Jamaica goleia e, com ajuda dos EUA, está no Hexagonal Final

O famoso “jogo de compadres”. Era isso que os jamaicanos temiam que acontecesse em Kansas City, no jogo entre os Estados Unidos e a Guatemala, válido pela última rodada do Grupo A da 3ª Fase das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2014. Tudo porque um simples empate, por qualquer resultado, garantia as duas seleções na Fase Final e eliminaria a Jamaica, independentemente do resultado de seu jogo.

A dependência de outrém ocorreu depois da derrota de 2 a 1 para a Guatemala fora de casa (veja tudo sobre o jogo), Além de torcerem para que o empate não acontecesse nos EUA, os Reagge Boyz deveriam golear  Antígua & Barbuda, em casa, no estádio Nacional, em Kingston, para tirar uma diferença de três gols de saldo de americanos ou guatemaltecos e avançar ao Hexagonal. Mesmo com a dificuldade da tarefa, o técnico jamaicano Theodore Whitmore mostrou confiança, em entrevista na semana do jogo:

“Sempre há esperança. Temos que entrar em campo apenas preocupados com o nosso resultado”, disse Whitmore, cobrando foco da sua equipe. “Se o resultado em Kansas for favorável, ficaremos muito satisfeitos, mas primeiro, devemos focar no nosso trabalho. Precisamos de no mínimo três gols”, completou, convicto.

Já pelo lado antiguano, não havia mais nenhuma chance de classificação, já que a seleção ocupava a última posição do grupo, com apenas um ponto. Apesar disso, o técnico inglês Tom Curtis se mostrou satisfeito com o desempenho da equipe na última partida contra os EUA (2 a 1 para os estadunidenses, com gol de Eddie Johnson aos 45 do segundo tempo), e prometeu complicar a vida dos jamaicanos:

“Acho que houve certa decepção, mas nós todos devemos estar orgulhosos de nossa campanha nessas eliminatórias. Estamos em uma pequena ilha, com pouca estrutura e, mesmo assim, conseguimos jogar de igual para igual com o adversário”, disse o orgulhoso treinador. “Seremos competitivos. Tentaremos mais uma boa performance na nossa despedida da competição”, terminou.

O jogo

Apesar da importância da partida, o estádio não estava nem perto de sua lotação máxima, com apenas oito mil torcedores presentes, o que mostra que o futebol ainda não é unanimidade na terra de Bob Marley. Mesmo assim, os jamaicanos entraram empolgados e determinados em  conseguirem seu objetivo.

Utilizando a principal característica de seu futebol (e porque não, de todos os esportes jamaicanos), a velocidade, o time de Tappa, como é apelidado o técnico Whitmore, foi para cima desde o início. Com a pressão, estava claro que a seleção visitante não aguentaria por muito tempo e, aos 16 minutos da primeira etapa, as redes já balançavam. Demar Phillips, 29, do Aalesund (Noruega), arriscou de fora da área, o goleirão Molvin James, 23, do Antigua Barracuda (base do time antiguano, mas que joga na terceira divisão dos Estados Unidos), aprontou a primeira de suas lambanças e aceitou. Jamaica  1 a 0!

Não deu tempo nem dos visitantes respirarem. Aos 18, em escanteio cobrado da esquerda,  James saiu mal do gol e o experiente zagueiro do Watford (Inglaterra), Nyron Nosworthy, 32, testou firme, sem perdoar a segunda falha do arqueiro no jogo, ampliando a vantagem jamaicana. Jamaica 2 a 0!

A difícil missão ia sendo bem cumprida pelo time da casa e, para completar a alegria jamaicana, em Kansas City, aos 36 do primeiro tempo, Clint Dempsey marcava seu segundo gol no jogo, o terceiro dos EUA, que ia decretando 3 a 1 sobre a Guatemala. Com a combinação de resultados, a Jamaica garantia vaga para o Hexagonal já no primeiro tempo!

Com os resultados favoráveis, o time da casa voltou para o segundo tempo perigosamente mais tranquilo. E foi dessa maneira que a equipe deu espaço para a surpresa: aos 16 minutos da etapa complementar, o jovem Quinton Griffith, de 20 anos, também do Antigua Barracuda, acertou cobrança de falta perfeita, sem chances para o goleiro Dwayne Miller, 25, do Syrianska (Suécia), e diminuiu para Antígua e Barbuda. Jamaica 2 a 1 Antígua e Barbuda.

Com esse gol, a situação voltava a ficar favorável aos guatemaltecos, que seguiam perdendo dos EUA por 3 a 1, mas ficavam na frente dos jamaicanos pelo número de gols marcados. Obviamente, a situação ficou tensa em Kingston, pois a seleção local ia se complicando em um jogo que parecia ganho. Dessa forma, o treinador Whitmore avançou o time, que tentava de todas as maneiras o gol que colocaria os jamaicanos em vantagem novamente.

Depois de tanto martelar, foi uma jogada individual que conseguiu furar a defesa adversária: quando a partida já se encaminhava para o fim, aos 32 minutos, o volante Rodolph Austin, 27, do Leeds United (Inglaterra), chegou como elemento surpresa, limpou dois marcadores adversários, e se dirigiu à linha de fundo.  Sem perder tempo, Austin cruzou para o atacante Dane Richards, 28, do Vancouver Whitecaps (Canadá), finalizar com tranquilidade para o fundo das redes do pobre goleiro James. Alívio no estádio Nacional! Delírio de todo torcedor em Kingston e em toda a Jamaica! Jamaica 3 a 1!

E ainda havia tempo para mais festa. Aos 43, depois de lançamento do campo de defesa, Dane Richards recebeu em boas condições, na frente da área, James se atrapalhou de novo, saindo de maneira totalmente errada, e o centroavante jamaicano deu apenas um leve toque para decretar de vez a vaga dos Reagge Boyz no Hexagonal Final. Com a benção do goleiro Molvin James, Jamaica 4 a 1 Antígua e Barbuda, Placar Final!

Imagem de Amostra do You Tube

Depois do apito

Após a partida, confirmado o placar de 3 a 1 para os EUA em Kansas, o clima era de festa no estádio Nacional. Aliviado, o técnico Whitmore disse que nunca duvidou das possibilidades de sua equipe:

“Apesar da situação difícil que nos encontrávamos, eu sempre tive confiança no nosso elenco”, disse o jamaicano. “Agora temos de trabalhar duro, analisar o que fizemos nesta fase e melhorar para o Hexagonal”.

Tappa sabe bem o que é estar ali. Em 1998, ainda como jogador, levou os Reggae Boyz à sua única Copa do Mundo, marcando, inclusive, dois gols na primeira vitória jamaicana em mundiais, sobre o Japão. Agora, tenta o feito como treinador, para ficar de vez na história de seu país:

“Estou muito feliz e confiante de que estamos no caminho certo. Chegaremos ao Brasil”, completou Tappa.

Desse modo, a Jamaica conseguiu sua classificação de maneira apertada. Com os resultados, os favoritos Estados Unidos terminaram o grupo A em primeiro lugar, com 13 pontos ganhos. Em segundo lugar, os jamaicanos apareceram com 10 pontos, o mesmo número da Guatemala, e ganharam a vaga no saldo de gols. Na lanterninha, Antígua & Barbuda somou apenas um ponto. As datas do Hexagonal Final serão sorteadas em 7 de novembro de 2012.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede