Jogos Inesquecíveis na Copa do Mundo [Espanha x Holanda]

Espanha e Holanda entram em campo daqui a pouco, às 16h, pela segunda vez na história da competição. E a estreia do confronto europeu em Copas do Mundo não poderia ter sido melhor: final do último mundial na África do Sul, a primeira em solo africano e com campeão inédito, já que espanhóis e holandeses carregavam a fama de amarelões em jogos decisivos.

A Fúria, atualmente chamada de La Roja, era a sensação da época com o seu jogo baseado no tik-taka. A posse de bola e a troca de passes constantes impedia que os comandados de Vicente Del Bosque sofressem perigo. Já Bert Van Marwijk contava com a canhota poderosa de Arjen Robben, um time calejado e, até aquele jogo, com a estrela de Wesley Sneijder, artilheiro da competição ao lado de David Villa, da Espanha, Diego Forlán, do Uruguai, e Thomas Muller, da Alemanha, com cinco gols.

Dois lances do tempo regulamentar ainda estão vivos na memória de quem assistiu à partida. Aos 28 minutos da primeira etapa, o lance que dá ao árbitro Howard Webb status de uns dos protagonistas da final. A entrada criminosa de Nigel de Jong em Xabi Alonso, com um pé holandês no peito do volante espanhol, revoltou torcedores e comentaristas. O apito inglês julgou que apenas um cartão amarelo seria suficiente.

A crítica decreta Arjen Robben como o responsável pelos minutos a mais de jogo no Soccer City. O camisa 11 recebeu lindo passe de Wesley Sneijder, aos 16 minutos do segundo tempo, e aproveitando falha do posicionamento da zaga espanhola, saiu cara a cara com Iker Casillas. Final de Copa, ele, o goleiro e a bola na perna esquerda. Robben tinha tudo para se tornar o herói daquela seleção e por que não, do país. Mas Casillas conseguiu evitar o gol, deixando o atacante incrédulo.

Com o 0 a 0 no placar, a final foi para a prorrogação. E o cenário se repetia até os dez minutos do segundo tempo extra. Andrés Iniesta tentou armar o contra-ataque, não conseguiu e se posicionou dentro da área. O jogador do Barcelona esperou e recebeu o passe para fuzilar o goleiro e carimbar o primeiro título espanhol e acabar de vez com o fantasma amarelão, que ainda persegue os holandeses.

Imagem de Amostra do You Tube

Espanha | Holanda

Os confrontos

Retrospecto geral: 4 vitórias da Espanha, 1 empate e 4 vitórias da Holanda

Em Mundiais: 1 vitória da Espanha

Os times

Espanha: Iker Casillas, Sergio Ramos, Carlos Puyol, Gerard Piqué e Joan Capdevilla; Sergio Busquets, Xabi Alonso e Xavi; Iniesta, David Villa e Fernando Torres. [Técnico] Vicente Del Bosque

Holanda: Maarten Stekelenburg, Gregory van der Wiel, Johnny Heitinga, Joris Mathijsen e Giovanni van Bronckhorst; Mark van Bommel, Nigel de Jong e Wesley Sneijder; Dirk Kuyt, Arjen Robben e Robin van Persie. [Técnico] Bert Van Marwijk

Curiosidades

Comparando ambos os elencos de 2010 com os atuais de 2014, a Espanha trouxe para o Brasil 16 jogadores campeões na África. Já a Laranja Mecânica vem com uma nova geração e conta exatamente com o oposto: Van Gaal, atual técnico, convocou 16 novatos em Mundiais.

Holandeses em 2010 e 2014: Robin Van Persie, Dirk Kuyt, Wesley Sneijder, Arjen Robben, Nigel De Jong, Klaas Jan Huntelaar, Michel Vorm

Novatos da Espanha: David De Gea, Cezar Azpilicueta, Jordi Alba, Juanfran, Koke, Santi Cazorla e Diego Costa

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede