Copa do Mundo 2018: jovem Venezuela começa bem, mas de novo vacila [América do Sul]

Foto: Agencias

A Venezuela já começou há algumas rodadas o Projeto Copa 2022 e por isso uma vitória era muito importante para os jovens jogadores da seleção. E o melhor adversário para enfrentar em casa era justamente o Peru, que está muito à frente de venezuelanos e bolivianos nas eliminatórias para a Copa do Mundo 2018, mas também distante da briga pelo menos pela repescagem contra o campeão da Oceania, provavelmente a Nova Zelândia.

A Venezuela até começou bem a partida e foi para o intervalo fazendo 2 a 0, para a festa dos torcedores em Maturín. Porém, a inexperiência de alguns jogadores se contrastou com peruanos tarimbados, como Paolo Guerrero, e não deu outra: empate de 2 a 2 entre Venezuela e Peru, sendo que matematicamente os venezuelanos já não podem se classificar diretamente para a Copa do Mundo 2018.

Tudo sobre as eliminatórias 2018

Ato 1 | Venezuela 0×1 Paraguai Ato 2 | Brasil 3×1 Venezuela

Ato 3 | Bolívia 4×2 Venezuela Ato 4 | Venezuela 1×3 Equador

Ato 5 | Peru 2×2 Venezuela Ato 6 | Venezuela 1×4 Chile

Ato 7 | Colômbia 2×0 Venezuela Ato 8 | Venezuela 2×2 Argentina

Ato 9 | Uruguai 3×0 Venezuela Ato 10 | Venezuela 0×2 Brasil

Ato 11 | Venezuela 5×0 Bolívia Ato 12 | Equador 3×0 Venezuela

Venezuela na Copa América 2016

O time da Venezuela

O técnico Rafael Dudamel, 44 anos, também um jovem promissor que está na seleção principal após comandar as equipes sub-17 e sub-20 do país, mostrou mais uma vez que deseja renovar o elenco visando às eliminatórias da Copa 2022. Dos 28 convocados, a média de idade foi de apenas 23,6 anos, sendo veteranos os meias Alejandro Guerra, 31, do Palmeiras, e o capitão Tomás Rincón, 29, da Juventus, além do atacante Salomón Rondón, 27, do West Bromwich Albion (Inglaterra).

Para se ter uma ideia, eles são os únicos com mais de 50 partidas na seleção principal. O problema é que Rincón se transferiu do Genoa e não vem jogando muito em seu novo clube, só 156 minutos em oito jogos desde janeiro de 2017. Já Rondón não marca na Premier League há 15 rodadas, ingressando no banco de reservas em alguns jogos.

Jovens importantes também não estavam muito prestigiados em seus clubes na Europa, casos do lateral Mikel Villanueva, 23, e Adalberto Peñaranda, 19, ambos do Málaga (Espanha) – o segundo está emprestado, é da Udinese. Com apenas os três goleiros, dois meias e um zagueiro atuando na Venezuela, Dudamel teve de esperar para contar com todo o elenco até 21 de março, só dois dias antes do jogo contra o Peru.

Isso atrapalhou a Venezuela, sem contar a lesão de Juan Pablo Añor, também do Málaga. Dudamel preferiu não chamar Roberto Rosales, outro jogador da equipe espanhola, que tem 28 anos e 68 convocações, e Oswaldo Vizcarrondo. Moralmente eliminada, a Venezuela queria encarar a partida como se estivesse brigando por vaga na Copa do Mundo 2018, ainda mais jogando em casa contra o Peru, que não vence em solo adversário há seis jogos, desde 1999.

O time titular. Wulker Fariñez; Rolf Felstcher, Mikel Villanueva, Wilker Ángel e Alexander González; Rómulo Otero, Alejandro Guerra, Josef Martínez, Tomás Rincón e John Murillo; Salomón Rondón.

Ato 13 | Mais uma decepção

Foto: Prensa Vinotinto

A Venezuela era a anfitriã e teve a primeira finalização, mas Josef Martínez chutou fraco e sem perigo. O Peru respondeu com duas chances para Paolo Guerrero, mas o goleiro Wulker Fariñez, de apenas 19 anos (joga no Caracas), não teve problemas para defender. Os venezuelanos tinham mais posse de bola e trocavam mais passes, mas chegaram mesmo na bola parada…

Aos 24 minutos, falta para a Venezuela na esquerda e o cruzamento parou na cabeça de um jogador dos anfitriões, que cabeceou no travessão. No rebote lá estava Mikel Villanueva, à frente do marcador, para desviar de cabeça de dentro da pequena área! O Peru tentou responder com André Carrillo, mas novamente o goleiro trabalhou bem. Aos 40 minutos, outra falta resultou em comemoração venezuelana.

Rómulo Otero, do Atlético Mineiro, teve falta a 30 metros de distância do gol, na intermediária ofensiva. Os jogadores se movimentaram na grande área para receber o cruzamento, mas o jogador de 24 anos arriscou o chute direto e contou com contribuição do goleiro peruano, que poderia ter pelo menos espalmado!

Com vitória de 2 a 0 praticamente no intervalo, a situação da Venezuela estava muito boa para conseguir os três pontos, ainda mais que o Peru só venceu o Paraguai fora de casa (contra a Bolívia, o triunfo de 3 a 0 veio em punição ao adversário). Com uma vantagem tão grande, nenhum venezuelano imaginava que o resultado não fosse os três pontos.

Porém, logo a 26 segundos da etapa final, o Peru tocou a bola na entrada da área do adversário e Carrillo recebeu na linha da pequena área. Mesmo com pouco espaço, já que o goleiro saiu desesperado para fechar o ângulo, o jogador peruano ainda conseguiu dar uma cavadinha na bola, tirando-a do alcance do adversário. A bola ainda tocou de leve na trave antes de entrar.

O gol assustou a jovem equipe da Venezuela, ainda inexperiente em partidas internacionais importantes, enquanto os peruanos ganharam confiança. A partir daí, os visitantes passaram a criar muitas chances, embora finalizassem mal na maioria das vezes – foram 14 chutes do Peru, só seis na direção do gol, enquanto a Venezuela acertou só duas das sete tentativas, além dos gols, claro.

A insistência peruana resultou no empate aos 19 minutos. Após cobrança de escanteio, Paolo Guerrero disputou no alto com um adversário pouco além da marca do pênalti e testou a bola no cantinho do goleiro, à meia-altura, sem chance de defesa! A partir do empate, a partida ficou aberta para os dois times, mas ninguém conseguiu balançar mais as redes!

Imagem de Amostra do You Tube

O futuro da Venezuela

Evidentemente, Rafael Dudamel não escondeu a chateação pelo empate após estar vencendo por dois gols, mas se mantém otimista com relação às próximas eliminatórias: “Tenho uma boa sensação de futuro a curto, médio e longo prazo. Goleiro, por exemplo, teremos para uns 20 anos tranquilamente”, disse à imprensa, elogiando Fariñez.

Claro que a Venezuela sentiu muito o primeiro gol peruano, algo normal para atletas jovens e que ainda necessitam de força mental. A equipe demorou a acordar, o que só aconteceu com o segundo gol sofrido, mas o desempenho no primeiro tempo não pode ser diminuído, pois o time construiu um resultado.

É bom lembrar que três jogadores eram da seleção sub-20, incluindo o goleiro Wulker Fariñez, que viveu a alegria de levar a seleção de base ao Mundial da categoria, algo que o Brasil não conseguiu. A renovação da equipe é algo certo, tanto que será difícil para atletas mais veteranos, como o zagueiro Oswaldo Vizcarrondo, 32 anos e 81 partidas, seguir prestigiado na convocação – ficar fora dos jogos de março não foi coincidência.

A próxima partida é contra o Chile (terça-feira, 28 de março), fora de casa, um adversário que virá sedento em busca dos três pontos, já que hoje estaria fora até da repescagem – tem 20 pontos, levando desvantagem para o Equador nos critérios de desempate. Mais um desafio para a jovem Venezuela, que está apenas começando a subir os degraus rumo a uma boa participação nas eliminatórias da Copa 2022, quem sabe com a tão sonhada vaga no Mundial.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede