Tag - seleção nicarágua - Plano Tático

Patrick Kluivert treina Curaçao nas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018

Entre os próximos dias 22 e 27 de março de 2015, 14 seleções da Concacaf entrarão em campo nos jogos de ida da fase preliminar das Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018. Obviamente, são as seleções mais fracas da região no Ranking FIFA de fevereiro de 2015, que serviu de base para o sorteio dos confrontos.

A maioria dos jogadores é totalmente desconhecida, poucos são profissionais. Os países colonizados pela Inglaterra aproveitam as ascendências para convocar jogadores das divisões inferiores inglesas. O que certamente é muito melhor do que montar o elenco apenas com atletas que jogam nas obscuras ligas de cada país da Concacaf.

Trabalho árduo para os técnicos, dentre eles o famoso ex-atacante holandês Patrick Kluivert. O ex-auxiliar-técnico da Holanda na Copa do Mundo 2014 resolveu ajudar a seleção de Curaçao, país com o qual tem raízes, e estará à beira do campo nos confrontos diante de Montserrat, pelas eliminatórias da Copa do Mundo 2018. Veja detalhes dessa história e conheça o técnico brasileiro que está na seleção de Barbados. Boa leitura!

Patrick Kluivert na seleção de Curaçao

Não há nenhuma dúvida de que a presença de Patrick Kluivert, 38 anos, no banco de reservas de Curaçao é o nome mais famoso nesta etapa das eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2018. A assinatura do contrato ocorreu no último dia 5 de março de 2015 e a intenção inicial era de que Patrick Kluivert fosse apenas um assistente, mas ele aceitou assumir o cargo de técnico principal.

Numa coletiva de imprensa, Patrick Kluivert foi apresentado oficialmente, num evento que contou com muitos jornalistas locais, surpresos com a presença de personalidade tão ilustre no país de 153 mil habitantes. Mas por que Patrick Kluivert resolveu trabalhar na seleção de Curaçao?

É simples: Patrick Kluivert é nascido em Amsterdã, o pai do ex-jogador é natural de Suriname, mas a mãe nasceu em Curaçao. Alguns familiares de Patrick Kluivert ainda vivem no país, ex-colônia holandesa: “Eu gostaria de dar alguma coisa em troca para Curaçao, onde parte das minhas raízes está depositada. Eu não vim apenas para curtir umas férias, quero colocar o futebol de Curaçao na direção correta”, disse Patrick Kluivert, que ainda deseja comandar um grande clube europeu, mas que por enquanto decidiu ajudar o país de sua mãe.

Patrick Kluivert terá à disposição 30 jogadores, mas pouco tempo para trabalhar. Sete deles atuam na própria liga de Curaçao, enquanto o restante defende times europeus, a maioria na Holanda, evidentemente. Estes só vão desembarcar no país em 23 de março, quatro dias antes do jogo de ida contra Montserrat.

Porém, Patrick Kluivert sabe que terá atletas experientes. Na Copa do Caribe 2014, a seleção de Curaçao teve o zagueiro Cuco Martina, do Twente (Holanda), o meia Papito Merencia, do ADO Den Haag (Holanda), e os atacantes Rihairo Meulens (Rapid Bucharesti/Romênia) e Charlton Vicento (Willem II/Holanda), todos jovens e profissionais.

O goleiro Eloy Room, titular do Vitesse no Campeonato Holandês, além do atacante Leandro Bacuna, do Aston Villa (Inglaterra) e de Jarchinio Antonia, do Groningen (Holanda), podem ser opções para Patrick Kluivert. A expectativa em Curaçao é de que a seleção supere Montserrat nas duas partidas, o que poderá aumentar o tempo de permanência de Patrick Kluivert no comando da equipe. Caso avance, Curaçao vai encarar Cuba na segunda fase, nos próximos dias 8 e 16 de junho de 2015.

Marcos Falopa, o brasileiro de Barbados

Desconhecido no futebol brasileiro, Marcos Falopa tem 65 anos e é mais reconhecido como técnico do que como jogador. Sua carreira com a prancheta nas mãos começou em 1974, no Comercial de Ribeirão Preto. Marcos Falopa ainda comandou o Marília no fim da década de 1980, até rumar para o mundo árabe, onde aprendeu o idioma.

Entre 1995 e 2002, o treinador brasileiro foi diretor-técnico da Concacaf, cargo que também ocupou nas federações de África do Sul e Omã. Entre 2007 e 2009, Marcos Falopa treinou Mianmar e em 2013 esteve no East Bengal (Índia), com o qual alcançou as semifinais da AFC Cup 2013.

Sua contratação por Barbados ocorreu em meados de agosto de 2014 e, inicialmente, Marcos Falopa teria seis meses para se acostumar à função de diretor-técnico de todas as seleções do país. A chegada de Marcos Falopa se deu em razão da vasta experiência do treinador, que vem promovendo uma renovação no elenco.

Ele chamou um time bastante jovem, com apenas dois atletas tendo 25 anos ou mais. O destaque é o meia Raheim Sargeant, 22, do Lancaster City, da oitava divisão da Inglaterra, o único da seleção que atua no exterior. Barbados disputa eliminatórias desde 1978, quando caiu na primeira fase do qualificatório, diante de Trinidad & Tobago, que precisou do jogo extra para avançar.

Nas eliminatórias para o Mundial 1998, Barbados passou de fase pela primeira vez, ao eliminar Dominica (2 a 0), sucumbindo diante da Jamaica (3 a 0) na etapa seguinte. Novo avanço ocorreria apenas em 2010, novamente diante dos dominicanos (2 a 1), com queda na segunda fase, ao levar de 9 a 0 dos Estados Unidos. Barbados deve avançar diante de Ilhas Virgens Estadunidenses, cujo vencedor enfrentará Aruba na segunda fase. Marcos Falopa precisa de mais tempo em Barbados.

Informações

- A maioria das seleções caribenhas conta com treinadores jovens e locais, mas alguns resolveram apostar em estrangeiros. Ilhas Turks & Caicos tem o treinador inglês Craig Harrington, de apenas 32 anos. Ele encerrou a carreira no Swindon Town, hoje na terceira divisão inglesa, e também tem experiência nas divisões de base dos Los Angeles Galaxy (Estados Unidos), como treinador, e está no país caribenho desde a Copa do Caribe 2014. Detalhe que Craig Harrington chegou a se candidatar a técnico de Ruanda, mas acabou preterido pelos africanos e continuou nas Ilhas Turks & Caicos.

- O técnico de Belize é o costa-riquenho Leroy Sherrier Lewis, 69 anos, que trabalhou 15 anos no futebol de seu país e está em sua terceira passagem na seleção belizenha. Detalhe que em 2013 ele pediu demissão do cargo, foi treinar um time de Belize e voltou à seleção em 2014. O outro costa-riquenho desta fase preliminar das Eliminatórias da Copa do Mundo 2018 é Henry Duarte, 56 anos, que trabalha em Nicarágua desde dezembro de 2014. Ele é técnico desde 1992 e já comandou vários times da Costa Rica, incluindo o Herediano, um dos grandes clubes nacionais, em 1997/98.

Os confrontos (clique para ampliar)

Mais antigas

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede