Mesmo com problemas, Chile vence; México também leva a melhor

Na América do Sul, os chilenos tiveram de deixar de lado todos os problemas extra-campo envolvendo indisciplina de jogadores e cobrança ao técnico argentino Claudio Borghi para jogar com a Venezuela. Acabaram vencendo, mesmo fora de casa, e agora lideram as eliminatórias. Na Concacaf, o México passou sufoco, mas derrotou El Salvador, mesmo fora de casa. Boa leitura!

Chile passa pela Venezuela

Os chilenos fazem boa campanha nas Eliminatórias Sul Americanas para a Copa do Mundo 2014, mas isso não quer dizer que Claudio Borghi, que substituiu ao compatriota Marcelo Bielsa no comando da seleção, em fevereiro de 2011, não tenha problemas. O lateral Arturo Vidal, 25 anos, da Juventus (Itália), e o atacante Eduardo Vargas, 22 anos, do Napoli (Itália), foram flagrados por câmeras numa boate, às quatro horas da madrugada, o que resultou na expulsão de ambos da delegação por Borghi, pelo menos num primeiro momento – somente Vidal jogou a partida.

O treinador vem sendo muito criticado pela imprensa, mas procura se defender: “Todos pensam que o que essa seleção tem de bom, é coisa do Bielsa, e tudo que tem de ruim, é culpa minha. O Chile tinha outras opções de técnicos, mas escolheu a mim. Chama a atenção que todo mundo fala de meu trabalho, mas ninguém acompanha. Tive a possibilidade de comandar a seleção antes de Bielsa [atual técnico do Athletic de Bilbao, da Espanha], mas não tinha experiência na época. Com a saída dele, não achei que teria a chance, mas o presidente me chamou e aqui estou”.

Um dos reconvocados, Arturo Vidal, procurou fazer média com o chefe: “Não temos que ficar falando de Marcelo Bielsa, pois ele está em outro time, num outro país. Borghi tem feito as coisas melhor do que ele até agora, é um treinador muito bom. Sentimos como se ele fosse nosso pai. Sentimo-nos como número 1 das eliminatórias e vamos seguir assim”, encerrou o atleta.

Na Venezuela, também houve problemas, mas para a compra dos ingressos no estádio José Antonio Anzóategui (37.485 lugares), em Puerto la Cruz, no norte do país. Quando as entradas se esgotaram, haviam 10 mil pessoas desde de manhã na fila esperando para adiquirir seus lugares, o que as revoltou. A polícia precisou intervir e houve muito corre-corre e depredações. No fim, o borderô oficial da FIFA atestou 35 mil presentes.

Logo aos 23 segundos de partida, o atacante José Salomón Rondón, 22 anos, do Málaga (Espanha), levou perigo à defesa chilena. Ele fez boa jogada pela esquerda, driblou o zagueiro Osvaldo González, 29 anos, da Universidad de Chile (Chile), e finalizou da entrada da área, mas a bola fora, sem sustos para o ótimo goleiro Claudio Bravo, 29 anos, da Real Sociedad (Espanha). Aos 13 minutos, a Venezela balançou as redes chilenas…

Em cobrança de falta para dentro da área, a bola foi desviada por um atleta da casa, sobrando para o zagueiro Grenddy Perozo, 26 anos, do Olimpo (Argentina). Da pequena área, ele nem precisou subir para desviar para o gol, sem chances para Bravo! Porém, o árbitro colombiano Hernando Buitrago anulou o gol, por impedimento – e acertou! Mesmo assim, os donos da casa continuavam pressionando, enquanto o Chile tinha direito a poucos momentos de ofensividade, com chutes de fora da área que não levavam nenhum perigo ao goleiro Renny Vega, 32 anos, do Colo Colo (Chile). Aos 35 minutos, o zagueiro Roberto Rosales, 23 anos, do Twente (Holanda), levantou bola na área procurando Rondón, que só não conseguiu finalizar por causa da saída do gol de Bravo, que fez a defesa em dois tempos!

Antes do intervalo, Rondón teve duas boas chances de cabeça, mas não conseguiu mandar na direção do gol, para sorte do Chile. No segundo tempo, a primeira grande chance foi dos visitantes. O atacante Alexis Sánchez, 23 anos, do Barcelona (Espanha), fez ótima jogada pela esquerda e tocou para o companheiro de posição Humberto Suazo, 31 anos, do Monterrey (México). Já dentro da área, o chileno finalizou bonito e com força, mas a bola explodiu na trave! Quase!

Aos 30 minutos, o goleiro Renny Vega fez uma excelente defesa. O meia Matías Fernández, 26 anos, do Sporting Lisboa (Portugal), caminhou com a bola dominada até a entrada da área, pelo lado esquerdo, e cruzou para Humberto Suazo, que aparecia na segunda trave com extrema liberdade. Porém, a bola tocou no peito do zagueiro Oswaldo Vizcarrondo, 28 anos, do América (México), enganando Vega, que já se preparava para cortar o lançamento. Sorte que ele percebeu e voltou a tempo para desviar a bola para escanteio, antes que ela adentrasse as redes venezuelanas!

Aos 32 minutos, Alexis Sánchez fez boa tabelinha com Matías Fernández, durante um escanteio pela esquerda, servindo o companheiro, que chutou na diagonal, em mais uma bola na trave da Venezuela! Aos 40 minutos, o Chile finalmente venceu a defesa adversária… Alexis Sánchez mais uma vez armou jogada com Matías Fernández, lançando o companheiro dentro da área. Fernández se livrou de Oswaldo Vizcarrondo com certa facilidade e chutou cruzado, rasteiro. A bola poderia ser defendida por Renny Vega, mas Grenddy Perozo deu um carrinho e mudou-lhe a trajetória, indo a pelota parar nas redes! 1 a 0 Chile!

Aos 46 minutos, o atacante Sebastián Pinto, 26 anos, do Busaspor (Turquia), fez linda tabelinha com o meia Charles Aránguiz, 23 anos, da Universidad de Chile (Chile), recebendo na direita e ultrapassando com facilidade o zagueiro Gabriel Cichero, 28 anos, do Caracas (Venezuela). Pinto não conseguiu finalizar, mas a bola sobrou limpa para Aránguiz mandar para as redes e matar o  jogo! 2 a 0 Chile, PLACAR FINAL!

Imagem de Amostra do You Tube

Com a derrota, os venezuelanos ligaram o sinal de alerta: “Temos de estar cientes de que com essa maneira de jogar que mostramos hoje, não vamos alcançar o objetivo da Copa do Mundo 2014. Estamos muito bem como visitantes, e também dentro de casa. Hoje falhamos e é impossível que deixemos escapar pontos em casa”, disse Grenddy Perozo.

O técnico venezuelano César Farías, 39 anos, lamentou a falta de cinco atletas considerados titulares, mas completou dizendo que isso é normal e que “devemos estar preparados para a ausência de qualquer atleta”.

Ao final da sexta rodada, o Chile é quem lidera a tabela, com 12 pontos em seis jogos, seguido de Uruguai (11 pontos em cinco partidas) e Argentina (dez pontos em cinco rodadas). A Venezuela ficou na quinta posição, na zona de repescagem, com oito pontos em seis partidas, e terá de disputar uma vaga com Equador e Colômbia, que por enquanto vai sobrando, na sexta posição, mas com sete pontos em cinco rodadas. Na próxima partida, em 7 de setembro de 2012, o Chile vai receber a Colômbia, em Santiago, enquanto a Venezuela fará as vezes de visitante diante do Paraguai.

México consegue vencer, mas passa aperto

El Salvador começou muito bem a caminhada na 3ª Fase das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2014, com um bom empate diante da Costa Rica, por 2 a 2, fora de casa (veja os gols da partida – texto 2), diferente do México, que, apesar da vitória de 3 a 1 sobre Guiana (veja os principais lances – texto 2), jogou muito abaixo do que se espera da maior seleção da região. Jogando no estádio Cuscatlán (45 mil lugares), em San Salvador, capital salvadorenha, os 29.712 torcedores, maioria dos donos da casa, acreditavam num bom resultado.

No dia da partida, os jornais do país cobriam atentamente o evento, tentando inflamar os torcedores a torcerem por sua seleção, mesmo sabendo da superioridade do adversário. O jornal El Gráfico, por exemplo, um dos maiores de El Salvador, estampou na capa a seguinte frase: “No Cuscatlán nada nos morde”, um resumo do clima que os mexicanos encontrariam.

O técnico mexicano José Manuel de la Torre, 46 anos, sabia das dificuldades de San Salvador: “Temos que estar preparados para tudo e entendemos que será assim, além de termos de nos adaptar às circunstâncias”, disse o profissional, em alusão a uma “serenata” protagonizada por torcedores salvadorenhos durante toda a noite, de frente para o hotel onde a seleção mexicana estava hospedada.

O técnico uruguaio Rubén Israel, 56 anos, falava da importância de vencer em casa: “As eliminatórias se definem ganhando em casa, temos que somar pontos em todas as partidas. Já conseguimos um ponto valioso contra a Costa Rica e agora jogaremos por mais três contra o México, em nossa casa. Temos de jogar organizados, respeitando o adversário e preocupando com nós mesmos”, disse antes da partida.

A primeira grande chance do jogo ficou a cargo dos visitantes. Aos 19 minutos do primeiro tempo, o meia Pablo Barrera, 24 anos, do West Ham United (Inglaterra), recebeu passe ainda no meio campo e disparou com a bola dominada. Ele deixou dois salvadorenhos para trás e, perseguido por outros três, invadiu a grande a área, mas finalizou mal, ao tirar muito do goleiro Benji Villalobos, 23 anos, do Águila (El Salvador), que saiu bem e atrapalhou o mexicano!

Logo depois, o meia Jaime Alas, 22 anos, do Luis Ángel Firpo (El Salvador), fez boa jogada pela direita e ia passando pelo lateral esquerdo Carlos Salcido, 32 anos, do Tigres UANL (México), que fez falta perto da grande área. O zagueiro Alfredo Pacheco, 29 anos, do Isidro Metapán (El Salvador), cobrou a infração, mas não levou perigo ao gol mexicano.

Na segunda etapa, por volta dos 15 minutos, o zagueiro Francisco Rodríguez, 30 anos, do Stuttgart (Alemanha), deu ótimo passe para o meia Jesús Zavala, 24 anos, do Monterrey (México). Ele aproveitou a enorme falha da defesa de El Salvador, que não prestou atenção na marcação, invadiu a grande área e tocou na saída de Benji Villalobos! 1 a 0 México, com extrema facilidade!

Apenas quatro minutos depois, El Salvador alcançou a igualdade… Alfredo Pacheco cobrou falta na entrada da área com maestria e colocou no canto direito do goleiro José de Jesús Corona, 31 anos, do Cruz Azul (México). 1 a 1 El Salvador versus México! Aos 37 minutos, o meia Édgar Andrade, 24 anos, do Jaguares (México), cobrou falta e colocou a bola na área, mas muitos atletas dos dois times não conseguiram tocá-la.

Já na pequena área, o zagueiro Héctor Moreno, 24 anos, do Espanyol (Espanha), que havia feito o gol contra na partida contra Guiana, cabeceou à queima-roupa de Benji Villalobos, que conseguiu desviar no susto. Porém, sem querer, a bola voltou a tocar em Moreno e morreu no fundo das redes! 2 a 1 México, PLACAR FINAL!

Imagem de Amostra do You Tube

Após o jogo, Édgar Andrade resumiu o que a torcida deve esperar dos mexicanos na competição: “Não demonstramos bom futebol, mas nas eliminatórias tem é que se ganhar de qualquer jeito, para estar no Mundial 2014. Temos demonstrado personalidade nos momentos difíceis e isso é que conta. Espero poder ajudar mais meu país nas próximas convocações”, encerrou o animado jogador.

Mesmo com a derrota, Rubén Israel acredita que sua equipe pode chegar ao Mundial 2014, que seria o terceiro da história de El Salvador, que esteve nas edições de 1970 e 1982: “Perdemos para uma grande equipe, com a qual jogamos de igual para igual. Mantivemos o mesmo nível a partida toda e isso vai nos ajudar nos próximos compromissos, que são diante de Guiana. Se conseguirmos as duas vitórias, poderemos estar bem posicionados para as rodadas finais. Jogamos um futebol sólido e temos de continuar crescendo. O Brasil 2014 ainda é uma possibilidade, há esperança”, encerrou.

Com a derrota, El Salvador ficou com apenas um ponto em dois jogos, enquanto o México lidera o Grupo B, com 100% de aproveitamento em mesmo número de partidas. A Costa Rica, que goleou Guiana por 4 a 0, fora de casa, vem em segundo, com quatro pontos. A próxima rodada, a ser disputada em 7 de setembro de 2012, terá Costa Rica versus México e El Salvador contra Guiana, em casa.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede