Copa do Brasil 2017: gols e curiosidades dos vexames na 2ª fase [1º e 2 de março]

Como a 2ª fase da Copa do Brasil também é em jogo único, as surpresas continuam a aparecer. Ainda mais com outra mudança no regulamento, já que nesta etapa o empate não é favorável ao time visitante (foi assim na 1ª fase), mas leva para as penalidades máximas.

Das 20 partidas, sete confrontos (ou 35%) foram definidos na marca da cal, e times de menor expressão aprontaram e seguem na Copa do Brasil. Alguns favoritos sobreviveram, mas o Plano Tático parabeniza também as quase zebras. Veja os gols, informações e curiosidades!

Outros textos sobre Copa do Brasil

As zebras da 1ª fase (8 e 9 de fevereiro)

As zebras da 1ª fase (15 e 16 de fevereiro)

As zebras da 2ª fase (22 e 23 de fevereiro)

Chance de zebra? | Caldense x Corinthians

Moto Club x São Paulo | Santos AP x Vasco

Volta Redonda x Cruzeiro | Princesa x Inter

Brusque x Remo | Cruzeiro x São Francisco

PSTC x São Paulo | Sinop x Fluminense

As zebras da Copa do Brasil 2017

Avaí 1×1 [2x3 pen.] Luverdense

O Luverdense/MT tinha uma tarefa complicada na Copa do Brasil: enfrentar o Avaí fora de casa, no estádio Ressacada, sendo que os catarinenses lideram o respectivo estadual com 20 pontos em oito jogos (6v, 2e, 0d). Tudo bem que o Luverdense também ainda não perdeu na temporada (é segundo de sua chave com 13 pontos em cinco jogos com 4v, 1e, 0d ao lado do Sinop), mas não é possível comparar as duas competições em termos de nível técnico.

Os prognósticos apontavam para classificação do Avaí, que subiu para a Série A, mas foi o Luverdense, há quatro anos na segunda divisão, que aprontou. Aos 13 do primeiro tempo, Diogo Sodré foi se aproximando da área, viu que não havia marcação forte e arriscou dali mesmo, acertando bonito chute no canto.

O Avaí sentiu o gol e tentou responder na força de vontade, mas não levou perigo. O Luverdense manteve a postura sem medo e saiu vitorioso para o intervalo. Na volta para a etapa final, os avaianos continuaram pressionando e empataram num chute de Marquinhos que o goleiro Diogo Silva (aquele, ex-Vasco da Gama) espalmou nos pés de Júnior Dutra (sim, outro ex-vascaíno), que mandou às redes.

O Avaí partiu para cima em busca da vitória, mas pecou nas finalizações e as penalidades decidiram o classificado à 3ª fase da Copa do Brasil. O Luverdense cobrou quatro e errou só uma, enquanto Marquinhos, Rômulo e Leandro Silva perderam três das cinco do Avaí, que acabou derrotado por 3 a 2 e eliminado da Copa do Brasil 2017.

Imagem de Amostra do You Tube

Próximo adversário. Corinthians (8 de março no MT, 15 de março em SP)

Histórico. Avaí e Luverdense já se encontraram cinco vezes, com 1v do time catarinense, 2v dos matogrossenses e dois empates. Antes da Copa do Brasil 2017, os jogos foram na Série B.

Curiosidade 1. O Avaí tem 11 confrontos contra equipes de Mato Grosso na história com quatro vitórias, três empates e quatro derrotas. O primeiro ocorreu diante do Dom Bosco no Brasileirão 1977, com triunfo catarinense por 3 a 1. Depois disso, o Avaí só voltou a vencer matogrossenses após quatro jogos ao fazer 3 a 1 no CEOV na Copa do Brasil 2015. Não perde desde 21 de abril de 2016, quando o CEOV fez 1 a 0 na ida do mesmo torneio.

Por sua vez, o Luverdense tem 15 embates diante de catarinenses, com cinco vitórias, sete empates e só três derrotas, a última justamente para o Avaí (2 a 1) na Série B 2016. O time de Lucas do Rio Verde já encarou Joinville, Criciúma e Chapecoense, o primeiro adversário catarinense, na Série C 2012 (1v, 1d).

Curiosidade 2. O Luverdense participa da Copa do Brasil pela quinta vez e jogou apenas 18 partidas (6v, 5e, 7d). A estreia foi em 2010 e, depois de duas quedas na 1ª fase, a equipe fez sua melhor campanha: em 2013, o Luverdense eliminou Tupi/MG, Bahia e Fortaleza e só parou nas oitavas de final diante do Corinthians, adversário de 2017.

O Avaí tem 12 participações na Copa do Brasil e retrospecto razoável: 49 jogos com 17v, 15e, 17d. Nas últimas três edições, a equipe caiu na 2ª fase e em 2014 atingiu a terceira etapa, quando foi superada pelo Palmeiras com duas derrotas (2 a 0 em casa e 1 a 0 fora). Na Copa do Brasil 2011, o Avaí foi até as semifinais e parou no Vasco da Gama, que seria o campeão.

—————————————————-

Ponte Preta 1×1 (4×5 pen.] Cuiabá

A Ponte Preta jogou em Campinas e esperava seguir na Copa do Brasil para dar um ânimo aos torcedores, já que o time, apesar do segundo lugar com 11 pontos (3v, 2e, 1d), só fez nove gols e levou outros nove, o que é preocupante já imaginando a disputa da Série A. Por outro lado, o Cuiabá estava confiante na campanha 100% no Campeonato Matogrossense (12 pontos em quatro jogos), dez gols a favor e nenhum contra.

A diferença técnica entre os dois estaduais é muito grande, mas isso não se viu no gramado do estádio Moisés Lucarelli… Os donos da casa começaram melhor e abriram o placar aos 19 minutos em falta cobrada por Lucca. A vantagem da Ponte era enorme, já que os cuiabanos começaram o jogo lá atrás e precisavam mudar a postura rapidamente.

Foi isso que o time matogrossense fez: equilibrou as ações e alcançou o empate com Cleberson Tiarinha aos 37 minutos. Na etapa final, a Ponte sentiu a pressão da torcida pela vitória e se perdeu em campo, dando chances claras ao Cuiabá na parte final do jogo. Sorte que o adversário não converteu, e a partida foi decidida nos pênaltis. Foram nove cobranças, 100% de acerto do Cuiabá nas cinco tentativas e o erro de Matheus Jesus na última penalidade, o que resultou na derrota e na eliminação da Ponte na Copa do Brasil por 5 a 4. A macaca está solta na Ponte, a torcida está revoltada com o time e o técnico Felipe Moreira.

Próximo adversário. Goiás (8 de março em GO, 15 de março no MT)

Histórico. Estreia do confronto na Copa do Brasil 2017

Curiosidade 1. O Cuiabá não está acostumado a enfrentar paulistas. Este foi apenas o terceiro jogo contra adversários daquele estado, e o Cuiabá nunca venceu: empates contra Portuguesa e Ponte Preta e derrota de 4 a 0 para a Portuguesa, todos pela Copa do Brasil.

A Ponte Preta, ao contrário, tem dez embates diante de matogrossenses, com 7v, 2e, 1d, esta na Série A 1978, 2 a 1 para o Mixto fora de casa. A maioria dos confrontos se deu na Série B, com cinco triunfos diante de Mixto (1971), CEOV (1992) e um empate contra o Luverdense em 2014. Há quase três anos a Ponte não encarava equipes do estado.

Curiosidade 2. O Cuiabá joga a Copa do Brasil pela oitava vez na história e tenta diminuir o retrospecto negativo (4v, 6e, 8d). A vaga na 3ª fase é inédita e antes disso o time só havia avançado à segunda etapa duas vezes, quando sucumbiu diante de Inter (5 a 2 em 2014) e Vasco (1 a 1 em 2015).

A Ponte Preta fez sua 14ª disputa no torneio, total de 69 partidas (30v, 17e, 22d), e a última derrota no tempo normal ocorreu em 27 de maio de 2015: 2 a 1 para o Coritiba na ida da 3ª fase, com eliminação nos pênaltis na volta, também em casa. A última queda na 2ª etapa da Copa do Brasil foi em 2011, quando a Ponte levou de 3 a 0 do Goiás em casa. Em 2001, o time alcançou as semifinais, parando no Corinthians com duas derrotas (2 a 0 e 3 a 0).

As quase zebras na Copa do Brasil

Brusque 0×0 [4x5 pen.] Corinthians

O Brusque, segundo colocado no Campeonato Catarinense 2017 e cinco pontos atrás do líder Avaí, ficou muito perto de fazer história e jogar a 3ª fase da Copa do Brasil pela primeira vez. Depois de eliminar o Remo/PA, um time da Série C, a equipe catarinense encarou o poderoso Corinthians, que mostrou dificuldades na partida e esteve longe do bom futebol.

O Corinthians era favorito, mas o tempo passava e os visitantes não conseguiam criar muitas chances, fazendo o Brusque gostar da partida no acanhado estádio Augusto Bauer, de 5 mil lugares. O time da casa deveria ter tido um pênalti marcado, mas o árbitro se equivocou ao dar vantagem a Jonatas Belusso (ele não caiu, seguiu no lance), que estava desequilibrado pelo toque do adversário e chutou fraco.

O empate sem gols levou a decisão da vaga na 3ª fase da Copa do Brasil para os pênaltis. Justo em sua reestreia, Jádson errou a primeira cobrança, e os catarinenses chegaram a fazer 4 a 3. Faltava um acerto para o Brusque seguir diante, mas João Carlos vacilou feio ao bater forte e acertar o travessão (Cássio já havia escolhido o lado errado).

O Corinthians retomou as forças, converteu as duas últimas cobranças e se classificou diante de erro do veterano lateral Carlos Alberto, ex-Figueirense e Atlético/MG. Mesmo com a queda na Copa do Brasil, o Brusque está de parabéns e deve continuar firme no estadual. Quem sabe pinta um acesso para a Série C, não é mesmo? Já o Corinthians encara o Luverdense.

Imagem de Amostra do You Tube

—————————————————-

Boa Esporte 0×0 [2x3 pen.] Goiás

O Boa Esporte/MG vive situação inusitada em 2017: o time mineiro subiu de volta à Série B, mas em contrapartida está disputando o Módulo II do Campeonato Mineiro, a segunda divisão – tem quatro pontos em dois jogos, no terceiro lugar, com uma partida a menos que os adversários. Nessa confusão de torneios de qualidade tão distinta ainda tem a Copa do Brasil 2017, na qual o Boa Esporte mediu forças com o Goiás, um dos favoritos ao acesso à elite e segundo em sua chave no Campeonato Goiano com 11 pontos em sete jogos (3v, 2e, 2d).

O Goiás tomou as rédeas da partida no estádio Municipal de Varginha, casa do Boa Esporte, no primeiro tempo, mas não traduziu em bola nas redes. Na etapa inicial, o jogo se inverteu e os mineiros passaram a perder oportunidades O Goiás só teve uma chance clara aos 42 minutos, mas Léo Gamalho perdeu o gol.

A partida foi para os pênaltis e houve várias reviravoltas. O Boa perdeu a primeira, o Goiás converteu. Depois o acerto foi dos mineiros e o vacilo, dos goianos. Na terceira série de cobranças, ambos se deram bem, mantendo o empate em 2 a 2. Depois, os dois erraram e deixaram a decisão para a quinta cobrança. Léo Sena acertou, Michael vacilou, e o Goiás segue na Copa do Brasil 2017 e vai enfrentar o Cuiabá/MT.

Imagem de Amostra do You Tube

ABC 1×1 [4x1 pen.] Audax/SP

Os paulistas do Osasco Audax, time presidido por Vampeta, já haviam superado o América de Natal, que está na Sérrie D. O embate seguinte foi justamente o ABC, o maior rival do adversário anterior. Enquando os potiguares disputam a final do turno do estadual com o Globo FC (na ida foi 1 a 1), o Audax tenta se distanciar da zona de rebaixamento no Paulistão, já que soma apenas sete pontos em seis jogos.

No estádio Frasqueirão, em Natal, o Audax não sentiu-se como visitante e dominou o primeiro tempo, empurrando o ABC para a defesa. Os anfitriões tiveram de apostar no contra-ataque, mas Nando perdeu muitas chances. Com a expulsão de Echeverría, o ABC perdeu força no meio-campo e levou o gol de Léo Arthur aos 33 da etapa final.

A cinco minutos do fim, Caio Mancha igualou o placar de pênalti, e a decisão do classificado foi na marca da cal. O ABC parece ter treinado cobranças, já que teve 100% de aproveitamento nas quatro tentativas. O Audax, porém, pecou no fundamento e errou dois dos três pênaltis, perdendo por 4 a 1. O ABC segue na Copa do Brasil e medirá forças com o São Paulo.

Imagem de Amostra do You Tube

Resultados da Copa do Brasil

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede