Burquina Fasso surpreende o ainda líder Congo; Gabão entra na briga

Três gols nos últimos minutos, três expulsões e muito nervosismo. Assim foi a partida em que o Gabão venceu Níger, por placar elástico, mas que não reflete a dificuldade que os gaboneses, donos da casa, enfrentaram para superar os já eliminados nigerinos.

Na outra partida, um confronto direto entre Congo e Burquina Fasso, na casa do primeiro, terminou com importante vitória dos visitantes, que no entanto ainda continuam atrás na tabela de classificação. Veja o que de mais importante ocorreu nos dois jogos do Grupo E das eliminatórias africanas.

Classificação das Eliminatórias Africanas

Congo 0×1 Burquina Fasso

Os congoleses sabiam que uma vitória significava a classificação antecipada para a fase final. Algo impensável quando o sorteio das chaves foi realizada. Não para o goleiro Barel Mouko, do Lille (França), que explicou o bom momento do time:

“Éramos azarões e agora somos o adversário a ser batido. Todos virão para cima de nós, principalmente nas duas partidas fora de casa. Cada jogo é uma final. A equipe é sólida, tanto psicologicamente quanto dentro de campo. Somos mestres do nosso destino”, disse o goleiro, que tem papel importante junto à federação:

“Faço a ponte entre dirigentes, técnico e jogadores. Quando me pedem opinião, dou sem esconder as coisas, principalmente quando tem a ver com as impressões do grupo. Tenho o respeito dos jogadores, eles me escutam. Portanto, tenho a obrigação de ser exemplar. Nós jogamos para o país e precisamos continuar deixando o povo feliz”.

E os anfitriões tiveram uma ótima oportunidade logo no início da partida, mesmo que tenha sido sem querer. Um atleta do Congo tinha a intenção de cruzar para a área, pegou mal na bola, que só parou no travessão de Burquina Fasso. Em seguida, os visitantes quase se aproveitaram de lambança…

Um zagueiro do Congo recuou muito mal a bola para Barel Mouko, que mesmo assim tentou dominar. Não conseguiu e a bola sobrou para um atleta burquinense, dentro da área, sem marcação. Mouko se redimiu a tempo de defender a finalização e salvar Congo! O jogo estava aberto e as duas seleções criavam oportunidades de gol.

Mas foram os visitantes que balançaram as redes. No final do primeiro tempo, um chutão do campo de defesa deixou um atleta de Burquina Fasso em ótima condição de avançar. Ele foi até a linha de fundo e percebeu a tempo o deslocamento do atacante Aristide Bancé, do Augsburg (Alemanha). A bola foi tocada para trás e Bancé chutou cruzado, abrindo o placar!

Pouco depois, o mesmo jogador finalizou forte de fora da área, obrigando Barel Mouko a voar em direção à bola e espalmar do jeito que deu, para a frente! A defesa afastou. No segundo tempo, Congo não conseguiu reagir e no contra-ataque quase levou o segundo. Um atleta serviu o atacante Prejuce Nakoulma, do Górnik Zabrze (Polônia), que não tinha o goleiro à sua frente, no meio da área… Mas ele finalizou em cima de um zagueiro.

Local: estádio Municipal Pointe Noire (13.594 lugares)

Público: 13.497 torcedores

Gol: Aristide Bancé/BUQ (38’|1º)

Imagem de Amostra do You Tube

Gabão 4×1 Níger

O Gabão, uma das sedes da Copa Africana de Nações 2012, junto da Guiné Equatorial, ainda não tinha jogado a toalha no que tange à classificação para a fase final das eliminatórias. O embate diante do eliminado Níger, em casa, parecia ser a situação ideal para os gaboneses se aproximarem da briga.

Porém, os visitantes é que fizeram o primeiro gol, no início da partida, com o atacante Yacouba Seydou, do USM Alger (Argélia). Os torcedores anfitriões só comemoraram o empate no final do primeiro tempo, quando o grande destaque do time, o atacante Patrick Aubameyang, do Saint Étienne (França), converteu pênalti.

O empate permaneceu até os minutos finais da partida, resultado que estava eliminando o Gabão. Porém, Níger teve dois atletas expulsos, facilitando a virada dos donos da casa. Aos 35 minutos, o zagueiro Koffi Dan Kowa, do Espérance de Tunis (Tunísia), saiu mais cedo. Dois minutos mais tarde, o atacante gabonês Eric Moulougui, do Slask Wrosclaw (Polônia), também levou cartão vermelho.

A três minutos do fim, o zagueiro nigerino Kourouma Fatoukouma, do Al Hoceima (Marrocos) cometeu pênalti e também foi expulso. Patrick Aubameyang cobrou e fez 2 a 1 para os gaboneses. Já nos acréscimos, aos 51 minutos, o zagueiro Bruno Ecuele Manga, do Lorient (França), marcou o terceiro do Gabão, que um minuto depois teve outro pênalti, convertido por Aubameyang. Muito nervosismo, mas objetivo gabonês cumprido.

Local: estádio de Franceville (35 mil lugares)

Público: 12 mil torcedores

Gols: Yacouba Seydou/NIG (14’|1º), Patrick Aubameyang/GAB (42’|1º, 42’ e 52’|2º) e Bruno Ecuele Manga/GAB (51’|2º)

Classificação

A vitória de Burquina Fasso é muito importante para o andamento da chave. Congo ainda é o líder, com dez pontos, mas a vantagem para os burquinenses caiu de quatro para apenas um ponto. O Gabão também se aproveitou da derrota congolesa e vem em terceiro lugar, com sete pontos, podendo se classificar. Já eliminado, Níger tem apenas três pontos.

A rodada final, em 6 de setembro de 2013, terá Burquina Fasso versus Gabão, em solo burquinense, um confronto direto. Porém, ele de nada terá valido se Congo derrotar o eliminado Níger, fora de casa. Fortes emoções esperam os envolvidos no Grupo E.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede