Clube do Remo na Série C: cadê os algozes dos 7 anos de calvário?

O torcedor do Clube do Remo certamente é o mais feliz do mundo desta semana. Depois de sete longas temporadas na Série D do Campeonato Brasileiro, ou por três vezes sequer classificado à competição nacional, o Clube do Remo finalmente conseguiu sair do inferno da última divisão do Brasil.

Depois de eliminar o Palmas (Tocantins) nas oitavas de final até com certa facilidade, o Clube do Remo encarou o Operário Ferroviário (Paraná), campeão estadual pela primeira vez em 2015. O confronto era complicado, mas o Clube do Remo facilitou-o bastante ao vencer na casa do adversário por 1 a 0, único que conseguiu tal feito nas quartas de final. Na volta, no estádio Mangueirão, mais de 33 mil torcedores estiveram no apoio ao time, que venceu por 3 a 1 e confirmou o acesso à Série C, disputada pela última vez em 2008.

Imagem de Amostra do You Tube

Enquanto o torcedor do Clube do Remo comemora a subida, o Plano Tático aproveita para relembrar como estão os sete times que eliminaram a equipe, seja no estadual ou na Série D, impedindo a realização do grande objetivo do clube na última década. É o momento de o torcedor do Clube do Remo olhar para cada uma delas e soltar gargalhadas, já que a maioria daqueles adversários está em situação ruim.

Delicie-se, torcedor azulino, e veja que os anos de dificuldade fortaleceram o sentimento pelo Clube do Remo!

São Raimundo, o algoz no Paraense 2009

No primeiro ano da criação da Série D, o Clube do Remo não esteve presente porque foi eliminado duas vezes pelo São Raimundo (Santarém) no Campeonato Paraense 2009. A primeira queda veio nas semifinais do turno, com empate de 1 a 1 – o adversário tinha a vantagem da igualdade por ter tido melhor campanha na primeira fase.

No returno, o Clube do Remo também se classificou às semifinais e desta vez teve o rival Paysandu pela frente. Também em jogo único, a equipe venceu por 2 a 1 e chegou à decisão, cujo vencedor encararia o Paysandu, vencedor do turno inicial. Claro, a decisão do returno foi diante do São Raimundo, que empatou em 1 a 1 no Mangueirão e venceu por 2 a 1 no estádio Colosso dos Tapajós, em Santarém.

Imagem de Amostra do You Tube

Como está o São Raimundo. O São Raimundo eliminou o Clube do Remo, é verdade, e perdeu o estadual com placar agregado de 9 a 3. Só que o time do interior representou bem o Pará ao ser o primeiro campeão da Série D. O problema é que o São Raimundo voltou à quarta divisão em 2011, caiu para a segunda divisão do Pará no ano seguinte e tenta sair dela até hoje.

Vila Aurora, o algoz na Série D 2010

O Clube do Remo não foi campeão paraense em 2010, ficando atrás de Paysandu e Águia de Marabá. Porém, a posição foi suficiente para o time jogar a Série D no segundo semestre. Na primeira fase, o Clube do Remo teve certa tranquilidade para superar América (Amazonas), Cametá (Pará) e Cristal (Amapá), somando 11 pontos em seis jogos.

Na segunda fase, as 20 equipes começaram o longo mata-mata, mas o Clube do Remo parou na primeira disputa. Diante do Vila Aurora (Mato Grosso), os paraenses até conseguiram bom resultado fora de casa, um empate sem gols. Na volta, o Clube do Remo abriu o placar com Vélber no início do segundo tempo, animando os 20 mil torcedores no estádio Mangueirão. Mas eis que o Vila Aurora empatou aos 24 minutos, manteve o resultado e seguiu adiante, eliminando o Clube do Remo.

Imagem de Amostra do You Tube

Como está o Vila Aurora. O Vila Aurora também passou pelo América do Amazonas na terceira fase e disputou o acesso com o Guarany de Sobral (Ceará). Em dois jogos, os cearenses fizeram seis pontos, quatro gols e levaram um, indo à Série C. Foi a última vez que o time de Mato Grosso teve algum sucesso: começou a brigar contra o rebaixamento no estadual e sucumbiu em 2013, chegou a ser readmitido em 2014, mas desistiu e se licenciou do futebol profissional.

Cametá e Independente, os algozes no Paraense 2011

O Clube do Remo não foi nada bem no estadual 2011. Apesar da liderança no primeiro turno, a equipe levou de 4 a 1 do Cametá no jogo de ida das semifinais e empatou em 3 a 3 na volta, ficando com o vice do turno. Na segunda etapa do torneio, o Clube do Remo foi o quarto colocado e parou de novo nas semifinais, tendo vencido o Independente Tucuruí por 1 a 0 em casa, mas sucumbindo no interior por 2 a 0.

Como está o Independente. O time do interior venceu o Cametá na final do returno e foi jogar com o Paysandu a decisão do estadual. Com dois empates, o Independente Tucuruí marcou três gols fora de casa e acabou surpreendendo o time da capital. Foi o primeiro clube do interior a vencer o Campeonato Paraense na história!

Imagem de Amostra do You Tube

A equipe ainda venceu um turno de estadual em 2015 (foi vice-campeã) e jogou duas vezes a Copa do Brasil (2012 e 2015), indo à segunda fase neste ano e quase passando pelo Goiás, além de uma participação na Copa Verde (2015).

Como está o Cametá. O Cametá foi campeão estadual em 2012, mas não se aproximou mais de disputar torneios nacionais, ficando no meio da tabela nas três temporadas seguintes.

Mixto, o algoz na Série D 2012

O Clube do Remo foi mal no primeiro turno do estadual e caiu nas semifinais diante do Águia Marabá. No returno, a equipe liderou a primeira fase, superou o Águia da Marabá nas semifinais e passou pelo São Francisco na decisão, com 3 a 0 em dois jogos. A final foi diante do Cametá, que jogou as duas partidas no estádio Mangueirão, mas venceu por 2 a 1 na ida e empatou a dois gols na volta.

Imagem de Amostra do You Tube

Com a perda do título, o Clube do Remo também ficaria de fora da Série D 2012, mas a equipe forçou a desistência do Cametá em troca de algum dinheiro nas contas do clube do interior e foi jogar a competição nacional. Após primeira fase relativamente tranquila (16 pontos em oito rodadas, três a mais que o terceiro Atlético Acreano), o Clube do Remo encarou o Mixto (Mato Grosso) nas oitavas de final.

O jogo de ida foi na casa do adversário, que fez 2 a 0 e se aproximou da vaga. Os paraenses tiveram pouco mais de 23 mil pagantes no estádio Mangueirão, abriram o placar aos dois minutos e ampliaram aos 22 minutos da etapa final, dissolvendo a desvantagem. O Clube do Remo estava pensando nos pênaltis, mas o Mixto marcou aos 39 do segundo tempo e seguiu adiante pelo saldo de gols.

Imagem de Amostra do You Tube

Como está o Mixto. O time matogrossense disputou o acesso à Série C com o Sampaio Corrêa (Maranhão), que subiu graças ao gol marcado fora de casa, após dois empates. O Mixto voltaria a brigar pelo acesso em 2013, desta vez sendo eliminado pelo Tupi (Minas Gerais), que acaba de ascender à Série B 2016. Hoje, o clube vive bagunça administrativa e dificilmente voltará tão cedo a uma competição nacional.

Paragominas, o algoz no Paraense 2013

O Clube do Remo começou bem o estadual 2013, liderando a primeira fase do primeiro turno com folga. O time passou pelo Paragominas, mas parou no rival Paysandu. Assim, o Clube do Remo precisava vencer o returno para jogar a Série D. O terceiro lugar na segunda etapa do torneio foi suficiente, o Clube do Remo eliminou o Paysandu nas semifinais e definiu a sorte diante do Paragominas.

O time da capital até venceu por 1 a 0 em casa, mas na volta o Paragominas fez logo 2 a 0, levou um do Clube do Remo, mas voltou a balançar as redes azulinas, eliminando o adversário e indo para a decisão do Campeonato Paraense 2013 – perdeu de 7 a 1 para o Paysandu em dois jogos.

Imagem de Amostra do You Tube

Como está o Paragominas. É fato que o Paragominas foi a grande surpresa no Pará em 2013, mas não conseguiu ir bem na Série D por um detalhe: perdeu pontos por escalação irregular de jogadores, sendo eliminado quando estava classificado em campo. Pior ainda para o modesto clube do interior foi o aumento das dívidas por causa da participação no torneio nacional, o que atrapalha o time desde então. O Paragominas foi o primeiro fora da zona de rebaixamento no estadual 2014 e ficou longe de jogar a Série D 2015.

Brasiliense, o algoz na Série D 2014

Campeão paraense, o Clube do Remo já garantiu o calendário no segundo semestre, mais uma vez tendo campanha fácil na fase de grupos da Série D. Foram 14 pontos, dois a menos que o líder Moto Club (Maranhão), mas cinco à frente do River (Piauí), que perdeu pontos por escalação irregular de atleta.

Porém, o fantasma da eliminação acometeu mais uma vez o Clube do Remo. Nas oitavas de final, o time paraense mediu forças com o Brasiliense (Distrito Federal), outra equipe de respeito na competição. Com quase 19 mil pagantes no estádio Mangueirão, o Clube do Remo sucumbiu por 2 a 1 diante do adversário, empatando em 1 a 1 o segundo jogo. Assim, o Leão mais uma vez parou precocemente na Série D, mas pela última vez!

Imagem de Amostra do You Tube

Como está o Brasiliense. O Brasiliense disputou o acesso com o Brasil de Pelotas, que só foi decidido nos pênaltis. Para a alegria (e secagem) do Clube do Remo, os brasilienses perderam nas penalidades e adiaram o sonho da Série C. Para piorar, o Brasiliense, campeão seis vezes das últimas dez edições do torneio do Distrito Federal, foi eliminado pelo rival Gama nas semifinais, ficando de fora da Série D e encerrando a temporada 2015 em 19 de abril.

Será que a derrocada dos adversários que eliminaram o Clube do Remo ao longo dos últimos sete anos não foi o troco da torcida do time paraense? Apenas o Independente Tucuruí teve bons resultados após superar o Clube do Remo!

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede