Ilhas Salomão faz dever de casa; Botsuana é surpreendida

Jogando em casa e com total apoio vindo das arquibancadas, as Ilhas Salomão sentiram o calor dos torcedores e conseguiram somar três pontos diante de Papua Nova Guiné. Mas a partida não foi tão fácil, mesmo com os papuanos sendo a força mais frágil da chave B. Nas eliminatórias africanas, Botsuana esperava uma vitória diante da República Centro Africana, mesmo jogando fora de casa, mas não foi o que aconteceu. Boa leitura!

Salomonenses vencem, mas ficam devendo

Não tinha quase mais nenhum espaço no barranco do estádio Lawson Tama, em Honiara, para acompanhar a partida principal da primeira rodada do Grupo B das Eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo 2014. Logo aos seis minutos do primeiro tempo, o zagueiro Hadisi Aengari, 23 anos, do Solomon Warriors (Ilhas Salomão), recebeu lançamento na direita do ataque e partiu em direção à grande área, sem marcação. Ele chegou a driblar um zagueiro adversário, mas adiantou e perdeu o domínio da bola já dentro da área.

Esperto, o atcante Benjamin Totori, 26 anos, do Koloale (Ilhas Salomão), recuperou a posse da pelota, deixou outro zagueiro, Valantine Nelson, 24 anos, sem clube, no chão, e finalizou com força, dentro da pequena área! A bola passou entre o goleiro Leslie Kalai, 26 anos, do Hekari United (Papua Nova Guiné), e a trave, no primeiro gol de Ilhas Salomão, 1 a 0!

Aos 27 minutos, Benjamin Totori fez outra grande jogada pela direita, deixou o zagueiro Koriak Upaiga, 24 anos, do Hekari United, para trás, avançou com a bola dominada e cruzou na segunda trave, para o meia James Naka, 27 anos, do Rewa (Fiji). Ele estava livre de marcação e finalizou, mas o quique da bola o atrapalhou. O chute de Naka acertou a trave oposta do gol de Papua Nova Guiné e voltou nas mãos de Leslie Kalai! Inacreditável!

Nos raros momentos em que a seleção papuana chegava, a defesa de Ilhas Salomão conseguia anular as finalizações. Numa delas, cobrança de falta da defesa para frente encontrou o famoso atacante Kema Jack, melhor jogador do time, de 30 anos, do Hekari United. Com  habilidade, ele tirou da jogada o atacante Henri Fa´arodo, 29 anos, do Team Wellington (Nova Zelândia), que tinha recuado para ajudar a defesa, e chutou forte e rasteiro! Porém, o zagueiro Nelson Sale Kilifa, 25 anos, do Amicale (Vanuatu), se esticou todo e conseguiu desviar de carrinho para escanteio!

Aos 38 minutos, Ilhas Salomão errou a pontaria mais uma vez. Em jogada que começou com Benjamin Totori, que fazia grande partida, a bola chegou para o meia Joses Nawo, 35 anos, do Koloale. Ele estava sem marcação e invadiu a área, finalizando antes que um zagueiro papuano pudesse se aproximar. Porém, ele pegou mal na bola, que passou perto da trave esquerda de Leslie Kalai!

No segundo tempo, cobrança de escanteio de Benjamin Totori  (sempre ele!), aos 16 minutos, por pouco não resultou no segundo gol salomonense. A bola passou por dois jogadores adversários na primeira trave e sobrou para o zagueiro Tome Faisi, de 30 anos, do Kossa FC (Ilhas Salomão). Ele finalizou do jeito que deu, totalmente desajeitado, mas a bola caprichosamente acertou o travessão! No rebote, a defesa de Papua Nova Guiné conseguiu afastar o perigo! Quase!

Imagem de Amostra do You Tube

Nas entrevistas após o jogo, os dois treinadores cobraram mais de seus atacantes. O auxiliar Laurent Papillon, de Ilhas Salomão, reclamou das chances perdidas: “Tivemos muitas oportunidades para matar o jogo, mas não conseguimos o segundo gol. Agora temos de nos recuperar dessa difícil partida e espero que possamos marcar mais gols no próximo jogo, porque se não aproveitarmos nossas chances, isso será um grave problema à medida que o campeonato se afunila”.

Já o australiano Frank Farina, de Papua Nova Guiné, lamentou a falha da defesa no gol de Ilhas Salomão: “Demos o primeiro gol para o adversário muito facilmente, foi um grave erro defensivo que Ilhas Salomão soube aproveitar. Com 1 a 0 de desvantagem tão cedo, a pressão caiu toda para nós, que conseguimos nos defender bem. O problema foi quando tínhamos a posse da bola, porque não conseguimos criar situações de gol”, encerrou.

No próximo dia 4 de junho de 2012, Papua Nova Guiné vai encarar nada mais nada menos do que a forte Nova Zelândia, que vai querer mostrar serviço depois de apenas 1 a 0 diante de Fiji. Já Ilhas Salomão vai receber os fijianos num confronto que pode decidir a segunda vaga da chave. Quem perder estará fora do sonho de chegar ao Brasil 2014!

República Centro Africana alcança fato inédito

Quando os jogadores dos dois países adentraram o gramado do estádio Barthelemy Boganda (20 mil lugares), em Bangui, capital da República Centro Africana, a impressão do público era de que os visitantes eram favoritos e provavelmente venceriam a partida, válida pelo Grupo A das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo 2014. O principal motivo para se pensar nesse resultado era que os donos da casa jogaram em toda a história das eliminatórias apenas duas partidas, ambas derrotas frente a Zimbábue, no qualificatório de 2002.

Outro fator era o recente pedido de demissão do técnico da República Centro Africana, o francês Jules Accorsi, por falta de pagamento dos salários. Claro que Botsuana também tinha seus problemas, e não eram poucos. Como o Plano Tático mostrou, os jogadores cobravam da federação  os prêmios pela classificação à Copa Africana de Nações 2012, ameaçando rejeitar convocações futuras (veja mais detalhes aqui). As duas equipes nunca havia se enfrentado na história, o que dava ao jogo um caráter obscuro.

Porém, havia um jogador na República Centro Africana que roubaria a cena, dando a vitória a seu país, a primeira na história das eliminatórias! Aos 18 minutos do primeiro tempo, o atacante Foxi Kéthevoama, de 26 anos, do Astana (Cazaquistão), um dos poucos atletas a defender um time de primeira divisão da Europa, abriu o marcador diante de Botsuana. No início do segundo tempo, por volta dos 12 minutos, o mesmo atleta voltou a balançar as redes, decretando a vitória de 2 a 0 a favor da República Centro Africana!

O triunfo dá esperanças ao país africano, mas todos sabem que a maior força da chave é a África do Sul, que estreia amanhã, 3 de junho de 2012, diante da Etiópia, dentro de casa. Mesmo assim, quem sabe os centro-africanos não conseguem surpreender? Já Botsuana parece ter dado adeus às chances de classificação, pois não poderia ter pedido pontos dessa maneia. A única vaga do Grupo A deverá ficar com os sul africanos!

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede