Copa do Mundo 2018: zebras, goleadas e curiosidades [Eliminatórias Europeias]

Na quinta de dez rodadas das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo 2018, as seleções favoritas não tiveram problemas em sua maioria. A única a tropeçar foi a Holanda, que perdeu para a Bulgária e parece ter entrado numa crise. Bósnia Herzegovina e República Checa humilharam seus adversários, enquanto a Bélgica se livrou de um péssimo resultado, a Escócia volta a sonhar e Andorra está comemorando. Veja nosso resumão!

Tudo sobre as eliminatórias 2018

Classificação da Europa

1ª rodada | 2ª rodada | 3ª rodada

4ª rodada

A surpresa

Bulgária 2×0 Holanda | Grupo A

A terceira colocada na Copa 2014 pode ficar fora da Copa do Mundo 2018. A sina de maus resultados da Holanda, que também não jogou a Eurocopa 2016, pode se repetir nas eliminatórias da Rússia. Os holandeses enfrentaram a Bulgária fora de casa e precisavam da vitória para se aproximarem de França e Suécia.

Só que os búlgaros trataram de esfriar o adversário logo aos cinco minutos, quando Spas Delev recebeu um chutão que virou lançamento longo. Ele ganhou do jovem zagueiro Matthijs de Ligt, 17 anos, do Ajax, ao ultrapassá-lo, chegou  à frente dele dentro da área e ainda conseguiu driblar o goleiro, entrando com bola e tudo!

O gol deu a tranquilidade que os búlgaros precisavam, já que agora era a Holanda quem tinha de sair para o jogo e deixar espaços. Foi isso que os visitantes fizeram, mas em todo o jogo só acertaram três finalizações no gol em dez tentativas. Enquanto isso, a Bulgária aproveitou o espaço e ampliou a vantagem com o mesmo Delev aos 20 minutos – foram seus primeiros gols com a camisa da seleção.

Ele recebeu passe de costas na entrada da área, girou a fim de ficar de frente para o gol e abriu ângulo na marcação adversária. Assim, Delev teve espaço e finalizou forte no canto, sem chance para o goleiro – de novo a zaga deu muito espaço e falhou. O ótimo aproveitamento búlgaro (quatro chutes na direção do gol em seis tentativas) praticamente resolveu a partida, já que a Holanda não conseguiu reagir.

No segundo tempo, Arjen Robben chutou bonito de dentro da área, mas o goleiro búlgaro estava bem posicionado para defender do jeito que dava. À medida que o tempo passava, os holandeses foram desanimando por causa da longa desvantagem e não levaram mais perigo.

Com sete pontos, a Holanda está a três da Suécia e precisa ganhar os confrontos diretos para voltar a brigar por vaga na Copa do Mundo 2018. E não será com o técnico Danny Blind, demitido após a derrota: “Estávamos no caminho certo, o revés foi um acidente. Dediquei-me de corpo e alma, é uma pena que termine assim”. Crise instalada no reino laranja?

Imagem de Amostra do You Tube

As goleadas

Bósnia 5×0 Gibraltar | Grupo H

Gibraltar disputa nas eliminatórias para a Copa do Mundo 2018 seu primeiro qualificatório para o torneio da FIFA e até agora são cinco derrotas, dois gols anotados e 22 contra. Como era de se esperar, a Bósnia Herzegovina não teve nenhuma dificuldade para golear o adversário, que ficou atrás o tempo todo e só teve duas finalizações, uma na direção do gol.

O primeiro gol bósnio aconteceu logo aos quatro minutos. Após toque de bola no meio-campo, um jogador arriscou lançamento longo e encontrou Vedad Ibisevic livre na área. Ele dominou com extrema categoria, protegeu a bola de um adversário que nem fez menção de tentar desarmar e chutou rasteiro e cruzado, abrindo o placar.

O jogo estava tão fácil que a Bósnia Herzegovina relaxou até demais e errou muitas finalizações, já que só oito das 27 tentativas tiveram a direção do gol. No fim do primeiro tempo, aos 43 minutos, houve tabelinha entre dois bósnios e um jogador foi à linha de fundo e cruzou até forte, mas Ibisevic subiu para colocar a cabeça na bola e marcar! Os gibraltinos reclamaram impedimento, mas o árbitro confirmou o gol.

No início da etapa final, dois gols transformaram o jogo em goleada. Aos sete, um jogador visitante não cortou o cruzamento numa furada incrível e a bola sobrou na segunda trave para Avdija Vrsajevic, que completou para as redes com finalização no alto. Aos 11, outro lance de linha de fundo, cruzamento para trás e dessa vez finalização bonita de Edin Visca, que emendou um meio-voleio para acertar o canto do goleiro.

Depois de mais um relaxamento, a Bósnia ainda teve tempo para fechar a goleada. Aos 48 minutos, cobrança de falta rápida deixou um jogador livre na área. Ele foi à linha de fundo e cruzou para Ermin Bicakcic, que pegou de primeira na marca do pênalti e acertou o alvo. Os jogadores de Gibraltar ficaram nervosos consigo mesmos, enquanto a Bósnia aproveitou o empate entre belgas e gregos para se aproximar de ambos na briga pela Copa do Mundo 2018.

Imagem de Amostra do You Tube

San Marino 0×6 República Checa | Grupo C

Como era de se esperar, San Marino não foi páreo para a República Checa. Mesmo atuando fora de casa, os checos cumpriram o roteiro e golearam. O primeiro gol demorou 17 minutos para sair… No toque de bola de primeira, a República Checa envolveu facilmente a marcação samarinesa, invadiu a área e a bola chegou para Antonín Barák, que rolou às redes antes do goleiro!

Não demorou muito e dois minutos depois veio outro gol. A bola estava dominada na defesa por um jogador de San Marino, mas ele se atrapalhou todo e a perdeu para um adversário, que invadiu a área e tocou para trás. Livre, Vladimír Darida recebeu, dominou, ajeitou e bateu no alto, sem chance de defesa!

Mais cinco minutos se passaram até o terceiro gol. Num passe por elevação, a bola chegou para um jogador checo, que estava de costas e ajeitou para Barák. Na entrada da pequena área, ele bateu de primeira para comemorar. Dois minutos depois, o quarto: após cobrança de escanteio curta, um jogador foi à linha de fundo e cruzou rasteiro.

A bola passou por todo mundo, mas lá na segunda trave estava Gebre Selassie, um dos mais experientes da seleção, que se esticou para mandar às redes de carrinho! Ainda no primeiro tempo, aos 43, os checos marcaram o quinto sobre San Marino, que só finalizou três vezes, duas na direção do gol – os checos tiveram 19 chutes, dez no alvo, e acertaram a trave.

Num lançamento longo para a esquerda, a bola era mais de um jogador samarinês, mas ele furou e um checo aproveitou para cruzar. Por trás do zagueiro, Michael Krmencík foi em direção à bola e deixou-a bater em seu corpo para entrar! No sexto e último gol, aos 32 da etapa final, um samarinês errou o tempo de bola e foi com a perna no corpo de um adversário, derrubando-o na área. Pênalti convertido por Darida, muito bem batido!

Imagem de Amostra do You Tube

Outros jogos

Bélgica 1×1 Grécia | Grupo H

O empate não chegou a ser zebra, mas quase que os belgas tropeçaram em casa diante da Grécia. Como era de se esperar, os visitantes fizeram a conhecida retranca, com apenas duas tentativas ofensivas e um chute na direção do gol, quando a bola entrou nas redes.

Com apenas 15 segundos no segundo tempo, a Bélgica não afastou o perigo e um toque de cabeça aparentemente inofensivo de um grego acabou virando lançamento para o ótimo atacante Konstaninos Mitroglou. Ele invadiu a área à frente do zagueiro e tocou bonito na saída do goleiro, abrindo o placar.

A Bélgica foi em busca do empate, ficou com um jogador a mais aos 20 minutos, mas foi muito mal nos arremates – 17 chances criadas, mas apenas cinco na direção das redes. O jogo caminhava para uma importante vitória da Grécia, mas aos 44 minutos a bola chegou para Romelu Lukaku.

Dentro da área e de costas para o gol, ele girou em cima da marcação adversária e bateu com muita rapidez, acertando o canto do goleiro no alto, sem chance de reação! Aos 50, os gregos ainda tiveram outro expulso, mas não deu mais tempo. O empate foi dolorido para a Grécia, mas pelo menos a equipe fica com 11 pontos, na zona de repescagem e a dois dos belgas. Na próxima rodada, em junho, tem jogo decisivo, já que a Grécia visita a Bósnia.

Imagem de Amostra do You Tube

Escócia 1×0 Eslovênia | Grupo F

Evidentemente, a Escócia não frequenta as grandes competições há muito tempo, já que a última vez na Copa do Mudo foi na França 1998 e na Eurocopa ocorreu em 1996. Por outro lado, nesse período a Eslovênia jogou as copas de 2002 e 2006, além da Eurocopa 2000.

Portanto, os eslovenos tinham amplas condições de vencer os escoceses fora de casa, mas abdicaram da partida e só chutaram quatro vezes, uma na direção do gol. A Escócia, por outro lado, finalizou 16 vezes, cinco no alvo, além de ter acertado a trave em duas oportunidades.

A partida caminhava para o empate sem gols, mas aos 43 minutos da etapa final ocorreu o milagre… Com toda a Escócia no campo de ataque, a equipe recuperou a bola e ela chegou na área para Chris Martin, que dominou, ajeitou e bateu cruzado no contrapé do goleiro, acertando o cantinho oposto! A bola ainda bateu na trave!

Festa incrível dos escoceses, que voltam a sonhar, se não com a Copa do Mundo 2018, pelo menos em uma vaga na repescagem. São sete pontos no quarto lugar, dois atrás da Eslováquia. A Inglaterra lidera com 13 pontos e é a próxima adversária da Escócia, em Glasgow. Será que os escoceses podem ir mais longe?

Imagem de Amostra do You Tube

A curiosidade

Andorra 0×0 Ilhas Faröe | Grupo B

É claro que Andorra x Ilhas Faröe não chamou a atenção, mas o empate sem gols em Andorra la Vella, capital do país, reserva uma situação curiosa. O ponto conquistado pelos andorranos interrompe sequência de 58 derrotas em jogos oficiais da equipe, que não somava um único ponto desde o empate sem gols com a Finlândia em 3 de setembro de 2005. Nesse período, Andorra fez 11 gols e levou 192, incluindo eliminatórias da Copa e da Eurocopa.

Detalhe que Ilhas Faröe ficaram os 16 minutos finais com dez jogadores e perderam uma chance de ouro com Hallur Hansson numa cabeçada errada. O próximo objetivo: findar o tabu de 66 partidas sem vitória em eliminatórias. Será que Andorra vai conseguir?

Informações

- O lendário goleiro Gianluigi Buffon, 39 anos, foi o titular na vitória da Itália sobre a Albânia. Além de ter alcançado seu milésimo jogo na carreira (clubes e seleção), incluindo 612 com a camisa da Juventus e outras 220 pelo Parma. Na seleção, Buffon atingiu 168 partidas, ultrapassando o espanhol Iker Casillas (167), que era o jogador com mais partidas por uma seleção europeia na história. Agora, Buffon tenta alcançar o egípcio Ahmed Hassan, o recordista mundial com 184 jogos.

Imagem de Amostra do You Tube

- Até o momento, as eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo 2018 tiveram 135 partidas disputadas dum total de 270, bem no meio da competição. São 400 gols marcados (média de 2,96 por jogo), a maioria (72) entre 31 e 45 minutos do segundo tempo. A Espanha tem 93% de passes certos e posse de bola em 68%, neste quesito ao lado da Inglaterra. Portugal chutou 130 vezes a gol, mas a Bélgica tem o melhor ataque com 22 bolas nas redes.

- Suiça (Grupo A) e Alemanha (Grupo C) são as únicas seleções 100% até aqui. Por outro lado, San Marino (Grupo C), que fez um gol e levou 23, Malta (Grupo F), que marcou duas vezes e sofreu 13 gols, Liechtenstein (Grupo G), autor de um gol a favor e 19 contra, além de Gibraltar (Grupo H), que tem dois gols anotados e 22 sofridos, são os únicos que ainda não têm pontos.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede