Nova Zelândia derrota Tahiti e se aproxima da vaga na repescagem

Os neozelandeses voltaram ao caminho das vitórias na Fase Final das Eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo 2014. A vítima dessa vez foi o Tahiti, atual campeão da Copa das Nações da Oceania 2012, que perdeu o quarto jogo e está matematicamente eliminado da competição. Antes da partida, o técnico neozelandês Ricki Herbert, 51 anos, pedia seriedade aos jogadores:

“Os atletas foram muito bem na partida anterior [vitória de 2 a 0 sobre o Tahiti, fora de casa] e mantivemos a liderança. Ainda falta um longo caminho para a definição, mas temos dois jogos em casa e trabalho a fazer”, alertou.

O técnico local do Tahiti, Eddy Etaeta, 42 anos, parecia ter desistido: “Nós vamos enfrentar a Nova Zelândia novamente, o que será muito difícil. Nossas esperanças de classificação estão quase terminadas e as próximas partidas ainda são importantes, para que as usemos em preparação para a Copa das Confederações 2013”, encerrou.

O jogo

O estádio AMI (18 mil lugares), em Christchurch, maior cidade da porção sul do território da Nova Zelândia, recebeu bom público de 10.751 torcedores. E logo a um minuto de partida, os visitantes tiveram uma boa chance, em finalização do meia Lorenzo Tehau, 23 anos, do Tefana (Tahiti), que aproveitou espaço concedido pelo goleiro Glen Moss, 29 do Wellington Phoenix (Nova Zelândia). Mas não deu em nada.

Aos dois, os donos da casa marcaram. O meia Michael McGlinchey, 25 anos, do Central Coast Mariners (Austrália), finalizou com força da entrada da área e venceu o goleiro Mickäel Roche, 29 anos, do AS Dragon (Tahiti)! 1 a 0 Nova Zelândia! Mesmo com um gol tão cedo, a Nova Zelândia manteve a pressão, adiantando a marcação. Tanto que, aos nove minutos, o zagueiro Nicolas Vallar, 28 anos, do AS Dragon, foi obrigado a recuar para Roche, que, pressionado pelo atacante Chris Killen, 31, do Chongqing (China), teve de sair da área e dar um chutão para frente!

A Nova Zelândia dominava as ações e o Tahiti tinha poucas oportunidades de finalizar, chegando nas bolas paradas. Aos 27 minutos, Lorenzo Tehau cobrou falta, mas a bola sequer chegou ao gol, batendo no zagueiro Tony Lochhead, 30 anos, do Wellington Phoenix. No segundo tempo, logo aos três minutos, chance para os anfitriões.

Michael McGlinchey cruzou na cabeça do zagueiro Tommy Smith, 22 anos, do Ipswich Town (Inglaterra), mas ele não conseguiu finalizar. A bola sobrou dentro da área para o meia Marco Rojas, 20, do Melbourne Victory (Austrália), que mandou o arremate, mas a pelota tocou na defesa tahitiana! Somente aos 44 minutos é que a Nova Zelândia ampliou…

Pela direita, o meia Leo Bertos, 30 anos, do Wellington Phoenix, fez o cruzamento, que passou por toda a extensão da área, chegando para o atacante Kosta Barbarouses, 22, do Panathinaikos (Grécia). Ele finalizou, Mickäel Roche não conseguiu segurar a bola, que sobrou para Chris Killen, logo atrás do goleiro tahitiano, apenas rolar para as redes! 2 a 0 Nova Zelândia!

Nos acréscimos, aos 48 minutos, Mickäel Roche tirou a bola de soco após um cruzamento, mas ela caiu nos pés de Michael McGlinchey, que emendou um petardo, acertando o ângulo esquerdo do Tahiti! Nova Zelândia 3 a 0 sobre o Tahiti, PLACAR FINAL!

Depois do apito

Eddy Etaeta reconheceu a superioridade do adversário: “A Nova Zelândia dominou mais a partida do que nós, mesmo que os gols nos minutos finais tenham dado uma conotação de que foi um passeio deles. Reconhecemos, no entanto, que Nova Zelândia mereceu vencer. O gol sofrido logo no início atrapalhou nossos planos”, lamentou.

Ricki Herbert gostou da equipe: “Estivemos bem dentro de campo e terminamos o jogo em ótima situação. Não levamos gol do Tahiti e agora vamos pensar no confronto diante da Nova Caledônia, que será um bom jogo”, encerrou.

A vitória deixou os neozelandeses na liderança da Fase Final, com 12 pontos em quatro rodadas, três de vantagem para a Nova Caledônia. Já matematicamente eliminados, Ilhas Salomão (três pontos) e Tahiti (nenhum) vão apenas cumprir tabela nas duas rodadas finais.

No próximo dia 22 de março de 2013, acontecerá a grande final das eliminatórias, quando neozelandeses e caledônios se enfrentarão, na casa dos primeiros. Uma vitória classifica a Nova Zelândia para a repescagem, um empate encaminha muito a situação. Somente uma derrota dos neozelandeses é que mantém a disputa totalmente aberta.

Veja a classificação de todas as Fases das Eliminatórias da Oceania

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede