Kaká lidera time de garotos no Orlando City, como o filho de Higuita

Fundado em 2010, o Orlando City inicialmente foi um time da obscura terceira divisão dos Estados Unidos, a USL Pro. A primeira temporada no profissional foi em 2011 e terminou com título. Em 24 jogos, o Orlando City somou 51 pontos, seis a mais que o Wilmington Hammerheads.

Nas três temporadas seguintes, o sucesso do Orlando City na terceira divisão estadunidense continuou, com mais dois títulos da competição, em 2012 e 2014 (boa vantagem de pontos para o segundo colocado em ambos), e um vice-campeonato, em 2013, quando a equipe perdeu a taça por somar um ponto a menos que o Richmond Kickers (55 contra 54).

Desde a criação, a diretoria do Orlando City almejava participar da Major League Soccer. As negociações para a compra de uma franquia duraram anos, até que em 19 de novembro de 2013, o brasileiro Flávio Augusto da Silva, ao lado do estadunidense Phil Rawlins, anunciou que o Orlando City jogaria a Major League Soccer 2015.

A estreia do Orlando City será hoje, 8 de março, em casa, diante do New York City, outra franquia nova da Major League Soccer – a partida terá transmissão dos canais ESPN, às 18h. O acanhado estádio Citrus Bowl (19.500 lugares) será o palco do embate, enquanto o novo estádio do Orlando City está sendo construído.

No comando de jovens jogadores

A grande atração da temporada é o meia brasileiro Kaká, jogador famoso em todo o mundo e que ganhará o maior salário da liga dos Estados Unidos, exatos R$ 17,6 milhões por temporada, aos 32 anos. Mas Kaká não é o único experiente no Orlando City.

O jogador mais veterano da equipe é o goleiro jamaicano Donovan Ricketts. Aos 37 anos, o atleta começou a carreira em seu país, defendeu Bolton Wanderers e Bradford City na Inglaterra, antes de desembarcar nos Estados Unidos, no Los Angeles Galaxy. Detalhe que Donovan Ricketts jogou na seleção entre 1998 e 2014, tendo participado da única Copa do Mundo do país, em 1998, com 100 convocações.

O meia inglês Lewis Neal, 33 anos, é o outro experiente do Orlando City, mas ele nunca atuou em grandes times. O maior deles foi o Stoke City (Inglaterra), nos primeiros cinco anos de carreira profissional, com passagens nas divisões inferiores de seu país e no DC United (Estados Unidos).

Com os três jogadores experientes, a média de idade do elenco de 30 jogadores do Orlando City atinge míseros 24,2 anos. Tudo em razão dos 11 atletas com no máximo 20 anos, alguns com experiência em seleções de base. Veja o perfil de alguns deles…

Rafael Ramos, lateral-direito. O português de 20 anos começou no futsal de seu país, aos 13 anos. Defendeu o Sporting Lisboa por várias temporadas, mas mudou para o sub-19 do Benfica em 2013/14. Rafael Ramos é resultado da parceria entre o Orlando City e o time português, que trouxe também o angolano naturalizado lusitano Estrela, de 19 anos.

Cristian Higuita, meia. O jogador colombiano começou no Deportivo Cali (Colômbia), no qual ficou três anos, período em que representou as seleções sub-15, sub-17 e sub-20 no Sul Americano das categorias. O curioso sobre Cristian é que ele é filho do lendário goleiro René Higuita, famoso por sua jogada Scorpion Kick na Copa do Mundo 1990!

Harrison Heath, volante. O inglês de 19 anos começou no sub-16 do Houston Dynamo (Estados Unidos), jogou na base do próprio Orlando City e também defendeu o sub-18       do Norwich City (Inglaterra) por duas temporadas. Contratado pelo Orlando City, Harrison Heath é simplesmente filho do atual treinador da equipe, o inglês Adrian Heath, ex-jogador de Everton e Manchester City e na função desde a criação do clube.

Pedro Ribeiro, atacante. O jogador brasileiro começou no futebol universitário estadunidense, até que chegou ao Philadelphia Union, participando de oito jogos na Major League Soccer 2014, sendo dois como titular, com um gol anotado e 262 minutos em campo. Aos 24 anos, Pedro Ribeiro nasceu em Belo Horizonte.

Bryan Róchez, atacante. O jogador hondurenho tem 20 anos, mas já colhe bons resultados em seu país. Ex-jogador do Real España, dono de 11 títulos nacionais [o terceiro no quesito, atrás de Olimpia (28) e Motagua (13)], Bryan Róchez se destacou após marcar 20 gols na temporada 2013/14, quatro a menos que o artilheiro. Detalhe que ele defendeu as seleções sub-17 e sub-20 e já tem seis convocações na equipe principal.

Informações

- O sistema de franquias do futebol estadunidense permitiu que um novo clube tomasse o lugar do Orlando City na terceira divisão nacional. Assim nasceu o Louisville City FC, que comprou o direito de jogar a competição e terá como técnico o ex-meia irlandês James O’Connor, que encerrou a carreira no próprio Orlando City, no qual era auxiliar-técnico e jogador. O acordo prevê que o Orlando City empreste pelo menos quatro jogadores para o Louisville City FC.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede