Copa do Mundo 2018: Síria entra na briga no Grupo A; equilíbrio no B [Eliminatórias da Ásia]

Faltam quatro rodadas para o fim das Eliminatórias Asiáticas para a Copa do Mundo 2018 e a situação dos dois grupos da fase final continua indefinida. Apenas o Irã parece se desgarrar do pelotão rumo à Copa do Mundo 2018, enquanto as outras três vagas diretas estão em aberto.

Pode-se dizer que a grande vencedora da sexta rodada é a Síria, que sabia da enorme importância de um resultado contra o Uzbequistão em casa, adversário direto no Grupo A. Na chave B, Japão, Arábia Saudita, Austrália e Emirados Árabes Unidos ainda sonham com a Copa do Mundo 2018, com vantagem para os dois primeiros. Lembrando que o terceiro colocado de cada grupo vai para a repescagem asiática, com o vencedor enfrentando o quarto das eliminatórias Concacaf por mais uma vaga na Copa do Mundo 2018.

Resumo das eliminatórias da Copa 2018

Fase Final. 1ª rodada | 2ª rodada

3ª rodada | 4ª rodada | 5ª rodada

Grupo A

Síria ainda sonha

Os sírios enfrentam todas as dificuldades possíveis nas eliminatórias para a Copa do Mundo 2018. Precisando jogar fora de casa como mandante por causa da Guerra Civil, a Síria encarou o Uzbequistão no interior da Malásia e sabia que precisava da vitória para moralmente não dar adeus à Copa do Mundo 2018.

Os uzbeques eram mais experientes e buscaram o ataque de forma mais organizada, mas não tiveram êxito. Já os sírios apostavam nos lançamentos longos para pegar a defesa adversária desprevenida e finalizavam mais de fora do que de dentro da área. Até que a Síria chutou mais, 15 vezes, mas só acertou três no alvo, assim como o Uzbequistão, que teve 12 oportunidades.

No primeiro tempo, os visitantes tiveram grande chance em cobrança de escanteio, mas a ótima cabeçada de Egor Krimets, para o chão, foi interceptada por Moayad Al Ajan praticamente em cima da linha! Enquanto os uzbeques tomavam a iniciativa do jogo, os sírios tentavam surpreender no contra-ataque.

No segundo tempo, Firas Al Khatib recebeu passe na esquerda e entrou na área com só um adversário no combate. Ele pôs de lado e já ia passando, mas Egor Krimets esticou a perna e derrubou o adversário, no que o árbitro marcou pênalti. Já eram 46 minutos, mas o jovem atacante Omar Khribin, 23 anos, grande promessa do país que joga no Al Hilal (Arábia Saudita), segurou a pressão e bateu de cavadinha no meio do gol! Festa dos 350 torcedores no estádio e esperança de vaga pelo menos na repescagem para a Síria.

Imagem de Amostra do You Tube

China surpreende

Ao lado do Japão, a Coreia do Sul é a seleção asiática com mais jogadores no futebol europeu. Entretanto, a experiência não resultou em bola nas redes para os sul-coreanos, que precisavam vencer para ficarem tranquilos na tabela, bem perto da Copa do Mundo 2018. Já a situação da China ainda é complicada, mas sem vitória a equipe estaria moralmente eliminada.

Os sul-coreanos dominaram a partida e atacaram melhor do que a China, que se destacou mais no sistema defensivo com sete desarmes corretos, 100% de aproveitamento. Porém, os chineses começaram melhor e conseguiram uma finalização rasteira com Yu Dabao após escorregão de um zagueiro adversário.

E, no raro momento superior, a China conseguiu balançar as redes. Após cobrança de escanteio aos 34 minutos, a bola foi na primeira trave e se ofereceu para Yu Dabao, que desviou de cabeça da pequena área, surpreendendo a marcação. A pelota entrou no canto oposto do goleiro sul-coreano, que reagiu tardiamente diante do quique da bola!

O gol animou os quase 31 mil torcedores no estádio, mas a China preferiu recuar para garantir o resultado e viu a Coreia do Sul partir para o ataque. A primeira chance foi com Lee Jeong-hyeop, que levou uma bolada do companheiro que queria cruzar e a bola foi no ângulo num lance sem querer!

Na etapa final, Ki Sung-yueng, capitão da seleção e jogador do Swansea City (País de Gales), que atua na Premier League, recuperou a bola na intermediária ofensiva, se aproximou da área  finalizou rasteiro no canto, para boa defesa do goleiro chinês, que espalmou para o lado.

O único ataque perigoso dos chineses foi no final da partida com Wu Xi, que recebeu passe na meia-lua de frente para o gol e obrigou o goleiro a se esticar todo para mandar a bola a escanteio. No ultimo lance, Hong Jeong-ho subiu bonito de cabeça em escanteio e só não marcou porque a bola bateu no peito de um chinês em cima da linha.

A Coreia do Sul apostou muito nas jogadas aéreas e errou a maioria e só teve cinco chutes a gol contra quatro dos chineses – ambos finalizaram 12 vezes. Agora, a equipe precisa vencer para não se complicar, enquanto a China tem que tirar grande diferença para a repescagem.

Imagem de Amostra do You Tube

Irã caminha a passos largos

Enquanto as outras seleções da chave brigam pela Copa do Mundo 2018, o Irã parece que terá tranquilidade na reta final das eliminatórias. Com quatro pontos de vantagem para o segundo colocado, a equipe vai enfrentar China e Uzbequistão em casa nas próximas rodadas e tem tudo para carimbar o passaporte à Copa do Mundo 2018.

Já o Catar está praticamente eliminado, mas não fez um mau jogo. O time da casa teve 60% da posse de bola, trocou 100 passes a mais que os iranianos, resultado da presença do conhecido brasileiro Rodrigo Tabata, 36 anos, mas o uruguaio Sebastián Soria, 33 anos e 33 gols em 109 partidas na seleção, não conseguiu finalizar a contento.

Já o Irã tinha atacantes mais poderosos e bem no futebol europeu, tanto que a primeira chance foi de Karim Ansarifard, do Olympiacos (Grécia), que chutou forte de dentro da área, mas em cima do goleiro, que defendeu em dois tempos. O Catar respondeu em cobrança de falta de Tabata, que foi nas mãos do goleiro porque ninguém conseguiu desviá-la.

Sardar Azmoun, promessa de 22 anos do Rostov (Rússia), tentou um meio-voleio após cobrança de lateral para a área, mas a bola bateu no goleiro e foi a escanteio. No início do segundo tempo, aos sete minutos, Mehdi Taremi recebeu lindo lançamento, deixou os dois zagueiros para trás, invadiu a área e tocou rasteiro no canto do goleiro, cara a cara!

O Catar levou perigo num chute do meio-campo de Ibrahim Majed, que o goleiro soltou e pegou um instante antes de Sebastián Soria conseguir o desvio. O melhor aproveitamento nas finalizações (sete contra quatro) deixa o Irã bem perto da Copa do Mundo 2018!

Imagem de Amostra do You Tube

Grupo B

Japão vence jogo-chave

Na partida mais esperada da rodada, japoneses e emirianos sabiam que vencer era muito importante para ter vantagem na reta final, já que das quatro seleções que brigam, uma vai para a repescagem e outra ficará de fora da Copa do Mundo 2018. Atuando em casa com apoio de quase 24 mil pessoas, os Emirados Árabes tiveram volume de jogo parecido com o do adversário, mas pararam na boa marcação japonesa.

Os visitantes começaram melhor e levavam vantagem no um contra um, embora pecassem no momento da finalização. Tudo mudou aos 14 minutos, quando Yuya Kubo recebeu passe em profundidade na direita, já dentro da área, mas não tinha muito ângulo para chutar. Só que o goleiro emiriano saiu mal do gol e deixou um espaço entre ele e a trave, exatamente onde Kubo finalizou para abrir o placar!

Logo em seguida, Ali Mabkhout, que tem 38 gols em 46 jogos na seleção principal, poderia ter empatado, mas o goleiro salvou cara a cara com o goleador emiriano. Precisando da vitória, o time da casa voltou para o segundo tempo com intenção de fazer gols, mas o Japão segurou a pressão num momento-chave da partida, já que o empate logo no início mudaria o jogo.

Melhor ainda (para os japoneses), o segundo gol dos visitantes saiu aos seis minutos. Cruzamento na área, o zagueiro errou totalmente o tempo de bola e ela ficou limpa para Yasuyuki Konno, que matou no peito e finalizou por baixo do goleiro! O gol desanimou os emirianos e até que o Japão poderia ter feito mais. Grande vitória japonesa!

Imagem de Amostra do You Tube

Austrália tropeça

Os australianos poderiam ter dado passo importante para continuar brigando por vaga direta na Copa do Mundo 2018 com Arábia Saudita e Japão, mas a equipe não superou o Iraque, que não tem um grande time e ainda jogou fora de casa, no vizinho Irã, para pouco mais de 3 mil pessoas – a Guerra impede o país de receber partidas. Como era de se esperar, a Austrália dominou o jogo na maior parte do tempo, pois teve mais posse de bola (64%) e finalizou quatro vezes na direção do gol, contra três do adversário – ambos tiveram dez oportunidades.

A primeira chance foi dos visitantes, mas o goleiro mandou a escanteio chute de Jackson Irvine. Mesmo debaixo de chuva torrencial, os australianos marcaram. Em cobrança de escanteio de Aaron Mooy, do Huddersfield Town, candidato à promoção na 2ª divisão inglesa, Mathew Leckie subiu totalmente sozinho e testou para as redes!

Eram 39 minutos do primeiro tempo, vantagem importante para a Austrália. Na etapa final, o time quase marcou o segundo, mas o próprio Mooy e Tomi Juric não completaram na marca do pênalti o cruzamento rasteiro de Robbie Krusie, INCRÍVEL! O Iraque começou a se lançar ao ataque e, após uma ou duas tentativas frustradas, a equipe comemorou…

Cruzamento da esquerda passou no meio da área por todo mundo, mas lá na direita estava Ahmed Yasin, que esticou a perna e se jogou na bola para desviar às redes, livre de marcação. Foi um duro golpe para a Austrália, que tem pouca vantagem para os Emirados Árabes, adversário da próxima rodada, em solo australiano.

Imagem de Amostra do You Tube

Arábia Saudita tranquila

Por outro lado, os sauditas venceram fácil a Tailândia, seleção mais fraca da fase final das eliminatórias, e estão cada vez mais perto da Copa do Mundo 2018, possível retorno da equipe, que não joga o torneio desde a Alemanha 2006. Mesmo fora de casa e com 41 mil vozes contrárias, a Arábia Saudita soube tirar proveito da inocência do adversário.

Tanto que o primeiro gol surgiu graças à boa movimentação do ótimo atacante Mohammad Al Sahlawi, 30 anos, que tem 27 gols em 29 jogos na seleção. Aos 25, ele percebeu que receberia lançamento de um companheiro, se deslocou para receber sem marcação e dominou no peito antes de finalizar na saída do goleiro!

Os sauditas quase ampliaram na sequência, mas a Tailândia também teve algumas oportunidades, embora finalizasse mal – só um dos seis chutes foi na direção do gol. Na etapa final, a Tailândia até começou pressionando, mas a falta de precisão nos fundamentos decisivos (cruzamentos e finalizações) impedia que os donos da casa levassem perigo. A seis minutos do fim, os sauditas resolveram a partida…

Após cruzamento da esquerda, o meia tailandês Tanaboon Kesarat estava dentro da área e deu carrinho para cortá-lo, mas mandou às próprias redes! Aos 47, um jogador invadiu a área com liberdade e rolou para o meio, encontrando Salman Al Moasher totalmente livre. Ele só desviou a bola às redes para comemorar seu primeiro gol em 12 partidas pela seleção.

Ainda não se pode falar que a Arábia Saudita está na Copa do Mundo 2018, pois a equipe ainda encara Austrália e Emirados Árabes fora de casa e o Japão em seus domínios na última rodada. Vencer o próximo jogo, contra o Iraque em casa, é primordial. Com um ponto, a Tailândia não vai para a Copa do Mundo 2018 e nem à repescagem.

Imagem de Amostra do You Tube

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede