Jogos Inesquecíveis na Copa do Mundo [França x Suiça]

Hoje, dia 20 de junho, o clima na Arena Fonte Nova vai esquentar muito mais do que o calor típico de Salvador. No nono dia de Copa do Mundo 2014, mais uma seleção pode garantir vaga antecipada para próxima fase. Após vencerem seus jogos de estreia, França e Suiça se encaram na Arena Fonte Nova, em Salvador, às 16h. Além da possível classificação do vencedor, o jogo pode definir quem passará em primeiro lugar no Grupo E, evitando um provável duelo com a Argentina já nas oitavas de final.

Países vizinhos, França e Suiça já se enfrentaram em incríveis 36 jogos, desde o primeiro, em Paris, em 1905, até o duelo na Copa da Alemanha, em 2006. Apesar da desvantagem em números de vitórias e de não conseguir vencer os franceses desde 1992, a seleção suíça detém a maior goleada do confronto. Em 1960, na Basileia, a Suiça venceu os franceses por 6 a 2, com cinco gols de Josef Hugi, atacante artilheiro dos suíços na Copa de 1954, com seis gols.

O único duelo em Copas do Mundo aconteceu em 2006, na Alemanha. Logo na estreia, as duas equipes se enfrentaram pelo Grupo G, que também tinha Coreia do Sul e Togo. Para o jogo, o técnico Raymond Domenech armou os Le Bleus num 4-5-1, com Thierry Henry na frente, Sylviain Wiltord caindo pela direita e Frank Ribéry pela esquerda. Fabien Barthez, Liliam Thuram e Zinedine Zidane, remanescentes do título de 1998, davam o toque de experiência à equipe.

Apesar do favoritismo francês, a primeira grande chance de gol foi dos suíços. Após falta cruzada por Tranquillo Barnetta, Philippe Senderos deu um leve desvio e a bola caprichosamente bateu na trave. No rebote, Alexander Frei foi travado por Éric Abidal e não conseguiu o remate para o gol. A resposta veio no final do primeiro tempo, quando Henry recebeu dentro da área e chutou forte, a bola bateu na mão do zagueiro Patrick Müller, mas o árbitro achou o lance acidental e mandou seguir o jogo.

No segundo tempo, a França tomou a iniciativa e por pouco não abriu o placar. Após tabelinha com Zidane, Wiltord invadiu a área suíça, mas chutou desequilibrado e foi abafado pela zaga, facilitando a vida do goleiro Pascal Zuberbühler. Do outro lado, Barthez também manteve o zero no placar, fazendo grande defesa em cabeçada à queima-roupa de Daniel Gygaz.

A última grande chance da partida sobrou nos pés de Vikash Dhorasso, que chutou cruzado de primeira dentro da área, mas a bola passou ao lado da meta de Zuberbühler e o jogo terminou mesmo no 0 a 0.

Esta foi a primeira partida sem tomar gols da seleção suíça, que se tornaria a primeira a ser eliminada sem levar um único gol em Copas do Mundo, caindo nas oitavas diante da Ucrânia, nos pênaltis. Os franceses foram mais longe, passando por Espanha, Brasil e Portugal no mata-mata e só perdendo na final, diante da Itália, também nos pênaltis.

França | Suiça

Imagem de Amostra do You Tube

Os confrontos

Restropecto geral: 15 vitórias da França, 12 da Suiça e 9 empates

Em Mundiais: 1 empate

Os times

França: Fabien Barthez (Olympique de Marseille); Liliam Thuram (Juventus), William Gallas (Chelsea), Willy Sagnol (Bayern de Munique) e Éric Abidal (Lyon); Claude Makelele (Chelsea), Patrick Vieira (Juventus), Zinedine Zidane (Real Madrid), Frank Ribéry (Olympique de Marseille) e Sylviain Wiltord (Lyon); Thierry Henry (Arsenal) [Técnico] Raymond Domenech

Substituições: 25 do 2° – Sai Ribery para entrar Louis Saha (Manchester United). 39 do 2° – Sai Wiltord para entrar Vikash Dhorasoo (PSG).

Suiça: Pascal Zuberbuhler (Basel); Philipp Degen (Borussia Dortmund), Philippe Senderos (Arsenal), Patrick Müller (Basel) e Ludovic Magnin (Stuttgart); Tranquillo Barnetta (Bayer Leverkusen), Johann Vogel (Milan), Ricardo Cabanas (Grasshopper) e Raphaël Wicky (Hamburgo); Marco Streller (Stuttgart) e Alexander Frei (Rennes) [Técnico] Köbi Kuhn

Substiuições: 11 do 2° – Sai Streller e entra Daniel Gygax (Lille). 30 do 2° – Sai Müller e entra Johann Djourou (Arsenal). 37 do 2° – Sai Wicky e entra Xavier Margairaz (FC Zurich).

Curiosidades

- Este foi o primeiro jogo que a seleção da Suíça não tomou gols em Copas. A seleção havia sofrido gols em todos as 22 partidas anteriores.

- A grande surpresa da seleção francesa para Copa de 2006 foi a convocação de Ribéry, que na época com 23 anos, só havia jogado seu primeiro jogo pela seleção meses antes, num amistoso contra o México. A ausência mais sentida na lista foi do meia Giuly, do Barcelona.

- O esquadrão que tinha a França na Copa do Mundo 2006 era incrível. É verdade que a geração já estava envelhecida, pois muitos desses grandes jogadores haviam levantado a única taça francesa na Copa do Mundo, em 1998. Oito anos atrás, fizeram parte do time Patrick Vieira, Zinedine Zidane, Thierry Henry (apenas 20 anos), Lilian Thuram e Fabien Barthez.

- Em 2006, 11 jogadores franceses atuavam na própria liga nacional, sendo cinco deles no Lyon. Apenas reflexo da época de ouro do time, que foi heptacampeão na França de forma consecutiva – o último título foi em 2007/08. Em 2014, são oito franceses jogando na liga nacional, mas nenhum do Lyon, que perdeu força no cenário local. A maioria (três) é do PSG, o novo dono da França.

- O goleiro suíço naquele jogo, Zuberbühler, já foi preparador de goleiros da seleção de Filipinas em 2011/12.

- Dois jogadores suíços jogaram “em casa” naquela partida. O jogo foi disputado no estádio do Stuttgart, time do lateral Magnin e do atacante Streller na época.

- O mito da seleção da Suiça em 2006 era o atacante Alexander Frei, na época com 26 anos. O jogador se aposentou dos gramados em 2013, aos 33 anos, com 214 gols em 437 partidas nos times que defendeu – encerrou a carreira no Basel (Suiça). Na seleção, Frei jogou por dez anos (2001/11) e marcou 42 gols (maior artilheiro do país) em 86 partidas (o sexto no quesito).

- Mesmo após oito anos do único jogo entre suíços e franceses em Copas do Mundo, seis jogadores da Suiça ainda defendem a seleção: Valon Behrami (21 anos na época), do Napoli, Blerim Džemaili (20 anos), do Napoli, Tranquillo Barnetta (21), do Eintracht Franfurt, Philippe Senderos (21), do Aston Villa, Diego Benaglio (22), do Wolfsburg, e Johan Djourou (19), hoje no Hamburgo. Senderos e Barnetta foram titulares naquela partida e Djourou entrou aos 30 minutos do segundo tempo.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede