Nigéria vence e se aproxima da fase final; Malaui tropeça na Namíbia

A grande favorita para vencer o Grupo F das Eliminatórias Africanas é a Nigéria, sem sombra de dúvidas. Diante dos quenianos, que estavam na última posição, fora de casa, a ideia era vencer com tranquilidade e manter a liderança. Foi quase isso que aconteceu… No outro confronto da chave, Malaui sabia que não poderia perder pontos diante da Namíbia, em casa, se quisesse manter viva a pretensão de ir à fase final… Foi exatamente isso que aconteceu.

Classificação das Eliminatórias Africanas

Quênia 0×1 Nigéria

O técnico argelino Adel Amrouche é o quarto da seleção queniana desde o início das eliminatórias, o segundo estrangeiro. Após a saída de Francis Kimanzi, o francês Henri Michel venceu a disputa com outros 20  profissionais e tinha o apoio da federação, que acreditava na evolução do time pelas mãos do experiente treinador.

Porém, sem comandar o time nas eliminatórias, Michel pediu demissão em dezembro de 2012, quatro meses após chegar, alegando falta de acordo, o que deixou a federação queniana desolada. Para seu lugar foi contratado o argelino Adel Amrouche, que chegou muito humilde, dizendo que não era um nome forte, mas que lutaria para melhorar o futebol de Quênia.

Para o importante jogo contra a Nigéria, Amrouche afirmou que era possível derrotar o adversário, mas enfrentou problemas na preparação. Os técnicos dos clubes locais demoraram a liberar os jogadores, além de não ter tido amistosos. A federação local também está sem dinheiro, mas vem pagando aos atletas 35 dólares por dia no período de treinamentos e 120 dólares diários na semana da partida. Até a liga nacional parou.

Já o técnico nigeriano Stephen Keshi se mostrou chateado com a organização. Depois de empatar com o México, nos Estados Unidos, as Super Águias não treinaram mais. Nem sequer um treino de reconhecimento do gramado. Dos 30 atletas convocados para o período de preparação, o goleiro Vincent Enyeama e o atacante Kalu Uche são os mais velhos, com 30 anos. Uma equipe jovem e com o título da CAN 2013…

Durante a partida, a Nigéria levava mais perigo em seus ataques, enquanto Quênia contava com o apoio dos torcedores e mostrava mais força de vontade do que qualidade técnica, também sem sucesso nas finalizações. A primeira grande oportunidade foi dos visitantes, numa falha enorme da defesa queniana. A bola foi tocada para um zagueiro, que dormiu no ponto e permitiu a roubada de bola pelo adversário.

Já dentro da área, a pelota foi tocada para o atacante Brown Ideye, do Dinamo de Kiev (Ucrânia), que tirou dos zagueiros e finalizou por cima do gol, sem direção! Os companheiros reclamaram… No segundo tempo, Quênia passou a tomar pressão e não levava mais perigo ao adversário. No final do jogo, o jovem atacante Ahmed Musa, do CSKA Moscou (Rússia), recebeu lançamento longo, se livrou do marcador e tocou por cobertura, encobrindo o goleiro Duncan Ochieng, do Sofakapa (Quênia), que nada poderia fazer. Vitória crucial da Nigéria.

Local: estádio Internacional Moi Sports Centre (60 mil lugares)

Público: 30 mil torcedores

Gol: Ahmed Musa/NIG (36’|2º)

Imagem de Amostra do You Tube

Malaui 0×0 Namíbia

Um jogo sem grandes informações, entre dois países sem qualquer tradição no futebol. A Namíbia, por exemplo, convivia com constantes mudanças de treinador. Brian Isaacs comandou a equipe nas eliminatórias para a Copa Africana de Nações 2013, mas perdeu o emprego ainda em 2011. Depois veio Bernard Kaanjuka, namibiano que ficou apenas interinamente no cargo, entre setembro de 2011 e março de 2013.

Ele foi substituído pelo sueco Roger Palmgren, já que a federação local queria um técnico estrangeiro – dos 200 profissionais que se candidataram, segundo a entidade, nenhum era namibiano. A federação local acreditava que apenas um técnico de fora poderia alcançar os resultados exigidos. Palmgren foi apoiado na seleção, que não tinha dinheiro para disputar amistosos, mas deixou o cargo menos de um mês depois, após o empate insosso de 0 a 0 com Malaui, fora de casa.

A razão: a dois dias do próximo confronto do time, diante da Nigéria, o sueco pediu demissão via e-mail, alegando ameaças de morte. A federação não pôde investigar a denúncia e em seu lugar assumiu o auxiliar, o namibiano Ricardo Mannetti, famoso por ter horas de trabalho no jogo Football Manager – ele comandou os dois maiores times na Namíbia e a equipe sub-20.

Local: estádio Kamuzu (40 mil lugares)

Público: 17 mil torcedores

Gols: nenhum

Classificação

A vitória da Nigéria deixou a equipe na liderança, com oito pontos somados, um de vantagem para Malaui, que já jogou contra Quênia – apenas o primeiro colocado se classifica para a fase final. A Namíbia terminou a rodada com quatro pontos, ainda com chances matemáticas, diferente dos quenianos, que foram eliminados com a derrota para os nigerianos, donos de três pontos – incluído o confronto diante de Malaui.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede