Jogos Inesquecíveis na Copa do Mundo [Bélgica x Estados Unidos]

Se uma partida das oitavas de final da Copa do Mundo 2014 não tem favorito, esta é Bélgica versus Estados Unidos. Muito se deve ao baixo rendimento belga e ao organizado futebol estadunidense. As vitórias magras, por apenas um gol de diferença sobre Argélia, Rússia e Coreia do Sul, colocaram a Bélgica sob desconfiança.

Os Diabos Vermelhos chegaram ao Mundial com a expectativa de futura grande sensação da competição e com uma geração nova e talentosa. O título simbólico acabou sendo “roubado” pela Colômbia. A pergunta que rodeia a equipe de Marc Wilmots é: “Será que a Bélgica aguentará a pressão e seus jovens jogadores a levarão adiante?”.

Já o lema dos Estados Unidos é simples e objetivo: “Yes, we can”, que significa Sim, nós podemos! Os estadunidenses acreditam na classificação às quartas de final, mas a equipe comandada pelo ex-atacante alemão Jürgen Klinsmann não conta com o craque – e talvez maior jogador da história do país – Landon Donovan. Entretanto, engana-se quem pensa que isso foi um baque no grupo.

Clint Dempsey e companhia têm enfrentado os adversários de igual para igual, até mesmo os mais renomados como Alemanha e Portugal. A partida será às 17h, na Arena Fonte Nova, palco de jogos com muitos gols, o que motiva o torcedor e, claro, as equipes.

Quando se trata de história, os Estados Unidos não poderiam enfrentar adversário melhor. O único confronto contra a Bélgica em Mundiais foi uma grande vitória por 3 a 0, em 1930, no Uruguai, na primeira edição do torneio. Os estadunidenses terminaram em terceiro, melhor posição até hoje, feito que eles esperam repetir em território sul-americano.

A Copa de 1930 contava com apenas 13 seleções. Na fase inicial, Estados Unidos e Bélgica abriram o Grupo 4, no estádio Parque Central para um público de 10 mil pessoas. Poucos torcedores, se comparado ao provável público que teremos logo mais na Fonte Nova, que tem capacidade para 51 mil espectadores.

E tudo parecia se encaminhar para um primeiro tempo empatado sem gols. Mas o atacante Bart McGhee tratou de levantar os norte-americanos e dar vantagem ao placar. E foi em dose dupla! O jogador marcou aos 41 e aos 45, assustando o selecionado belga.

Na volta para o segundo tempo, a Bélgica não digeriu os gols e não conseguia empatar, enquanto os Estados Unidos seguravam o placar. Até que, aos 43, veio um golpe final. O atacante Bert Patenaude fechou o placar. Vitória e festa estadunidense, algo que eles vão querer repetir logo mais.

Bélgica | Estados Unidos

Os confrontos

Retrospecto geral: 1 vitória dos Estados Unidos e 3 vitórias da Bélgica

Em Mundiais: 1 vitória dos Estados Unidos

Os times

Estados Unidos: John Douglas, Alexander Wood, George Moorhouse, Jimmy Gallagher e Raphael Tracey; Billy Gonsalves, Jimmy Brown e Andy Auld; Thomas Florie, Bart McGhee e Bert Patenaude. [Técnico] Bob Miller

Bélgica: Arnold Badjou, Nic Hoydonckx e Theo Nouwens; Auguste Hellemans, Jean De Clercq e Pierre Braine; Fernand Admas, Jean Diddens, Jacques Moeschal, Louis Versijp e Bernard Voorhoof. [Técnico] Hector Goetinck

Curiosidades

- Em 1930, como era de se esperar, todos os 32 jogadores de Bélgica e Estados Unidos atuavam em seu país. Nenhum clube tinha uma supremacia entre os convocados. Atualmente são apenas três belgas e nove estadunidenses que jogam nas respectivas ligas locais.

- No primeiro Mundial, a Bélgica atuava com cinco atacantes. O número mudou, e hoje Marc Wilmots escala sua equipe apenas com Romelu Lukaku como atacante fixo. Mas a ofensividade vem de um meio de campo altamente qualificado sob a liderança de Eden Hazard.

- A seleção dos Estados Unidos de 1930 tinha cinco jogadores nascidos na Escócia e cinco no próprio país. Todos já estão falecidos, sendo o último deles (atacante Jim Brown) vindo a perder a vida aos 85 anos, em 9 de novembro de 1994. Ele chegou a defender Manchester United (1932/34) e Tottenham (1936/37).

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede