Tag - futebol sul matogrossense - Plano Tático

Morenão de volta: maior estádio do MS sediará clássico Comercial x Operário

Foto: Reprodução/ TV Morena

O futebol sul-matogrossense se prepara para um retorno histórico: no próximo dia 19 de fevereiro de 2017, domingo, às 17h (horário de Brasília), vai acontecer o maior clássico do estado. O Operário será o mandante contra o Comercial, e o jogo pode valer a liderança do Grupo A. Mas, pelo menos neste embate, o dono da festa não será o clássico Comerário, como é conhecido o confronto.

O que importa é o palco da partida: o histórico e famoso estádio Morenão, que finalmente foi reinaugurado e vem sediando partidas oficiais depois de quase três anos. As promessas foram várias, por muitos anos a expectativa acabou frustrada, mas dessa vez o torcedor sul-matogrossense poderá se sentar nas cadeiras a fim de apreciar o clássico local. E o Plano Tático comemora esse momento singular na história do futebol sul-matogrossense mostrando os detalhes da recente reforma no estádio Morenão e curiosidades da praça !

A longa espera pelo Morenão

13 de abril de 2014. No segundo jogo da final do Campeonato Sul-Matogrossense, o CENE vence o Águia Negra por 2 a 0 e levanta seu sexto título estadual, já que havia perdido por 2 a 1 na ida. Maycon marcou os dois gols do jogo, diante de 5.970 testemunhas no estádio Morenão. Mal sabiam aquelas equipes e os torcedores, mas este seria o público mais recente a frequentar a maior praça esportiva do Mato Grosso do Sul.

Em setembro de 2014, a situação estrutural do estádio Morenão era tão precária que o Ministério Público Estadual (MPE) interditou o local. Faltavam dois dias para a abertura da 2ª divisão estadual e ocorreria também a final do sul-matogrossense sub-19, partidas adiadas à época e depois disputadas em outro estádio.

Foto: Hélder Rafael

Desde então, o Morenão, administrado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – o estádio fica no campus –, gerou expectativas de que voltaria a sediar partidas oficiais, mas todas foram frustradas. Pior, em janeiro de 2015, a imprensa nacional noticiou três tentativas de suicídio (todos os casos foram solucionados com sucesso) nas torres de iluminação do Morenão, que tinham 43 metros e ficavam na área externa do estádio, sem a vigilância normal da universidade. A UFMS instalou câmeras de 360º e tinha um vigia numa torre a 20 metros do local.

O principal problema era a falta de dinheiro da universidade para custear as obras exigidas para a homologação dos laudos. O Governo de MS entrou nos esforços de reformas, chegou a pedir dinheiro ao Governo Federal via Ministério dos Esportes, mas os entraves burocráticos minaram a tentativa de fazer o Comerário no Morenão em fevereiro de 2016, que teve Aloísio Chulapa de vermelho e branco e Rodrigo Gral (está de volta em 2017) de branco e preto.

Faltavam obras de segurança, orçadas em R$ 460 mil, mas as autoridades não conseguiram o aumento de guarda corpo, proteção do fosso, instalação de iluminação de emergência, sinalização, pintura das cadeiras e limpeza geral.

No fim de 2016, surgiu mais um movimento com vistas a reinaugurar o Morenão, nem que fosse parcialmente: o Governo de MS, por meio da federação sul-matogrossense, propôs assumir a gestão do estádio por 20 anos e fazer as obras que a UFMS não conseguia. Em outubro do ano passado, ficou acordado que a primeira parte da reforma começaria em 3 de novembro e custaria R$ 150 mil, mas é claro que atrasou, pois houve troca na reitoria da universidade e a antiga não assinou o documento autorizando a intervenção, que liberaria 4 mil cadeiras e 12 mil lugares na arquibancada.

O primeiro objetivo era a liberação do laudo dos Bombeiros, mas o gramado também sofreria modificações, já que as traves estavam fora da medida correta, por exemplo. Após um mês de indefinição, as obras finalmente começaram no início de dezembro de 2016 e tudo correu em ritmo normal, mas isso era só o primeiro passo.

Foto: Hélder Rafael

A um mês da abertura do Campeonato Sul-Matogrossense, o Morenão ainda precisava receber os laudos de engenharia, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária e repassá-los ao Ministério Público, que tomaria a decisão de liberar o estádio ou não. Enquanto isso, a reforma continuava e em 6 de janeiro o Morenão começou a receber pintura nova e, quatro dias depois, Polícia Militar, Vigilância Sanitária e Bombeiros fizeram a vistoria, mas apenas os policiais sugeriram pequenas recomendações.

Em 19 de janeiro, os quatro laudos foram entregues ao Ministério Público Estadual e, se liberado, o estádio Morenão poderia receber 13.450 lugares, diminuição de 3 mil em relação à expectativa anterior – no fim, 9,5 mil lugares foram liberados na primeira etapa. Quatro dias depois, o MPE liberou o local, mas sem a presença de público, já que faltavam algumas intervenções: retirada de entulhos, numeração dos assentos, reparos nas arquibancadas, identificação das bilheterias para mandantes e visitantes etc.

Na semana seguinte, a grande notícia esperada há mais de dois anos: MORENÃO LIBERADO PARA O PÚBLICO! Assim, a primeira partida da reinauguração foi a abertura do estadual, entre Comercial e Novo (o time se chamava Novoperário, mas mudou para ter identidade própria), em 29 de janeiro de 2017. Com ingressos a R$ 20 e R$ 10 e transmissão da TV Morena, 2,4 mil torcedores assistiram ao jogo, que terminou com vitória de 2 a 1 do Comercial.

Imagem de Amostra do You Tube

No próximo domingo, o estádio Morenão fará história mais uma vez. Comercial e Operário vão voltar a se enfrentar no histórico local depois de quase seis anos, já que a última partida oficial ocorreu no Campeonato Sul-Matogrossense 2011, mais precisamente em 12 de março, na 1ª rodada daquele certame – houve empate por 2 a 2.

Que o estádio Morenão receba o restante das reformas necessárias para pode triunfar novamente no cenário nacional, quem sabe sediando jogos da Série A do Brasileirão e da seleção brasileira. Seria um presente merecido para o torcedor sul-matogrossense que tanto esperou para sentar nessas arquibancadas. Seria a arrancada definitiva do futebol local rumo às divisões superiores do futebol brasileiro!

Curiosidades do Morenão

- O estádio Morenão foi inaugurado em 7 de março de 1971 – seu nome é por causa do apelido da capital Campo Grande: Cidade Morena. Construído pelos renomados arquitetos Avedis Balabanian e Ciríaco Maymone, o verdadeiro nome do local é Pedro Pedrossian, o governador na época da inauguração, antes da criação de Mato Grosso do Sul – este e o Mato Grosso eram um estado só.

- A primeira partida oficial foi um amistoso entre Corinthians e Flamengo e o primeiro gol foi marcado por Buião, do Flamengo, que venceu por 3 a 1. O maior público do Morenão só ocorreria sete anos depois: na Série A, o Operário fez 2 a 0 no Palmeiras diante de 38.122 em 23 de fevereiro. O mesmo time goleou o Cruzeiro por 5 a 1 em 1981. O último jogo da Série A foi em 2011, quando o América Mineiro mandou a partida no local e levou de 4 a 2 do Inter de Porto Alegre.

- Pode-se dizer que o jogo mais importante que o Morenão sediou foi a volta das semifinais do Brasileirão 1977 entre Operário e São Paulo. Os paulistanos haviam vencido por 3 a 0 na ida, mas os sul-matogrossenses se despediram do torneio com triunfo de 1 a 0 diante de 20.161 torcedores, gol de Tadeu aos 34 do segundo tempo. Campanha histórica do Operário.

Imagem de Amostra do You Tube

- O maior público recente do estádio Morenão num jogo de clubes ocorreu em 6 de junho de 2010, na final do estadual entre Comercial e Naviraiense: mais de 13 mil pessoas estiveram presentes e viram o fim do jejum de nove anos sem taças do Comercial, que ganhou por 1 a 0. Em 14 de outubro de 2009, a seleção brasileira jogou contra a Venezuela pelas eliminatórias da Copa 2010 no Morenão e 23.746 pessoas viram o empate sem gols. Campo Grande chegou a sonhar em ser uma das sedes da Copa 2014, mas os investimentos de R$ 500 milhões pela cidade ficaram apenas no papel, já que Cuiabá foi escolhida.

- A partida mais curiosa do estádio Morenão aconteceu em 6 de março de 1982. Também pelo Brasileirão, Operário e Vasco se enfrentaram e os anfitriões venceram por 2 a 0, mas isso não foi o mais importante… Alguns dos 24 mil torcedores viram uma luz bem rápida e um objeto imenso por oito ou dez segundos em cima das arquibancadas. O caso ficou conhecido como o óvni que apareceu no Morenão. Estudantes de Jornalismo da UFMS fizeram um documentário sobre o tema em 2014. Aproveite para observar imagens antigas do Morenão.

Imagem de Amostra do You Tube

- Desde a reinauguração, o Plano Tático consultou os borderôs disponíveis no site da federação sul-matogrossense até o fechamento deste texto a fim de descobrir qual vem sendo a média de público no estádio Morenão. Até aqui foram seis partidas com total de 5.975 torcedores, média de quase 1 mil por jogo – o menor foi 120 torcedores, o maior 2.138. Por enquanto, há lucro de R$ 9.241,01.

Mais antigas

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede