Senegal começa com vitória; Nigéria derrota Namíbia no sufoco

Nas estreias de Senegal e Libéria na 2ª Fase das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo 2014, os visitantes logo saíram na frente, mas não conseguiram impedir a reação senegalesa. Na outra partida, os nigerianos falaram demais antes dos 90 minutos, provocando o adversário, que endureceu o jogo e por pouco não conseguiu um empate. Boa leitura!

Senegal leva susto, mas consegue reagir

A quantidade de público presente ao estádio Leopold Senghor (60 mil lugares)¸em Dacar, capital de Senegal, apenas 15 mil torcedores, deixava claro a insatisfação dos senegaleses com sua seleção na Copa Africana de Nações 2012, em que o país sofreu três derrotas. Diante de muitos problemas extra-campo, inclusive com a contratação e pedido de demissão em poucos dias do técnico francês Pierre Lechantre (veja tudo aqui), Senegal conseguiu se animar em campo, para não definhar em mais uma competikção.

Diante de uma inferior Libéria, com alguns poucos atletas jogando no exterior, todos por times de pequeno escalão – nove atuam no próprio país –, esperava-se que Senegal conseguisse uma fácil vitória. Porém, os liberianos acabaram surpreendendo logo aos dois minutos do primeiro tempo. O meia Dioh Williams, 27 anos, do Hacken (Suécia), recebeu passe no meio campo e lançou o famoso atacante Francis Doe, 26 anos, atleta do Terengganu (Malásia).

A bola, no entanto, estava mais para o zagueiro Abdoulaey Ba, 21 anos, da Académica de Coimbra (Portugal), mas ele escorregou, deixando Francis Doe na cara do gol! O liberiano teve tranquilidade para esperar a saída do goleiro Ousmane Mané, 21 anos, do Diambars (Senegal), e mandar para as redes! 1 a 0 Libéria, que surpresa! Aos 12 minutos, o jovem meia Sadio Mané, 20 anos, do Metz (França), fez boa jogada dentro da grande área da Libéria.

Ele tirou um zagueiro e já ia passando por outro, George Gebro, 30 anos, do LISRC (Libéria), que tentou o desarme, mesmo com Mané não estando de frente para o gol. O problema é que o senegalês chegou primeiro e tocou na bola, sobrando para Gebro apenas as pernas de seu adversário, no que o árbitro marfinense Noumandiez Doue marcou pênalti! Na cobrança, o atacante Papiss Cissé, 27 anos, atleta do Newcastle United (Inglaterra), correu e escolheu o canto esquerdo do goleiro Nathaniel Sherman, 21 anos, do UMC Roots (Libéria), que também optou pelo mesmo lado. Ele deu rebote, e na sobra, Cissé chutou pressionado pelos zagueiros liberianos, facilitando a defesa de Sherman em definitivo!

Aos 33 minutos, o meia Nyema Gerhardt, 26 anos, do Zeljeznicar Saravejo (Bósnia Herzegovina), perdeu bola perto da grande área, para Papiss Cissé, que recuperou a posse da pelota, olhou para a segunda trave e fez o cruzamento. O atacante Ibrahima Baldé, 23 anos, do Osasuña (Espanha), fechava livre pelo lado esquerdo e finalizou muito bonito, colocado, tirando do goleiro Nathaniel Sherman! 1 a 1 Senegal versus Libéria! No segundo tempo, Senegal demorou, mas conseguiu a virada…

Por volta dos 25 minutos, o atacante Dame N´Doye, 27 anos, do Conpenhagen (Dinamarca), recebeu passe na esquerda do meia Mohamed Diamé, 24 anos, do Wigan (Inglaterra), como um ponta. Ao invés de tentar a jogada de linha de fundo, ele trouxe a bola para o meio. Já dentro da área, o zagueiro Solomon Wasseh, 28 anos, do LPRC Oilers (Libéria), não conseguiu dar combate e N´Doye ficou livre para chutar colocado, no canto esquerdo de Sherman! Lindo gol, 2 a 1 Senegal! Aos 38 minutos, Senegal era senhor da partida e conseguiu fechar o placar com mais um gol. O atacante Ibrahima Touré, 26 anos, do Monaco (França), que entrara no segundo tempo, recebeu bom lançamento no flanco direito, já dentro da área. Ele venceu o zagueiro George Gebro e finalizou, mas Nathaniel Sherman, que estava fora do gol, conseguiu desviar a bola, evitando o gol por cobertura! No rebote, a pelota ficou para Sadio Mané dividir com o zagueiro e conseguir mandar para as redes! 3 a 1 Senegal, PLACAR FINAL!

Imagem de Amostra do You Tube

Com a  vitória assegurada, o atacante Pappis Cissé resolveu pedir desculpas pelo pênalti perdido: “Pessoalmente, se achasse que não faria o gol, nem teria batido. Perdi a penalidade, mas isso acontece no futebol. O mais importante é que vencemos. Quero pedir desculpas pelo erro e pedir paciência dos torcedores com nosso time, que sofreu muita instabilidade recentemente”, disse o jogador do Newcastle, se referindo aos problemas com o técnico Pierre Lechantre e a má campanha na CAN 2012.

Já os liberianos terão de melhorar o combate da defesa, que foi a causa da derrota e é o setor onde há mais jogadores atuando no obscuro futebol liberiano. Muito trabalho para o técnico Kaetu Smith, que está sob pressão, ainda mais depois de o maior ídolo da história da Libéria, o incrível ex-atacante George Weah, ter desaprovado a contratação do profissional, dizendo que não o conhecia: “Creio que a decisão da federação liberiana [de contratar Smith] foi um erro. Não foi uma boa escolha para nós e o nosso futebol”, disse na época Weah ao site da BBC.

Na próxima rodada, Senegal visita, hoje, 9 de junho de 2012, Uganda, que empatou com Angola em 1 a 1 (veja os gols aqui – texto 2). Sábado, dia 10 de junho de 2012, será a vez de a Libéria tentar se recuperar, quando encara Angola, dentro de casa.

Nigéria sofre para ganhar da Namíbia

Quando as equipes adentraram o estádio UJ Esuene (12 mil lugares), na cidade de Calabar, no sul da Nigéria, muito do que havia sido falado nos dias anteriores estaria em jogo. A Namíbia apresentava uma seleção jovem, sem experiência internacional, a maioria atuando no futebol local, com três atletas, sendo dois goleiros, jogando na liga da África do Sul. Outro ponto que pesava contra os namibianos era o histórico do confronto: em dois jogos anteriores, os nigerianos haviam vencido, marcando seis vezes (4 a 0 e 2 a 0) e não  levando nenhum gol.

O técnico interino local Bernard Kaanjuka disse antes da partida que procuraria jogar no erro do adversário: “Não nos preocupamos com a Nigéria, que é melhor, mas estamos aqui para classificar para a Copa do Mundo. Sei que enfrentaremos 12 jogadores, em que o apoio dos torcedores será muito importante para eles, ainda mais num estádio pequeno. Meu time é jovem [quatro jogadores profissionais, e 17 amadores da liga nacional da Namíbia], mas não tem medo de ninguém”, disse à imprensa local.

Porém, as dificuldades para a Namíbia apareceram antes de a bola rolar. A delegação visitante teve de esperar duas horas para desembarcar em Calabar, o que deixou Kaanjuka irritado: “Trabalho como treinador há 20 anos em toda a África e sei como as coisas funcionam, mas isso não irá nos afetar. Agora preciso arrumar comida de boa qualidade para os jogadores, porque o café da manhã deles foi pobre”, disse o técnico namibiano, entendendo que o atraso foi manobra da Nigéria.

Do lado das Super Águias, o jovem atacante Victor Moses, 21 anos, do Wigan (Inglaterra), também tratou de provocar o adversário: “Sei que temos qualidade e talento para cumprir nosso objetivo. Mal posso esperar para jogar diante dos torcedores, pois nunca tive essa chance. Quero ver a torcida feliz e barulhenta, pois vamos atropelar a Namíbia!”, disse à imprensa local.

O técnico nigeriano Stephen Keshi, 50 anos, disse conhecer pouco sobre a Namíbia, “somente os jogadores que atuam no exterior, mas espero explorar esse conhecimento e tirar vantagem disso”, disse o treinador, que completou afirmando que está sendo difícil montar uma nova seleção, depois do terrível ano da Nigéria (veja tudo aqui), ainda mais com jogadores que atuam em vários clubes da Europa. “Devemos dar espaço aos atletas locais”, encerrou.

No jogo, os 10 mil torcedores presentes ao estádio puderam ver uma Nigéria, com seus três atacantes, pressionar desde o primeiro minuto. Logo aos três minutos do primeiro tempo, a defesa da Namíbia falhou e o atacante Ikechukwu Uche, 28 anos, do Granada (Espanha), chutou forte, mas o goleiro Virgil Vries, 21 anos, do Carara Kicks (África do Sul), fez boa defesa, em sua quinta participação com a camisa da seleção principal. Aos 15 minutos, o mesmo Uche teve outra chance, dando a impressão de que o gol nigeriano saíria cedo ou tarde.

Porém, os donos da casa não conseguiam transformar as jogadas claras em bola na rede, numa boa partida de Vries, que defenderia muitas finalizações adversárias. A Namíbia, por outro lado, se postava na defesa e só chegava ao ataque via bola parada, principalmente em escanteios, numa clara intenção de sair da Nigéria com um ponto. No segundo tempo, sangue novo entrou nos nigerianos, o atacante Ahmed Musa, 19 anos, do CSKA Moscou (Rússia).

Logo ele, que é ótimo cabeceador, também perderia seu golzinho, acertando a trave numa jogada área. À medida que o tempo passava, as arquibancadas demonstravam tensão de um empate inglório, na esperança de um único gol salvador, ao invés da esperada goleada. Numa das raras chances da Namíbia, o atacante Tangeni Shihapu, 24 anos, do Amazulu (África do Sul), teve a chance de finalizar, mas perdeu tempo e foi desarmado.

Aos 35 minutos, Ahmed Musa fez boa jogada e cruzou da esquerda para a grande área. A bola desviou em um namibiano e sobrou para Ikechukwu Uche. Com muita tranquilidade, ele dominou, driblou o zagueiro Denzil Haoseb, 25 anos, do Black Africa (Namíbia), e bateu de pé esquerdo, sem chances para Virgil Vries! 1 a 0 Nigéria, PLACAR FINAL, no sufoco! Claro, os jogadores reservas e os torcedores explodiram de alegria!

Imagem de Amostra do You Tube

Após a partida, o ex-secretário-geral da federação nigeriana, Taiwo Ogunjobi, gostou do jogo: “Jogamos muito bem, principalmente no primeiro tempo. Perdemos muitas chances de gol, porque estávamos ansiosos para marcar. A Namíbia veio para ficar na defesa, e trabalharam muito bem e devem estar felizes por não terem levado mais gols”, disse à imprensa nigeriana.

Já as expectativas do técnico namibiano Bernard Kaanjuka não foram atendidas: “Esperava que a Nigéria dominaria a Namíbia, até porque antes da partida a imprensa disse que os nigerianos iriam vencer por grande margem de gols. Eles não fizeram isso, pois foi a Namíbia que conseguiu segurá-los muito bem. Vamos passar por cima das outras seleções da chave, a partir de agora”, prometeu.

Com três pontos e líder isolada do Grupo F, a Nigéria agora encara Malaui, fora de casa, hoje mesmo, 9 e junho de 2012. Já a Namíbia vai receber Quênia, em casa, no mesmo dia, esperando deixar a lanterna da chave com uma vitória.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede