Namíbia vence Quênia e está na briga

Os namibianos queriam mostrar serviço após a derrota de 1 a 0 para a Nigéria, com um gol aos 35 minutos do segundo tempo (veja o lance – texto 2), resultado que de certa forma agradou ao técnico local Bernard Kaanjuka, que é interino. O comandante da Namíbia disse, em entrevista à imprensa local, que esperava um ótimo público para a partida diante de Quênia:

“Quero ver mais de 15 mil pessoas no estádio. Este é o nosso orgulho e queremos vencer dentro de casa, por isso o apoio do torcedor será crucial. O Grupo F não será fácil e precisamos estar motivados, assim como os torcedores. Precisamos vencer esse jogo e para isso contamos com o apoio da nação”, convocou.

O jovem goleiro Virgil Vries, 21 anos, do Carara Kicks (África do Sul), estava entuiasmado para o jogo: “Na imprensa da Nigéria, seríamos abatidos por eles, que falaram demais antes da partida. Como azarões, jogamos muito bem, mas perdemos no final. Nossa defesa foi bem compacta até o momento do gol, mas tenho confiança em meus companheiros, pois estamos no melhor momento como seleção desde muitos anos”, comentou.

Do lado dos visitantes, o atacante Dennis Oliech, 27 anos, do Auxerre (França), esperava melhor desempenho do setor ofensivo: “Temos falhado em marcar os gols necessários para sairmos das partidas com vitórias, mas estamos em boa forma para aprontar uma surpresa”, avisou.

O jogo

A partida, disputada no pequeno estádio San Nujoma (25 mil lugares), em Windhoek, capital da Namíbia, contou com público razoável, de 12 mil torcedores, bem abaixo do que se esperava para um jogo tão importante. No primeiro tempo, a Namíbia poderia ter inaugurado o placar em duas oportunidades, mas o goleiro Origi Otieno, 28 anos, do Ullensaker/Kisa (Noruega), manteve Quênia na partida, fazendo excelentes de defesas em finalizações dos atacantes. Heini Isaacks, 27 anos, do Civics (Namíbia), e Tangeni Shipahu, 24 anos, do Amazulu (África do Sul)!

Porém, a primeira chance foi dos quenianos, nos minutos iniciais, mas o zagueiro Bryan Mandela, 17 anos, do Tusker FC (Quênia), cabeceou por cima do gol! O primeiro tempo foi de muitas ocasiões de gol para as duas equipes, mas os goleiros se deram bem. Virgil Vries também fez sua defesa, aos 38 minutos, tirando de soco uma bola alçada na área, que tinha como endereço a cabeça do zagueiro Joseph Shikokoti, 26 anos, do Tusker FC.

O segundo tempo teve a Namíbia mais ofensiva, em busca do gol que deixaria a seleção nacional na vice-liderança da chave. Quênia, por outro lado, mostrava a sólida defesa, que só sucumbiu na metade final da partida… Aos 30 minutos, a Namíbia finalmente conseguiu seu gol. O lateral Larry Horaeb, 20 anos, do SK Windhoek (Namíbia), conseguiu bom cruzamento pela direita, encontrando a cabeça do atacante Henrico Botes, 31 anos, do Platinum Stars (Namíbia), que mandou para as redes quenianas, sem chances para o goleiro Origi Otieno! 1 a 0 Namíbia, PLACAR FINAL!

Após a partida, os dois lados obviamente tinham sentimentos opostos, num desapontamento claro do técnico local de Quênia, Francis Kimanzi, 36 anos: “Claro que estamos tristes, pois merecíamos pelo menos um ponto nessa partida, mas sei que falhamos. Agora é hora de voltar ao planejamento e pensar nos próximos jogos. Foi uma partida difícil, em que a Namíbia demonstrou ofensividade, por jogar em casa. No final, eles foram premiados com o gol e a vitória, o que é frustrante para nós”, lamentou. Dias depois, ele foi oficialmente demitido do cargo de treinador de Quênia, que ainda procura um substituto.

Por outro lado, Bernard Kaanjuka estava eufórico: “Nem tenho palavras para descrever esse momento especial em minha vida. A vitóra nos trouxe alívio para nós mesmos e para a campanha nas eliminatórias. Precisávamos da vitória nesse jogo e conseguimos, então, é hora de seguir em frente”, disse o animado treinador, que encerrou afirmando estar certo de que o caminho da seleção namibiana está correto: “Estamos aprendendo muito como equipe e evoluímos, ganhamos maturidade, para sermos o que somos hoje. Estou orgulhoso de que podemos encarar de igual para igual os melhores da África”, disse o confiante treinador.

O Grupo F, que tem a Nigéria como principal força e grande favorita à vaga na Fase Final das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo 2014, conta com a liderança das Super Águias, que somam quatro pontos. Porém, a Namíbia promete brigar pela vaga e tem condições para isso, pois aparece em segundo, com três pontos. Completam a classificação Malaui, com dois, e a lanterna Quênia, que tem apenas um. No próximo dia 22 de março de 2013, a Nigéria recebe Quênia, enquanto Malaui vai até a Namíbia enfrentar os donos da casa.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede