Japão goleia Jordânia; Canadá derrota Cuba

Na Ásia, os japoneses contavam com mais três pontos para disparar na liderança do Grupo B e colocar pressão na Austrália, na disputa pela primeira posição. Conseguiram bem mais do que isso e agora dependem de um bom resultado diante dos australianos para ficar muito perto da liderança da chave ao final das eliminatórias. Na Concacaf, a abertura da 3ª Fase das eliminatórias teve o Canadá, que não é lá essas coisas, derrotar Cuba, na casa do adversário. Boa leitura!

Japão não dá chances para a Jordânia

Privilegiado por ser a principal força da Ásia, os japoneses encararam as duas seleções mais fracas do Grupo B nas rodadas iniciais, ambos os jogos dentro de casa. Depois da incrível facilidade na vitória de 3 a 0 sobre Omã (veja tudo aqui – texto 1), foi a vez de os japoneses encararem a Jordânia, que havia empatado em 1 a 1 com o Iraque, em casa (veja os lances da partida – texto 2) em outro grande passeio. A torcida japonesa também foi um espetáculo à parte, conseguindo o segundo maior público da 4ª Fase das eliminatórias, com 60.874 torcedores presentes ao estádio Saitama 2002 (63.700 lugares) – o maior também é dos japoneses, no jogo diante de Omã, com 63.551 torcedores.

Logo aos 19 minutos do primeiro tempo, o meia Keisuke Honda, 25 anos, do CKSA Moscou (Rússia), cobrou escanteio pela direita. A bola foi colocada no meio da grande área, com uma curva para fora do gol, o que enganou o goleiro Amer Shafia, 30 anos, do Al Wahdat (Jordânia), que deixou sua meta para tentar afastar de soco. Fora do lance, ele só pôde observar                 o atacante Ryoichi Maeda, 30 anos, do Jubilo Iwata (Japão), ganhar do meia Saeed Morjan, 22 anos, do Al Arabi (Jordânia), e finalizar no alto, sem chances para Shafia! A bola ainda resvalou no travessão… 1 a 0 Japão!

Aos 21 minutos, a Jordânia perdeu a posse da bola ainda no campo de defesa e permitiu uma jogada rápida dos japoneses. O meia Yasuhito Endo, 32 anos, do Gamba Osaka (Japão), mostrou muita visão de jogo e deu passe para Keisuke Honda no corredor. O habilidoso meia do CSKA Moscou deixou dois marcadores jordanianos para trás, o último deles o zagueiro Bashar Bani Yaseen, 35 anos, do Al Wahdat, tocando na saída de Amer Shafia, com muita facilidade! 2 a 0 Japão!

Os visitantes não conseguiam sair do campo de defesa e tomavam pressão durante todo o tempo. Aos 27 minutos, o técnico iraquiano da Jordânia, Adnan Hamad, 51 anos, deve ter ficado uma fera com o atacante Abdallah Deeb, 25 anos, do Al Wahdat. Uma das esperanças de gols dos jordanianos levou dois cartões amarelos em dois minutos e acabou expulso pelo árbitro sul coreano Kim Dong Jin, prejudicando sua equipe, que aí perdeu a pouca força ofensiva que restava.

Apenas dois minutos depois, o Japão atingiu os 3 a 0 no marcador. O atacante Shinji Okazaki, 26 anos, do Stuttgart (Alemanha), recebeu lançamento na direita, já dentro da área. Ele dominou com facilidade, cortou para dentro, driblando o zagueiro Basem Othma, 30 anos, do Al Wahdat, e finalizando! Porém, a bola bateu no zagueiro jordaniano e sobrou limpinha para Keisuke Honda na segunda trave, que se esticou todo para empurrar a bola para as redes! 3 a 0 Japão, com dois gols de Honda!

Com 35 minutos, a sorte estava toda do lado dos donos da casa. A bola foi alçada na grande área e, por mais que a defesa jordaniana ganhasse no alto dos japoneses, a pelota sempre ficava em posse do adversário. Até que ela chegou ao lateral Atsuto Uchida, 24 anos, do Schalke 04 (Alemanha), na entrada da área. Solidário, ele serviu a nova estrela japonesa, o atacante Shinji Kagawa, 23 anos, do Manchester United (Inglaterra), que finalizou no canto direito de Shafia, sem chances para o goleiro. O zagueiro Khalil Bani Attiah, 21 anos, do Ai Faisaly (Jordânia), estava na frente da bola, na linha do gol, mas não conseguiu impedir que a ela adentrasse as redes jordanianas – que curva a pelota fez! 4 a 0 Japão, com extrema facilidade.

No segundo tempo, talvez o ímpeto do Japão diminuísse um pouco, haja vista o amplo placar conquistado na etapa inicial, mas nada disso aconteceu. Os visitantes até tiveram algumas chances de diminuir o prejuízo no início, mas o goleiro Eiji Kawashima, 29 anos, do Lierse (Bélgica), conseguiu impedir o gol da Jordânia. Logo aos sete minutos, Khalil Bani Attiah cometeu falta em Ryoichi Maeda dentro da área, em que o árbitro Kim Dong Jin assinalou pênalti. Na cobrança, Keisuke Honda bateu praticamente no meio do gol, ao passo que Amer Shafia escolheu o lado direito, para fazer seu terceiro na partida! 5 a 0 Japão!

Depois do gol, os japoneses diminuíram o ritmo, enquanto os jordanianos pareciam satisfeitos com a goleada de 5 a 0, temendo ir ao ataque e levar mais gols, já que estavam com dez jogadores em campo desde os 27 minutos do primeiro tempo. Quando todos achavam que o placar seria esse mesmo, o Japão ainda encontrou mais um gol. Em cobrança de escanteio curta, o lateral Yuto Nagatomo, 25 anos, da Internazionale de Milão (Itália), recebeu passe em amplas condições de mandar para a área. Ele levantou a bola na segunda trave e o meia Kengo Nakamura, 31 anos, do Kawasaki Frontale (Japão), não desperdiçou.

Ele ganhou no alto do zagueiro Mohammed Al Dmeiri, 24 anos, do Al Wahdat, se apoiando no adversário, e cabeceou para baixo, sem chances para Amer Shafia, que reclamou muito da falta de Nakamura, que realmente aconteceu! Mas o gol foi validado! 6 a 0 Japão, PLACAR FINAL!

Imagem de Amostra do You Tube

Depois da partida, o técnico italiano do Japão, Alberto Zaccheroni, estava radiante com sua equipe: “Pedi aos jogadores para que tivessem mais pontaria do que na partida diante de Omã, e eles conseguiram. A Jordânia quer ir à Copa do Mundo, mas nós também sonhamos com uma das duas vagas diretas ao Brasil 2014”, disse.

Sobre Honda, Zaccheroni brincou, dizendo que não quer que o atleta do CSKA Moscou se “sinta satisfeito com seu desempenho contra a Jordânia, e trabalhe para fazer mais gols. Sei que é natural o time relaxar depois de 2 a 0 em 21 minutos, mas os atletas fizeram o que eu falo sempre: ‘jogue a partida como se estivesse 0 a 0’”, encerrou o italiano, que ainda disse respeitar muito a força de vontade da Jordânia no jogo, mesmo quando a vitória japonesa já estava sacramentada.

Por sua vez, Adnan Hamad disse que seus jogadores “estavam cansados, mas que a preparação para a partida foi de acordo com que eu esperava. Nos conhecemos muito bem, sabemos o que o Japão pode fazer e eles sabem do nosso time. Até prefiro jogar contra o Japão, sabíamos que seria um jogo difícil”, lamentou.

Na Terceira rodada das Eliminatórias Asiáticas para a Copa do Mundo 2014, o Japão terá seu jogo teoricamente mais difícl da Fase Final. Os nipônicos encaram no próximo dia 12 de junho de 2012 (terça-feira), a Austrália, fora de casa. Uma vitória japonesa praticamente garante a equipe em uma das duas vagas diretas ao Mundial, já que os australianos perderam pontos diante de Omã, no 0 a 0 fora de casa. Já a Jordânia, que tem um ponto e está na lanterna da chave, vai folgar nessa terceira rodada, voltando a jogar apenas no próximo dia 11 de setembro de 2012, contra a Austrália, em casa.

Canadá começa com vitória fora de casa

Na estreia de cubanos e canadenses na 3ª Fase das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2014, os visitantes, apesar de terem começado as disputas na etapa anterior, enquanto Cuba estava pré-classificada, levaram a melhor e venceram o jogo. O Canadá, do técnico de Trinidad & Tobago Stephen Hart, 52 anos, que trabalha nas divisões de base canadenses desde 2004 (passou por sub-17, sub-20, auxiliar técnico e interino, estes dois últimos da seleção principal), logicamente tem uma equipe muito mais experiente, com apenas dois atletas atuando em clubes do país, ambos pelo Toronto, que disputa a Major League Soccer dos Estados Unidos.

Antes do jogo, o veterano atacante Dwayne de Rosario, 34 anos, do DC United (Estados Unidos), assumiu o favoritismo diante do adversário: “Depois de México e Estados Unidos, creio que temos um elenco muito bom. Temos jogadores atuando em várias partes do mundo, jogando de forma e nível diferentes. O nosso problema é juntar todo mundo em pouco tempo, sem ter o luxo de jogar muitos amistosos, e deixar todo mundo no mesmo nível.

Já Cuba, comandada pelo técnico local Chandler González, 38 anos, estava confiante num bom futuro, mas a médio-longo prazo. Tudo porque, sob o regime da família Castro, todos os jogadores da seleção principal atuam no obscuro futebol do país, praticamente falido e sem nenhuma importância internacional na atualidade. A ideia do treinador era promover sete ou oito atletas do time sub-23, que participou do Pré-Olímpico da Concacaf (Cuba passou da 1ª Fase, mas caiu no Grupo A, com um ponto apenas, justamente diante do Canadá; perdeu para Estados Unidos e El Salvador).

Diante da falta de informação vinda de Havana, capital de Cuba, não se sabe o número de espectadores que estiveram presentes ao estádio Pedro Marrero (20 mil lugares). Com a presença de canadenses em Havana, numa praça de jogo parada no tempo, os visitantes é que organizaram a primeira jogada de perigo. O atacante Olivier Occean, 30 anos, do Greuther Fürth (Alemanha), deu início à troca de passes, depois de receber lançamento da defesa. Ele tocou de cabeça para trás, encontrando o meia Will Johnson, 25 anos, do Real Salt Lake (Estados Unidos) , na entrada da área. Ao invés de finalizar, ele tocou na esquerda, para Dwayne de Rosario, que estava aberto e dentro da área.

De Rosario ajeitou a bola e bateu cruzado, contando com o desvio de algum canadense no meio do caminho. Olivier Occean apareceu, mas foi surpreendido pelo desvio do goleiro Odisnel Cooper, 20 anos, do Ciudad La Habana (Cuba), que modificou a trajetória da bola! Quase!

Aos 30 minutos, foi a vez de Cuba levar perigo, levantando a torcida presente em razoável número. O atacante Ariel Martínez, 26 anos, do Sancti Spíritus (Cuba), recebeu passe na entrada da área e estava cercado por três jogadores do Canadá. Mesmo assim, o cubano não se intimidou e partiu para cima, passando por todos eles com grande facilidade. Martínez finalizou já dentro da área, mas o goleiro Lars Hirschfeld, 33 anos, do Valerenga (Noruega), saltou e fez a intervenção, espalmando para escanteio!

Aos 38 minutos, o atacante canadense Tosaint Ricketts, 24 anos, do Politehnica Timisoara (Romênia), recebeu ótimo passe na direita e conseguiu evitar a marcação do zagueiro Yoel Colome, 29 anos, do Ciudad La Habana. Com espaço, ele finalizou forte, mas a bola foi por cima do gol. Já nos acréscimos da primeira etapa, Dwyane De Rosario recebeu cruzamento dentro da área, mas falhou ao tentar cabecear. Na sobra, a zaga cubana não afastou e a bola sobrou limpa para o atacante canadense, que pegou firme, de frente para o goleiro Odisnel Cooper! Ele saltou, mas deu sorte que a bola tocou no travessão! Quase gol do Canadá!

No início do segundo tempo, os cubanos começaram perdendo mais uma chance de inaugurar o marcador. Ariel Martínez recebeu passe dentro da grande área, mas não conseguiu finalizar. No entanto, ele deu sequência ao lance, e tentava driblar o zagueiro Ante Jazic, 36 anos do Chivas USA (Estados Unidos). Porém, Ariel Martínez acabou escorregando, mas o meia Alberto Goméz, 24 anos, do FC Guantánamo (Cuba), acompanhava o lance um pouco atrás e consertou a jogada. Ele tinha espaço para finalizar e o fez, mas pegou torto na bola, que nem chegou a sair!

Aos dez minutos, a equipe mais talentosa conseguiu o gol. Em boa jogada pela direita do ataque canadense, a bola chegou para o lateral David Edgar, 25 anos, do Burnley (Inglaterra), que mandou para a grande área. A bola viajou até a cabeça de Olivier Occean, que subiu com estilo e finalizou no alto, tirando de Odisnel Cooper! 1 a 0 Canadá! Tudo agora parecia tranquilo para os visitantes, mas um lance inusitado, ocorrido aos 19 minutos, deu um sabor de adrenalina ao jogo. Lançamento longo vindo da defesa estava mais para Lars Hirschfeld, que saiu do gol para fazer a defesa.

Ele chegou a pegar a bola com as duas mãos, mas cometeu um erro infantil ao sair da área ainda segurando a pelota! Hirschfeld tentou enganar o árbitro jamaicano Courtney Campbell soltando-a, mas a falta ficou clara. O resultado é que o goleiro canadense acabou expulso diretamente, prejudicando demais a sua equipe! Que lambança! Já no finalzinho do jogo, aos 41 minutos, o meia Atiba Hutchinson, 29 anos, do PSV Eidhoven (Holanda), encaixou contra-ataque e abriu na esquerda, para Dwayne de Rosario. Ele dominou, já dentro da área, e finalizou forte, mas Odisnel Cooper conseguiu espalmar para escanteio! Sem forças para reagir, os cubanos sucumbiram diante dos canadenses!

Imagem de Amostra do You Tube

Em entrevista coletiva após a vitória, Stephen Hart elogiou a equipe cubana: “Foi uma partida difícil, pois Cuba estava bem organizada dentro de campo e teve suas chances no primeiro tempo. Tivemos de jogar mais atrás e acabamos fazendo o gol. Cuba tirará pontos dos outros adversários em Havana durante as eliminatórias”, encerrou o técnico trinitino.

Agora, Cuba, que andou disputando amistosos contra equipes brasileiras no interior paulista para se preparar para as eliminatórias, terá de buscar pontos fora de casa se quiser manter chances de classificação ao Hexagonal Final – os dois primeiros de cada um dos três grupos avançam. A próxima partida dos cubanos será em 12 de junho, diante do Panamá, que surpreendeu Honduras, fora de casa, e lidera o Grupo C. O Canadá joga no mesmo dia, recebendo Honduras.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede