Marrocos e Costa do Marfim vencem, mas apenas o segundo está bem

Um jogo muito importante para o futuro do Grupo C das eliminatórias africanas colocou lado a lado Marrocos e Tanzânia. Os marroquinos, que foram ao Mundial pela última vez em 1998, precisavam da vitória em casa para continuar sonhando com a vaga na fase final.

Já os tanzanianos, boa surpresa na competição, queriam pelo menos o empate para ficarem mais perto de Costa do Marfim. Na partida de fundo, os Elefantes não tiveram dificuldades para vencer Gâmbia, fora de casa, eliminando o adversário. Veja o que de mais importante rolou nos dois jogos.

Classificação das Eliminatórias Africanas

Marrocos 2×1 Tanzânia

Há muito tempo os marroquinos não ocupam posição de destaque na África. Na Copa Africana de Nações 2013, a equipe caiu na fase de grupos, o que provocou, no calor da emoção, o anúncio da aposentadoria pelo goleiro Nadir Lemyaghri, de 37 anos. Porém, o treinador de goleiros da seleção, Said Badou, o convenceu a desistir, pois Marrocos precisava dos serviços do veterano goleiro, em três partidas decisivas pelas eliminatórias.

Já a Tanzânia vivia bom momento, com a recente renovação de contrato do técnico dinamarquês Kim Poulsen, até maio de 2015, que vem fazendo grande trabalho de renovação no time, introduzindo os jovens na equipe principal, em períodos de observação – há dois jogadores de 19 anos, mas a maioria ainda atua no futebol do país.

Porém, jogando em casa, o Marrocos mostrou força nos minutos iniciais e quase abriu o marcador, com o meia Abdelaziz Barrada, do Getafe (Espanha), que não comemorou graças à boa defesa do goleiro Juma Kaseja, do Simba (Tanzânia). Os donos da casa começaram avassaladores, mas erravam na hora das finalizações, desperdiçando oportunidades.

A situação da Tanzânia piorou depois da expulsão do zagueiro Aggrey Morris, do Azam (Tanzânia), que foi no corpo do atacante Abderrazak Hamdallah, do Aalesund (Noruega), derrubando o adversário dentro da área. O mesmo atleta cobrou o pênalti e colocou os marroquinos na frente!

No início do segundo tempo, os donos da casa dobraram a vantagem, numa falha da defesa tanzaniana, que deixou livre de marcação o atacante Youssef El Arabi, que invadiu a grande área, driblou Kaseja e mandou para as redes. Pouco depois, o meia Amri Kiemba, do Simba, acertou um lindo chute de fora da área no ângulo, diminuindo para os visitantes! Tarde demais, pois a Tanzânia perdera a chance de ficar colada na Costa do Marfim.

Local: estádio de Marrakech (45.240 lugares)

Público: 15 mil torcedores

Gols: Abderrazak Hamdallah/MAR (39’|1º), Youssef El Arabi/MAR (6’|2º), Amri Kiemba/TAN (16’|2º)

Imagem de Amostra do You Tube

Gâmbia 0×3 Costa do Marfim

A seleção gambiana passava por momento difícil na competição, pois uma derrota resultaria na eliminação. Conhecida por bons valores individuais, a equipe não tinha conjunto e a saída encontrada pelo técnico Luciano Mancini foi experimentar os atletas locais nos amistosos contra a Mauritânia, simplesmente porque os “estrangeiros” nunca estavam em plena forma física quando chegavam à seleção, o que atrapalhava o planejamento – no fim, 16 atletas do exterior foram chamados, já que a qualidade dos locais não agradou.

Uma notícia esquisita confirmou que Mancini havia sido deslocado para auxiliar-técnico, a cinco dias do confronto diante dos Elefantes, sendo substituído pelo local Peter Bonu Johnson, que comandava as equipes sub-17 e sub-20, com bons resultados. Ele vai ficar até o fim das eliminatórias 2014.

A boa notícia para os donos da casa eram as ausências de Didier Drogba, do Galatasaray (Turquia), Gervinho, do Arsenal, e Kolo Touré, do Liverpool (Inglaterra). Mesmo sem jogar, Drogba visitou o elenco marfinense e desejou sorte na partida, gesto que o técnico Sabri Lamouchi aprovou. Ele pediu respeito à Gâmbia, mas era difícil que Costa do Marfim não vencesse a partida…

Logo aos 12 minutos do primeiro tempo, o atacante Lacina Traoré, do Anzhi Makhachkala (Rússia), recebeu passe dentro da área e chutou, mas a bola bateu num zagueiro. Na sobra, a pelota ficou com o próprio atleta, que mandou para as redes, num lance difícil para o goleiro Christopher Allen, do GAMTEL (Gâmbia). No segundo tempo, Lacina Traoré recebeu lançamento, invadiu a área e esperou a saída de Allen, a fim de tocar para o lado.

Fechava na segunda trave o atacante Wilfried Bony, do Vitesse (Holanda), que apenas rolou para as redes depois de ganhar do zagueiro. O terceiro gol saiu de cobrança de falta, do meia Yaya Touré, do Manchester City (Inglaterra), que deixou Christopher Allen paradinho na linha do gol, sem reação. Vitória sem contratempos.

Local: estádio Independence (25 mil lugares)

Público: 24 mil torcedores

Gols: Lacina Traoré/CMA (12’|1º), Wilfried Bony/CMA (16’|2º) e Yaya Touré/CMA (44’|2º)

Imagem de Amostra do You Tube

Classificação

Com quatro jogos computados, a Costa do Marfim comprova dentro de campo a superioridade sobre os adversários e lidera o Grupo C, com dez pontos, quatro a mais que a Tanzânia, que tem uma última chance de sonhar com a vaga na fase final na próxima rodada (16 de junho de 2013), contra os marfinenses, em casa. Quase eliminado, o Marrocos (cinco pontos) ainda tem chances de classificação, enquanto a lanterna Gâmbia (um ponto) já está eliminada.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede