Nigéria faz dever de casa contra Malaui e vai para a fase final

O dia 6 de setembro/2013 foi de decisão no Grupo F das Eliminatórias Africanas. A vantagem era nigeriana, que jogava em casa e pelo empate, mas Malaui prometia somar os três pontos e eliminar o adversário, num confronto cercado de polêmica. O presidente da federação nigeriana, Aminu Maigari, estava confiante: “Não tenho dúvidas de que estaremos na Copa do Mundo 2014. Tudo que precisamos é vencer Malaui e nos classificarmos para a fase final”.

No lado de Malaui, a federação procurava um técnico estrangeiro para um jogo, apesar da críticas da imprensa. Em julho foi anunciado o belga Tom Saintfiet, que fechou contrato como interino e de graça – depois, ele pediu 10 mil dólares pela classificação e alguns atletas, que receberiam 85 dólares, nada gostaram! No fim, o belga e a federação desistiram da ideia e ficou definido que o dinheiro seria doado para as divisões de base do país.

Saintfiet informou que alguns atletas sem comprometimento com a seleção seria deixados de lado e que iria se encontrar com alguns técnicos locais, incluindo o demitido Kinnah Phiri, para levantar informações.

O local da partida foi a cidade de Calabar, o que não agradou a federação malauiana, que pediu à FIFA a mudança por razões de segurança. Em resposta, a entidade nigeriana informou ter enviado à FIFA um plano de segurança detalhado, garantindo a segurança no local do jogo, exigência da entidade mundial, que liberou o estádio.

Diante das reclamações de Tom Saintfiet, o técnico nigeriano, Stephen Keshi, respondeu: “Ele não pode nos dizer onde devemos jogar nossas partidas e se ele estiver com medo pode não vir, não temos nenhum problema com isso”. Porém, a entidade do time visitante tinha outra preocupação: ela queria que os vistos de entrada na Nigéria fossem disponibilizados antes de embarcarem para o país no único voo disponível, com medo de os nigerianos atrasarem de propósito: “Se algum atraso ocorrer, podemos chegar a Calabar apenas uma hora antes da partida, e não queremos isso”, disse o secretário-geral da entidade, Suzgo Nyirenda.

No final de agosto, Tom Saintfiet e Keshi voltaram à imprensa. O belga acusou o nigeriano de racismo, ao chamá-lo de branco: “Tenho 100% de certeza que meus advogados vão reclamar junto à FIFA”, prometeu Saintfiet. Keshi dissera: “Se ele quer ir à FIFA, talvez seja melhor voltar para a Bélgica, ele não é africano, é branco” Até o porta-voz da seleção nigeriana, Ben Alaiya,  entrou na discussão: “Saintfiet está apenas fazendo joguinhos provocativos, porque ele sabe que a Nigéria vencerá Malaui a qualquer hora ou local”.

Keshi negou ser racista, mas o fato é que a questão chegou à FIFA, que vem fazendo pesada campanha contra o racismo. O nigeriano recebeu carta em que tem de responder às alegações de Saintfiet até 19 de setembro. Dias antes do jogo, membros da federação de Malaui chegaram à Nigéria para espiar o adversário, mas seria difícil a empreitada, diante do oferecimento de 5 mil dólares para cada atleta nigeriano pela vitória – um patrocinador ainda ofereceu 2 mil dólares para cada gol marcado contra os malauianos.

Os jogadores insistiram no prêmio de 10 mil dólares, que já deu problema durante a Copa das Confederações e o jogo diante da Namíbia, em junho, mas a federação não cedeu. O presidente da federação malauiana, Walter Nyamilandu Manda, prometeu bônus de apenas 500 dólares a cada atleta pela vitória, muito mais do que os 85 dólares nas vezes passadas.

Nigéria 2×0 Malaui

Os nigerianos tinham todas as chances de saírem classificados do jogo, pois só um desastre completo tiraria a vaga dos donos da casa. Mas isso não quer dizer que a partida foi tranquila… O primeiro gol da Nigéria só aconteceu nos acréscimos do primeiro tempo, aos 46 minutos. Malaui deu muito espaço para o meia Ogenyi Onazi, da Lazio, que caminhou com a bola dominada e fez um lançamento.

Ele encontrou, dentro da área, o bom atacante Emmanuel Emenike, do Fenerbahçe (Turquia), que tinha apenas o goleiro Simplex Nthara, do MTL Wanderers (Malaui), que saiu do gol. Sem problemas para Emenike, que tocou por cima dele e saiu comemorando! 1 a 0 Nigéria! Um gol superimportante para os nigerianos, no momento certo, o que deu tranquilidade.

No início da etapa final, a Nigéria marcou novamente. Aos oito minutos, o zagueiro Limbikani Mzava, do Bloemfontein Celtic (África do Sul), cometeu pênalti e acabou levando o segundo cartão amarelo do árbitro de Madagascar Hamada Nampiandraza, sendo expulso! Na cobrança, o atacante Victor Moses, do Liverpool, bateu no canto esquerdo de Nthara e garantiu a classificação das Super Águias para a fase final das eliminatórias!

Local: estádio UJ Esuene (25 mil lugares)

Gols: Emmanuel Emenike/NIG (46’|1º) e Victor Moses/NIG (8’|2º)

Imagem de Amostra do You Tube

Classificação

Garantido na fase final, Stephen Keshi deu o recado: “Estamos prontos para qualquer adversário, mas não haverá mais jogos fáceis. Temos de treinar ainda mais forte”. Já Tom Saintfiet estava chateado: “Jogamos um bom primeiro tempo, de acordo com o plano. Eles tiveram a posse de bola, mas não fomos pressionados. Nos acréscimos levamos o gol e tudo foi por água abaixo. Culpa do meu lateral [Moses Chavula, do MTL Wanderers]. Queríamos ter terminado a etapa inicial no 0 a 0, para jogar o desespero para eles”.

No fim, Saintfiet reconheceu que o adversário foi melhor e até prometeu rezar para a Nigéria se classificar para a Copa do Mundo 2014, apaziguando os ânimos de antes da partida. A única notícia ruim para os nigerianos foi a dispensa do meia John Obi Mikel, do Chelsea, por contusão, do amistoso contra Burquina Fasso, que a equipe acabou vencendo por 4 a 1.

O goleiro Vincent Enyeama não achava que Mikel estava machucado e reclamou do tratamento especial ao atleta, já que uma vitória contra os burquinenses poderia melhorar a posição da Nigéria no Ranking FIFA, base do sorteio da fase final. É bom lembrar que os dois não se dão bem, já que Mikel não queria a escalação do goleiro na partida contra a Espanha, na Copa das Confederações.

No Grupo F, a Nigéria somou 12 pontos, enquanto Malaui ficou com apenas sete. Completaram a classificação Quênia (seis) e Namíbia (cinco). O sorteio da fase final será realizado no próximo dia 16 de setembro/2013 (segunda-feira).

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede