Brasileiros Campeões na Ásia 2011-12 – Parte 4

Continue acompanhando os brasileiros que conseguiram título nas primeiras divisões da Ásia! Reveja o que já foi publicado logo abaixo!

Link Parte 1 | Link Parte 2 | Link Parte 3

Indonésia

Campeão: Sriwijaya (primeiro título)

No começo da temporada, a equipe teve apenas uma derrota nos quatro primeiros jogos, para o Persib Bandung, por 1 a 0, fora de casa. A sequência de três vitórias foi interrompida por duas derrotas seguidas, numa campanha bastante irregular do Sriwijaya. As coisas melhoraram muito a partir da 15ª rodada, quando o clube conseguiu impor oito triunfos em sequência, pulando para a primeira posição.

Mais uma série, desta vez de sete vitórias, que não se transformou em uma de 15 em razão de um empate diante do Persidafon Dafonsoro, por 1 a 1, fora de casa, encaminhou muito o título do Sriwijaya, que mesmo perdendo dois dos quatro últimos jogos ficou com o caneco. A equipe somou 79 pontos (5v, 4e, 5d), 11 pontos acima do Persipura Jayapura, além dos melhores ataque (71 gols) e defesa (31 gols).

Liga dos Campeões da Ásia: uma vaga, a ser definida pela federação nacional

Rebaixados: PSMS Medan, Deltas Sidoarjo e PSAP Sigli

Promovidos: Barito Putera, Persita Tangerang e Persepam Pamekasan

Hilton Mauro Moreira (31 anos): o atacante foi revelado nas divisões de base do Palmeiras (São Paulo) em 1998, se transferindo para o pequeno Forli (Itália) no mesmo ano. O brasileiro ainda passou um ano no Ulm (Alemanha), até voltar ao Palmeiras, em 2000, pelo qual foi campeão do Campeonato Brasileiro da Série B 2003.

Após cinco anos no clube paulistano, Hilton foi defender o Deltas Sidoarjo (Indonésia), voltou ao Brasil para jogar pelo Mixto (Mato  Grosso) e foi mais uma vez para o Deltas, em 2007-08. Em 2008, o atleta vestiu as cores do Persib Bandung (Indonésia), até chegar ao Sriwijaya, em 2011.

Irã

Campeão: Sepahan (quarto título)

Um dos maiores clubes do país e primeiro da lista dos vencedores da liga nacional, o Sepahan levantou sua terceira taça consecutiva. O começo foi bem complicado, com a equipe tendo duas vitórias, dois empates e duas derrotas nos seis jogos iniciais, que resultaram na sétima posição, sete pontos atrás do líder Tractor Sazi. Duas vitórias fizeram com que o Sepahan avançasse duas posições, mas uma nova derrota, 3 a 0 para o Mes Kerman, fora de casa, dexiou a equipe a cinco pontos dos líderes.

Os muitos empates não permitiram a subida de posições, o que só começou na 20ª rodada, quando o Sepahan iniciou sequência de sete vitórias. Antes em quinto lugar, com 34 pontos, o time pulou para a liderança, no 24º jogo, abrindo dois pontos de frente duas rodadas depois. A última derrota na competição aconteceria na 27ª rodada, 1 a 0  para o Tractor Sazi, fora de casa, o que deixou o adversário colado na tabela. O título veio no último jogo, em que o Sepahan apenas empatou, resultado que garantiu o caneco. A equipe somou 67 pontos (19v, 10e, 5d), um a mais que Tractor Sazi e Esteghlal, ficando com a melhor defesa (27 gols), ao passo que o terceiro colocado teve o ataque mais produtivo (58 gols).

Liga dos Campeões da Ásia: Sepahan, Esteghlal (Fase de Grupos), Tractor Sazi e Saba Qom (Playoffs)

Rebaixados: Shahrdari Tabriz, Shahin Bushehr e Mes Sarcheshmeh

Promovidos: Aluminium Hormozgan, Paykan e Gahar Zagros

Bruno César Correa (26 anos): atacante habilidoso e fazer de gols, o brasileiro começou no Rio Branco de Americana (São Paulo) em 2008, se transferindo após duas temporadas para o Santos Guapilés (Costa Rica). Bruno Correa ainda passou por Incheon United (Coreia do Sul) e Banants (Armênia), onde foi artilheiro da liga nacional (veja detalhes – texto 2) e chamou a atenção do Sepahan. O atleta fez sete gols na temporada e deu duas assistências, mas acertou sua saída do clube e vai defender o Al Nasr (Emirados Árabes Unidos).

Fábio Daniel Januário (32 anos): meia revelado pelo Cascavel (Paraná), Fábio Januário, já entrevistado pelo Plano Tático (veja tudo aqui, em três partes), defendeu ainda CTE Colatina (Espírito Santo) e Vitória (Bahia), se transferindo para o Gil Vicente (Portugal), em 2003. Após duas temporadas, o brasileiro jogou pelo Belenenses (Portugal), se mudando para o Foolad FC (Irã), em 2007.

Apenas uma temporada foi necessária para Fábio Januário chamar a atenção e ganhar contrato com o Esteghlal (Irã), onde ficou dois anos, antes de acertar com o Sepahan. O brasileiro fez cinco gols e deu três assistências em 2011-12, mas deixou o clube, voltando para o Esteghlal, pelo qual tem um carinho especial.

Amanhã, sexta-feira, vamos continuar acompanhando a história dos campeonatos nacionais que tiveram brasileiros campeões em 2011-12. Até lá!

Link Parte 5

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede