Panamá abre vantagem, mas cede empate no fim

Equipe menos favorita para conseguir uma das vagas no Mundial do Brasil, o Panamá sabia da importância de somar vitórias dentro de casa no Hexagonal Final das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2014. Era exatamente o que tinha em mente o atacante Luis Rentería, 24 anos, do Tauro (Panamá): “É muito importante começar ganhando, pois o resultado positivo nos dará confiança para as próximas partidas”.

O técnico colombiano da Costa Rica, Jorge Luis Pinto, 60 anos, acreditava pelo menos no empate: “Queremos iniciar bem o Hexagonal Final, pois nos dará confiança e tranquilidade. Já pensei num desenho tático para o jogo. Não sei ainda se vou utilizar desde o início o atacante Joel Campbell, 20 anos, do Arsenal (Inglaterra), por questão física”, adiantou.

O jogo

Jogando no quase lotado estádio Rommel Fernández (32 mil lugares), com 25 mil torcedores empurrando a seleção, o Panamá tomou a iniciativa do jogo. No início da partida, o meia Marcos Sánchez, 23 anos, do Tauro, recebeu passe na entrada da área e abriu o jogo na direita, para o lateral Leonel Parrish, 30, do mesmo time.

Já dentro da grande área, Parrish não perdeu tempo e cruzou rapidamente, mas o goleiro Patrick Pemberton, 30 anos, do Alajuelense (Costa Rica), estava atento ao lance e esticou uma das mãos, afastando qualquer perigo. Aos 15 minutos, não teve jeito…

O zagueiro Luis Henríquez, 31, do Lech Poznan (Polônia), recebeu ótimo passe do meia Rolando Escobar, 31, do Deportivo Anzoátegui (Venezuela), dentro da área e não perdoou. Ele dominou, ajeitou a bola e abriu espaço antes de finalizar rasteiro, no canto esquerdo de Pemberton! 1 a 0 Panamá, numa explosão de alegria dos torcedores da casa. E quase que o goleiro costa-riquenho faz a defesa.

Os visitantes sentiram o gol e não conseguiam armar jogadas ofensivas. O Panamá, tranquilo no jogo, pressionava a Costa Rica, e chegou ao segundo gol aos 27 minutos. Marcos Sánchez pegou sobra da defesa adversária, já dentro da área, pela direita, e fez o que quis. Ele conseguiu proteger a bola e, mesmo entre dois marcadores, driblou ambos e foi até a linha de fundo.

O cruzamento saiu  muito forte, mas rasteiro, o suficiente para o zagueiro Román Torres, 26 anos, do Millonarios (Colômbia), que havia ido tentar o toque de cabeça no escanteio, se esticar e desviar na primeira trave, no ângulo, sem nenhuma chance de defesa para Patrick Pemberton! 2 a 0 Panamá! No final do primeiro tempo, a Costa Rica aproveitou falha de marcação panamenha e diminuiu o prejuízo…

O cruzamento para a grande área encontrou livre o atacante Álvaro Saborío, 30 anos, do Real Salt Lake (Estados Unidos), que subiu bem antes do marcador e acertou de cabeça o canto direito do goleiro Jaime Penedo, 31, do Municipal (Guatemala), que se esticou todo para impedir o gol, mas não era possível evitá-lo! Costa Rica 1, Panamá 2!

No segundo tempo, o jogo ficou mais aberto, mas as duas seleções perdiam chances. O Panamá chegou bem pela esquerda, com o meia Gabriel Gómez, 28 anos, do Junior Barranquilla (Colômbia), mas na hora do cruzamento o atleta pegou muito embaixo da bola, que saiu pela linha lateral. Álvaro Saborío era o homem das finalizações da Costa Rica, mas ele não conseguia o mesmo aproveitamento do primeiro tempo.

Pouco depois, o Panamá avançou com Blas Pérez, atacante de 31 anos, do FC Dallas (Estados Unidos), que ao invés de arriscar um chute, serviu Luis Rentería. De frente com Pemberton, ele conseguiu o desvio, mas o goleiro costa-riquenho estava logo à sua frente e impediu que a bola tomasse o caminho das redes! No finalzinho da partida, os visitantes empataram…

Em jogada de velocidade pela esquerda, o cruzamento foi feito dentro da área, para Álvaro Saborío, que não tinha condições de finalizar, mas tocou para o atacante Bryan Ruiz, 27 anos, do Fulham (Inglaterra). Ele estava de costas para o gol, mas emendou uma pucheta, graças ao espaço deixado pela defesa panamenha, acertando o canto esquerdo de Penedo, que não poderia chegar na bola! Costa Rica 2, Panamá também 2, PLACAR FINAL! Os visitantes até se empolgaram e tentaram o gol da vitória, mas ficou só nisso.

Imagem de Amostra do You Tube

Depois do apito

O técnico panamenho Julio César Dely Valdés, 45 anos, estava bastante chateado: “Empatamos o jogo porque falhamos nos dois gols da Costa Rica, mas o árbitro nos prejudicou no segundo gol deles, houve uma falta na jogada anterior. É a segunda vez que um juiz mexicano nos prejudica, e vocês sabem que não costumo falar de arbitragem nas entrevistas”, comentou.

Já o clima nos visitantes era positivo, como bem esclareceu Jorge Luis Pinto: “Foi um jogo disputado do início ao fim, mas jogamos melhor no segundo tempo, quando conseguimos o empate. Não é fácil estar perdendo de 2 a 0 e buscar a igualdade. Estamos contentes com o ponto no Panamá”, encerrou.

O empate deixa as duas seleções na segunda e terceira posições, dois pontos atrás da líder Honduras, iguais em relação a México e Jamaica, mas com vantagem nos gols-pró. Os Estados Unidos estão na lanterna, sem nenhum ponto. Na segunda rodada, em 22 de março de 2013, o Panamá visita a Jamaica, enquanto a Costa Rica vai enfrentar os Estados Unidos, novamente fora de casa.

Veja a classificação de todos os grupos das Eliminatórias Concacaf

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede