Nova Zelândia derrota Fiji pelo placar mínimo; Quênia empata

Na estreia das duas equipes do Grupo B das Eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo 2014, os favoritíssimos neozelandeses tiveram dificuldades para passar por Fiji, mas conseguiram os importantes três pontos. Na África, os quenianos esperavam derrotar Malaui, mas falharam dentro de casa. Boa leitura!

Nova Zelândia vence, mas desaponta

De acordo com a Confederação de Futebol da Oceania, um público de 15 mil pessoas – a maioria no barranco, pois o estádio Lawson Toma tem poucas arquibancadas de madeira, acompanharam os dois jogos da rodada da chave B. Logo aos nove minutos do primeiro tempo, a Nova Zelândia teve direito à cobrança de falta, pelo lado esquerdo. A distância até o gol era considerável, mas o meia Leo Bertos, 30 anos, do Wellington Phoenix (Nova Zelândia), que joga na liga australiana, resolveu arriscar.

Ele bateu sem muita força, mas a bola quicou centímetros antes de chegar às mãos do goleiro Simione Tamanisau, 29 anos, do Lautoka (Fiji), que estava preparado para encaixar a bola com facilidade. A pelota explodiu em seu peito e sobrou limpa para o zagueiro e capitão neozelandês Tommy Smith, 22 anos, do Ipswich Town (Inglaterra), só tocar para as redes e sair comemorando! 1 a 0 Nova Zelândia, em falha do goleiro fijiano. Ele esperava a falha do adversário, que aconteceu.

Aos 20 minutos, os neozelandeses chegaram ao ataque por meio de um lançamento longo vindo da defesa. Um atleta dos All Whites dominou e percebeu a movimentação do atacante Shane Smeltz, 30 anos, do Perth Glory (Austrália), e tocou. Livre de marcação, ele só não balançou as redes porque Tamanisau saiu do gol e fechou o ângulo, tocando na bola a tempo. Na sobra, o jovem meia Marco Rojas, 20 anos, do Melbourne Victory (Austrália), finalizou de primeira, mas totalmente errado!

Aos 33 minutos, Fiji levou muito perigo em jogada de bola parada. O zagueiro Avinesh Suwamy, 26 anos, do Ba (Fiji), correu em direção à bola e emendou um forte chute em cobrança de falta. A pelota desviou enquanto ia para o gol, obrigando o veterano goleiro Mark Paston, 35 anos, do Wellington Phoenix, a fazer grande defesa com a mão esquerda, mandando para escanteio! Quase o empate fijiano!

No segundo tempo, Fiji voltou animado com a derrota de apenas 1 a 0 e ficou novamente muito perto de empatar o jogo. Logo aos quatro minutos, o atacante Osea Vakatalesau, 26 anos, do Ba, disparou em velocidade, deixou os marcadores para trás e serviu o companheiro de posição Roy Krishna, 24 anos, do Waitakere United (Nova Zelândia). Com grande habilidade que o Apaixonado por Futebol Alternativo já conhece, Krishna devolveu a bola para Vakatalesau, de calcanhar, que ficou livre, dentro da área, só com Paston à frente!

Ele bateu no alto, forte, fora do alcance do goleiro da Nova Zelândia, que ergueu uma das mãos para tentar a defesa, mas a bola foi para fora! Incrível lance em Honiara, capital das Ilhas Salomão, sede do torneio! Apenas dois minutos depois, Fiji chegou a marcar, mas o árbitro Isidore Assiene Ambassa, de Nova Caledônia, invalidou o lance…

Cruzamento da esquerda para direita contou com o desvio de Osea Vakatalesau, já dentro da área, para o meio dela. A bola foi na direção do zagueiro Alvin Singh, 23 anos, também do Ba, que finalizou de cabeça, exatamente onde Mark Paston se encontrava. Ele fez a defesa, mas chegou a largar a pelota, fazendo com que o zagueiro Pita Senibiaukula, 27 anos, do Hekari United (Papua Nova Guiné), desse um carrinho a fim de desviar a bola para o gol. Porém, ele atingiu Paston, que sentiu o choque e largou a bola na frente de Alvin Singh, que balançou as redes! Mas o árbitro marcara a falta no goleiro neozelandês!

Imagem de Amostra do You Tube

Após a partida, o técnico da Nova Zelândia, o local Rick Herbert (comanda a equipe desde 2005), demonstrou irritação com seus jogadores: “Temos que trabalhar muito ainda, mas algumas coisas não podemos mudar, como o clima, que foi um  fator importante hoje. Penso que o ataque poderia fazer muito mais, pois se tivesse jogado bem, o placar da partida não seria tão apertado”, reclamou em entrevista ao site oficial da Confederação de Futebol da Oceania (OFC).

Por outro lado, o técnico uruguaio Juan Carlos Buzzetti comemorou a entrega dos atletas de Fiji: “Cometemos um erro fatal no gol deles e você paga por isso quando enfrenta um time como a Nova Zelândia. Mas, considerando que eles são praticamente todos profissionais e nós apenas amadores, creio que jogamos excepcionalmente bem”, encerrou, em entrevista ao mesmo site.

Na segunda rodada, a Nova Zelândia encara Papua Nova Guiné, no próximo dia 4 de junho de 2012, na partida preliminar, enquanto Fiji medirá forças com os donos da casa Ilhas Salomão, no jogo de fundo, já sabendo do resultado dos neozelandeses. Duas seleções de cada chave se classificam para a Fase Final das eliminatórias.

Quênia para em Malaui

O técnico de Quênia, o jovem local Francis Kimanzi, de 36 anos (treinou apenas a seleção nacional e dois times do país), disse em entrevista à imprensa local que acreditava numa vitória diante de Malaui, pela abertura do Grupo F das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo de 2014, no estádio Moi International Sports Centre (60 mil lugares), em Nairóbi, capital queniana.

Mesmo sem ter feito nenhum amistoso de preparação, ao contrário do adversário, que empatou com Tanzânia (0 a 0) e Zanzibar (1 a 1), e sem contar com dois importantes atletas, o meia McDonald Mariga, 25 anos, emprestado pela Internazionale de Milão (Itália) ao Parma (Itália), e o atacante Allan Wanga, 26 anos, do AFC Leopards (Quênia), ambos por lesões no joelho, Kimanzi estava confiante. Outro dado que tentava mostrar o oposto era o número de confrontos entre os dois países. Em 37 partidas, os quenianos, atuais 117º do Ranking FIFA venceram apenas seis, empataram 14 e perderam 17 jogos para Malaui, número 102 do Ranking.

Nos primeiros minutos da partida, Quênia começou melhor e chegava no gol de Malaui, principalmente com o atacante Dennis Oliech, 27 anos, do Auxerre (França). Outro que se destacava com bons passes e movimentação rápida era o meia Kevin Kimani, 22 anos, do Mathare United (Quênia). Aos 13 minutos, ele venceu um marcador de Malaui e conseguiu uma falta, despediçada pelo meia Clifton Mhieso, 19 anos, do Thika United (Quênia).

Aos 25 minutos, o primeiro lance de grande perigo a favor dos donos da casa. O zagueiro James Situma, 27 anos, do KF Tirana (Albânia), cruzou a bola na cabeça de Kevin Kimani, que acertou a trave do goleiro Simplex Nthala, 24 anos, do Liga Mulçumana (Moçambique)! Quase! No início do segundo tempo, por volta dos oito minutos, o atacante Patrick Oboya, 21 anos, do Ruzomberok (Eslováquia), tocou para Oliech. O rápido atacante queniano deixou o marcador para trás e cruzou Kimani, mas Simplex Nthala apareceu antes que o meia pudesse finalizar e fez a defesa!

Cinco minutos depois, Dennis Oliech experimentou de longe, mas a bola acertou a trave de Malaui pela segunda vez na partida. Aos 37 minutos, os visitantes obrigaram o goleiro Boniface Olouch, 30 anos, do Tusker FC (Quênia), à grande defesa, impedindo gol de Malaui num dos raros ataques. Nem mesmo o jovem atacante malauiano Robin Ngalande, de 19 anos, do time júnior do Atlético de Madrid (Espanha), conseguiu tirar o zero do placar, 0 a 0 em Nairóbi!

Imagem de Amostra do You Tube

Agora, Quênia e Malaui aguardam o resultado da partida entre Nigéria e Namíbia, amanhã, dia 3 de junho, às 12h30, mas sabem que teriam de ter somado três pontos. Se os nigerianos vencerem, o que deve acontecer, mesmo com a crise na seleção (veja mais informações aqui), a vida de quenianos e malauianos ficará difícil, já que só o campeão da chave avança para a Fase Final.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede