguns poucos no futebol francês, a maioria em clubes de menor escalão. A partida teve muitos lances claros de gol, mas ambas as equipes erravam a pontaria.

No primeiro tempo, Burquina Fasso (de branco) teve direito à cobrança de falta, em que o meia Charles Kaboré, 24 anos, do Olympique de Marselha (França), certamente levantaria a bola na área. Esta era a intenção do atleta, que pegou muito forte, indo a pelota parar nas mãos do goleiro Barel Mouko, 33 anos, do Lille (França), um dos mais experientes do elenco de Congo.

Os jogadores burquinenses eram mais atuantes no ataque, mas a defesa congolesa conseguia se proteger, mandando a bola para escanteio. Os visitantes levavam certo perigo nos contra-ataques, mas também os zagueiros de Burquina Fasso conseguiam impedir uma boa jogada do adversário.

Até 15 minutos do 1º tempo

Imagem de Amostra do You Tube

A torcida da casa tentava empurrar os jogadores dentro de campo, nem que fosse com a conhecida charanga africana, além de muito barulho nos lances de ataque. O primeiro lance de perigo do jogo surgiu quase na metade do primeiro, com o atacante Alain Traoré, 23 anos, do Auxerre (França), que recebeu passe dentro da área, de frente para o gol, matou no peito, mas na hora de finalizar, um zagueiro afastou o perigo! A bola ainda resvalou em Traoré e ficou em tiro de meta para Congo.

Diante da pressão de Burquina Fasso, que teve quatro escanteions na sequência, o zagueiro congolês Bruce Abdoulaye, 30 anos, do Metz (França), aproveitou para fazer cera e esfriar o ímpeto dos burquinenses, parando o jogo e requisitando atendimento médico. Num raro ataque congolês, o atacante Fabrice Nguessi, 24 anos, do Al Ittihad (Arábia Saudita), fez boa jogada pelo lado direito,  envolvendo a marcação adversária, mas cruzou mal, perdendo uma boa chance de abrir o marcador.

Pouco depois, Alain Traoré teve liberdade suficiente para cruzar a bola para um atacante não identificado, que não conseguiu alcançá-la, já na pequena área! Burquina Fasso respondeu logo em seguida, com o meia Ali Rabo, 25 anos, do El Shorta (Egito), que cabeceou à queima-roupa, sozinho, mas Barel Mouko foi bastante seguro e nem deu rebote!

Dos 15 aos 30 minutos do 1º tempo

Imagem de Amostra do You Tube

Certamente Alain Traoré era o mais perigoso atleta burquinense na partida, mas os zagueiros de Congo conseguiam impedir que as finalizações do habilidoso meia chegassem ao gol. As jogadas pelas duas laterais também eram constantes, mas ou a bola ia para escanteio, ou os atletas de Burquina Fasso erravam, cedendo tiro de meta. Na parte final do primeiro tempo, Congo encaixou um lindo contra-ataque, com o atacante Matt Moussilou, 30 anos, do Lausanne Sport (Suiça).

Ele recebeu na frente e finalizou forte, mas o goleiro Abdoulaye Soulama, 32, do Asante Kotoko (Gana), atual campeão nacional (veja matéria especial), fez incrível defesa, erguendo as mãos o mais alto que podia e impedindo o primeiro gol dos visitantes! A torcida burquinense comemorou como se fosse um gol de sua seleção!

Dos 30 aos 45 minutos do 1º tempo

Imagem de Amostra do You Tube

No segundo tempo, Burquina Fasso voltou pressionando. Alain Traoré dominou a bola na entrada da área, observou que tinha espaço suficiente para o chute e finalizou, mas pegou mal na bola, em fácil defesa para Barel Mouko. Em outro lance, pouco depois, Traoré carregou a bola desde o flanco direito, invadiu a área e trouxe a pelota para o meio, tentando fugir da marcação do zagueiro Francis N´Ganga, 26 anos, do Tours (França). Ele conseguiu e finalizou forte, mas a bola, que tinha o ângulo direito de Mouko como endereço, explodiu num zagueiro congolês! Quase!

Até 15 minutos do 2º tempo

Imagem de Amostra do You Tube

Burquina Fasso insistia nos mesmos lances, jogadas pelas laterais e bola alçada na grande área, mas a defesa congolesa, que só se preocupava em não tomar gols, ao invés de encaixar contra-ataques, continuava muito bem postada. A paciência dos torcedores se esgotou num lance desses, pela esquerda. O lateral Herve Zengue, 28 anos, do Terek Grozny (Rússia), bastante acionado em todo o jogo, cruzou mais uma bola.

A pelota encontrou no momento certo a cabeça do atacante Moumouni Dagano, 31 anos, do Al Sailiya (Catar), que finalizou sem qualquer marcação, numa falha grotesca de Congo. Porém, ele pegou mal na bola e mandou para a linha de fundo, se desesperando com o gol perdido!

15 minutos até 35 minutos do 2º tempo

Imagem de Amostra do You Tube

Num dos últimos lances de perigo do ataque de Burquina Fasso, Dagano recebeu passe limpo, em posição legal, por trás da defesa congolesa, ficando livre e na cara do goleiro. Perto da pequena área e com Barel Mouko no chão, Dagano engrossou e chutou para fora, por cima, longe do gol de Congo! Até os companheiros do atacante burquinense levaram as mãos à cabeça! I-NA-CRE-DI-TÁ-VEL!

Perto do fim, Alain Traoré teve outra chance de bola parada, mas a finalização por cima da barreira parou no goleiro de Congo, que espalmou mais uma bola, evitando o gol dos donos da casa! Sem mais tempo para sair gol nesta movimentada partida, os dois países ficaram no 0 a 0, que frustrou os torcedores de Burquina Faso, principalmente pela incompetência de seus jogadores na hora de balançar as redes de um retrancado Congo!

35 minutos até o final

Imagem de Amostra do You Tube

Após a partida, o zagueiro burquinense Säidou Panandétiguiri, 28 anos, do Valletta (Malta), lamentou o empate dentro de casa: “Estamos chateados, pois criamos inúmeras chances, mas não conseguimos marcar. A seleção de Congo se reagrupava muito bem e estava bem sólida na defesa, com os jogadores atuando com inteligência. Foi um bom jogo, mas poderíamos ter marcado cinco gols. Podemos tirar algo de positivo, como nossa animação ofensiva, num período de reconstrução da equipe”, encerrou, em entrevista à imprensa de Congo.

O técnico de Congo, o francês Jean Guy Wallemme, 44 anos, que está no cargo desde 2011 (comanda ao mesmo tempo o Auxerre/França), reclamou da retranca de seu próprio time, achando que Congo poderia ter tido um resultado melhor se se lançasse mais ao ataque: “Vamos dar o melhor de nós e jogar um bom futebol diante de nossos torcedores [no jogo contra Níger, no próximo dia 9 de junho, em casa], mas também teremos de estar mais atentos e ser efetivos na defesa”, encerrou, em conversa ao mesmo órgão de imprensa.

Agora, Congo recebe Níger, em casa, dia 9 de junho de 2012, enquanto o Gabão vai jogar diante de sua torcida, recebendo Burquina Faso. Todos os quatro integrantes empataram seus jogos de estreia sem gols, num grupo que promete equilíbrio, mas nivelado por baixo.

Togo empata dentro de casa

O jogo válido pelo Grupo I da 2ª Fase das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo 2014 estava mais para Togo, que queria vencer e se igualar a Camarões na liderança, que derrotara a República Democrática do Congo por 1 a 0 (veja tudo sobre o jogo aqui – texto 2). A pressão inicial dos donos da casa deu resultado e a torcida, com 12.500 pessoas, comemorou cedo no estádio de Kégué (30 mil lugares), em Lomé, capital de Togo.

O atacante Kalen Damessi, 22 anos, do time reserva do Lille (França), conseguiu aparecer livre dentro da grande área, driblar o goleiro Muhammad Nashnoush, 23 anos, do Al Shat (Líbia), e tocar para as redes vazias! 1 a 0 Togo! Porém, a festa dos donos da casa durou exatamente oito minutos. Em boa jogada pela esquerda, o atacante Ahmed Osman, 32 anos, do Club Africain (Tunísia), encarou a marcação adversária e percebeu a infiltração do atacante Ahmed Zuway, 29, do Bizertin (Tunísia). O passe saiu na medida, no que Zuway finalizou muito bem, meio sem ângulo, no canto oposto do goleiro Baba Tchagouni, 21 anos, do Dijon (França)! 1 a 1 Togo versus Líbia!

Ainda no primeiro tempo, o zagueiro Serge Akapko, 24 anos, do Zilina (Eslováquia), foi para a área esperar cobrança de escanteio, aproveitou falha da defesa líbia, que não afastou, e finalizou na pequena área, sem ser atrapalhado. O goleiro já estava fora do lance, mas um zagueiro, em cima da linha, conseguiu desviar e impedir o segundo gol togolês! Incrível! No segundo tempo, os dois times tiveram chances, mas os goleiros demonstraram segurança e impediram qualquer modificação no placar, que ficou mesmo no 1 a 1!

Imagem de Amostra do You Tube

Após a partida, o técnico francês Didier Six, 57 anos, resolveu elogiar seus comandados: “Os jogadores estão de parabéns, pois fizeram um jogo muito bom. Estou desapontado com o placar, pois merecíamos algo melhor do que o empate. Poucos times conseguem jogar com tanta pressão sobre o adversário como fizemos hoje. Os próximos jogos serão melhores”, avisou.

Já o técnico brasileiro Marcos Paquetá, 53 anos, gostou do resultado: “Foi um ponto importante, pois Togo nos deu muito trabalho durante os 90 minutos. Não conhecíamos muito a equipe adversária, que não teve Emmanuel Adebayor [abandonou novamente a seleção, por problemas de organização], e sequer temos o campeonato nacional [está paralisado desde meados de fevereiro de 2012] para mantermos a forma física. Por tudo isso, o resultado não foi ruim”.

Com o empate, Togo e Líbia ficam na segunda posição do Grupo I, que tem a liderança de Camarões. No próximo dia 10 de junho de 2012, os togoleses visitam a República Democrática do Congo, enquanto mais tarde, no mesmo dia, a Líbia recebe Camarões, que tem todas as chances de conseguir a vaga à Fase Final das eliminatórias.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede