Brasil x Colômbia: há chance de os colombianos repetirem 1985 e 1991?

Hoje, 4 de julho de 2014, é dia decisivo para a seleção brasileira. A equipe comandada por Luiz Felipe Scolari terá 90 minutos para balançar as redes do bom goleiro David Ospina, 25 anos, que joga no Nice (França). Caso a agonia do confronto contra o Chile se repita, será mais meia hora de prorrogação e quem sabe as cobranças da marca do pênalti.

As duas seleções sul-americanas já entraram em campo com as equipes principais em 25 oportunidades. A primeira delas ocorreu em 21 de janeiro de 1945, quando os brasileiros superaram o adversário por 3 a 0, com gols de Heleno de Freitas e Jaime de Almeida, o pai do homônimo ex-técnico do Flamengo – falecido em 1973, aos 52 anos.

Logicamente, o Brasil domina com ampla tranquilidade o confronto: são 15 vitórias brasileiras, oito empates e apenas dois triunfos da Colômbia. O primeiro deles aconteceu num amistoso disputado no estádio El Campin, com 25 mil torcedores em campo.

O primeiro milagre

Era 15 de maio de 1985 e a seleção tinha alguns jogadores em destaque, como o lateral-esquerdo Branco, futuro tetracampeão em 1994, assim como o lateral-direito Jorginho. Outros nomes não menos importantes eram Careca (Guarani e São Paulo), Casagrande (Corinthians, atual comentarista da Globo), Mário Sérgio (atual comentarista do Sportv), Mozer (Flamengo) e Oscar (Ponte Preta e São Paulo) – Bebeto entrou no decorrer do jogo.

Mesmo com um time bastante forte, o Brasil não atuou bem e acabou perdendo por 1 a 0, com gol do atacante Victor Lugo, que finalizou longe do alcance do goleiro Carlos. Era a primeira vez que a camisa da seleção conhecia a derrota diante da Colômbia.

Imagem de Amostra do You Tube

O segundo milagre

Seis anos depois, as duas seleções voltaram a se enfrentar, agora por um torneio oficial. No Grupo B da Copa América 1991, Colômbia, Brasil, Uruguai e Equador dividiam a liderança e uma vitória no confronto direto entre eles classificava o vencedor. Diante de 17 mil torcedores em Viña del Mar, no Chile, a Colômbia levou a melhor sobre o Brasil naquele 13 de julho…

Aos 36 minutos do primeiro tempo, o mito Carlos Valderrama cruzou, houve um desvio no meio do caminho e este facilitou o trabalho do atacante Ántony de Ávila, que se esticou todo para desviar às redes – ele encerrou carreira em 1999, mas voltou dez anos depois, aos 46 anos, para defender o América de Cali. Aos 21 minutos do segundo tempo, Valderrama mais uma vez fez grande jogada e tocou dentro da área para o atacante Arnoldo Iguarán, que finalizou longe do alcance de Taffarel.

Aquela seleção brasileira era praticamente a base que seria campeã na Copa do Mundo 1994: Taffarel, Ricardo Rocha, Márcio Santos, Branco e Wilson Gottardo; Mazinho, Mauro Silva, Raí e Neto; Renato Gaúcho e Donizetti – os colombianos contavam com Freddy Rincón e René Higuita, que ao lado de Valderrama eram o símbolo da geração de ouro colombiana.

A título de curiosidade, Brasil e Colômbia somaram cinco pontos na chave, com os colombianos em primeiro lugar, e ambos seguiram para o Quadrangular Final. Após mais três rodadas, a Argentina foi a campeã ao acumular cinco ponto, um à frente do Brasil, enquanto a Colômbia foi lanterna, com um ponto – o Brasil venceu por 2 a 0 na fase final.

Imagem de Amostra do You Tube

O terceiro milagre?

Hoje, portanto, as atuais estrelas colombianas, como o craque James Rodríguez (Monaco), Teófilo Gutiérrez (River Plate), Juan Cuadrado (Fiorentina) e por que não o atrapalhado Pablo Armero (West Ham United), vão querer ser os responsáveis pela terceira vitória de seu país contra o Brasil.

Terá sido histórico se a Colômbia realmente eliminar os donos da casa e alcançar as semifinais pela primeira vez na história – já é recordista ao disputar as quartas de final. Porém, este será o primeiro embate colombiano contra uma seleção de primeiro porte, já que obviamente Costa do Marfim, Grécia, Japão (adversários do Grupo C) e Uruguai (oponente das oitavas) não nutrem da mesma força.

Outro dado importante é que o Brasil não vence a Colômbia desde 7 de setembro de 2003 (quatro jogos), com atual série de quatro empates. Nos números desta Copa do Mundo, o confronto é bastante equilibrado. Veja alguns dados…

Gols marcados: Brasil (8) e Colômbia (11), sendo dois de falta para cada lado e dois de contra-ataque colombiano, mas nenhum brasileiro.

Gols sofridos: Brasil (3) e Colômbia (2), sendo um gol contra de Marcelo a favor da Croácia e um gol de falta do adversário. A Colômbia levou todos de bola rolando.

Chutes por jogo: 12,5 do Brasil e 16 da Colômbia, sendo sete finalizações brasileiras na direção do gol, contra cinco dos colombianos.

Desarmes: o Brasil desarmou 39 vezes (11 de Luiz Gustavo, que não joga), enquanto a Colômbia impediu o prosseguimento de 32 lances.

Direção do ataque: as duas seleções organizam jogadas ofensivas nas laterais, com o Brasil priorizando o lado esquerdo (40% das jogadas) e a Colômbia o direito (40%).

Passes por jogo: Brasil (450) e Colômbia (361), sendo que o Brasil cruzou 25 vezes, contra 12 da Colômbia. As bolas longas brasileiras foram 67, diante de 50 da Colômbia.

Cartões: ninguém levou vermelho, mas o Brasil foi punido oito vezes com cartão amarelo, enquanto a Colômbia levou apenas dois.

Quem vencerá o duelo emocionante?

Você já conhece a Futfanatics? É uma das maiores empresas de venda de material esportivo do Brasil, onde você pode comprar vários itens online com toda a segurança e com rapidez de entrega. Veja outras ofertas neste link.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede