Tag - seleção nicarágua - Plano Tático

Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2018 com poucas surpresas

Entre os dias 25 e 31 de março de 2015, as 14 piores seleções da Concacaf, de acordo com o Ranking FIFA de agosto de 2014, entraram em campo para definir os sete classificados à segunda fase, que também será disputada em mata-mata – os jogos ocorrem em 8 e 16 de junho de 2015 e os confrontos já estão definidos.

Nenhuma seleção de posição inferior na tabela conseguiu superar o adversário superior, mas algumas dificultaram bastante a classificação dos favoritos. Claro, houve confrontos com grande domínio das seleções melhores, que alcançaram goleadas importantes. Veja tudo o que ocorreu de mais importante nas Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2018. Boa leitura!

As goleadas sensacionais

Bahamas 0×8 Bermudas

Duas seleções de forças distintas, Bermudas disputou sua primeira eliminatórias para a edição de 1970, quando empatou sem gols com o Canadá e perdeu uma vez para o mesmo adversário e duas para os Estados Unidos. Já a estreia de Bahamas ocorreu apenas no qualificatório do Mundial 2002 (em 1998 a equipe desistiu antes de jogar), quando eliminou Anguilla por 5 a 2 e levou de 13 a 0 do Haiti na segunda fase.

Além da maior experiência, Bermudas teve um time mais capacitado que o do adversário, pois aproveitou as relações de colônia/metrópole com a Inglaterra, trazendo atletas das divisões inferiores daquele país, com um destaque: o jovem goleiro Dale Eve, 20 anos, do Stoke City, emprestado ao Congleton Town, da nona divisão inglesa.

Por sua vez, Bahamas apostou na mescla entre jogadores de times universitários dos Estados Unidos e atletas que atuam no próprio país, sendo o destaque o zagueiro Anton Sealey, 23 anos, do time sub-23 do Orlando City, de Kaká.

Os jogos. Com essa disparidade flagrante, Bermudas não teve dificuldades para definir o confronto logo no jogo de ida: Mesmo atuando em Bahamas, os visitantes fizeram 5 a 0, com três gols em 29  minutos, ficando tranquilos para o jogo da volta. Em casa, o placar ficou inalterado até os 34 minutos do segundo tempo, quando Bermudas marcou o primeiro dos três gols, confirmando a vaga na segunda fase com placar agregado de 8 a 0. É a quinta vez que Bermudas passa de fase nas eliminatórias Concacaf.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Lances do segundo jogo

Imagem de Amostra do You Tube

O adversário. Na segunda fase das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2018, Bermudas terá adversário complicado: a Guatemala, a qual nunca enfrentou na história.

—————————————————————————

Nicarágua 8×0 Anguilla

Quando a pior seleção da Concacaf (Anguilla) entra em campo, isso quer dizer que a possibilidade de goleada é grande, apesar de o time ter apresentado evolução, pois venceu três amistosos de preparação para o torneio (1 a 0 e 3 a 1 sobre Ilhas Virgens Britânicas e 3 a 1 diante de Saint Martin, este não filiado à FIFA).

Enquanto a Nicarágua só somou o primeiro ponto em eliminatórias na quarta participação, no qualificatório para o Mundial 2006 (2 a 2 com São Vicente & Granadinas), vencendo os dois primeiros jogos apenas nas eliminatórias de 2014 (ambos sobre Dominica), Anguilla empatou pela primeira vez na segunda aparição (0 a 0 com a República Dominicana, no qualificatório de 2006), mas nunca passou de fase e sequer comemorou vitórias.

A diferença entre os adversários já era gritante e aumentou ainda mais quando se definiu que o jogo de ida seria em Manágua, capital da Nicarágua. Atuando em casa, os nicaraguenses resolveram a partida com 39 minutos do primeiro, ao fazer 4 a 0, vencendo por cinco gols. Na volta, com muito mais tranquilidade, a Nicarágua venceu de novo: 3 a 0.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Lances do segundo jogo

Imagem de Amostra do You Tube

O adversário. Na segunda fase, a Nicarágua vai medir forças com Suriname, num embate que ainda não aconteceu. Um adversário complicado, já que Suriname deverá convocar alguns atletas de times inferiores da Holanda, enquanto Nicarágua conta com apenas dois jogadores de fora, ambos num time pequeno da Costa Rica.

—————————————————————————

São Cristóvão & Névis 6×2 Ilhas Turks & Caicos

Até que as duas seleções não têm tanta diferença no que tange à experiência em eliminatórias. São Cristóvão & Névis começou a jogar a competição no qualificatório de 1998, passando de fase duas vezes e participando dos grupos em outras duas oportunidades, em 2006 (foi à terceira fase e perdeu os seis jogos, para México, Trinidad & Tobago e São Vicente & Granadinas) e em 2014 (avançou direto para a fase de grupos e somou sete pontos, metade do Canadá, dois atrás de Porto Rico e seis de vantagem para Santa Lúcia).

Por sua vez, Ilhas Turks & Caicos começaram no qualificatório 2002, curiosamente levando de 14 a 0 de São Cristóvão & Névis, em dois jogos. A única vitória do país ocorreu em 2010, 2 a 1 sobre Santa Lúcia, mas o adversário venceu a volta por 2 a 0 e seguiu adiante.

Apesar dessa proximidade, São Cristóvão & Névis tem jogadores muito superiores, pois também pode aproveitar alguns ingleses de divisões inferiores, como o jovem atacante Harry Panayiotou, nascido na Inglaterra e jogador do Leicester City, da Premier League, além de atletas no futebol de Trinidad & Tobago, um dos mais fortes do Caribe. Por outro lado, Ilhas Turks & Caicos tem maioria atuando no próprio país e apenas três nas ligas universitárias dos Estados Unidos.

Por esta razão, São Cristóvão & Névis não teve nenhum grande problema para superar o adversário. No jogo de ida, em casa, a equipe chegou a sofrer o empate de Ilhas Turks & Caicos, mas fechou o primeiro tempo vencendo por 3 a 1 e acabou goleando por 6 a 2, com gol contra a favor do adversário. Na volta, Ilhas Turks & Caicos estavam vencendo por 2 a 1 até os 30 minutos do primeiro tempo, mas a equipe levou a virada para 6 a 2, perfazendo placar agregado de 12 a 4.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Lances do segundo jogo

Imagem de Amostra do You Tube

O adversário. Na próxima fase, São Cristóvão & Névis vai encarar El Salvador, outro embate que nunca ocorreu na história. Certamente o confronto será muito mais difícil, pois o adversário já jogou as Copas do Mundo 1970 e 1982 e tem quatro jogadores na Europa (Islândia, Noruega, Hungria e Romênia, além de dois no bom time do Municipal (Guatemala) e um no Herediano (Costa Rica).

Classificação no sufoco

Belize 1×1 Ilhas Cayman

Os belizenhos são superiores ao caymaneses, não só em termos de jogadores, mas em campanhas nas eliminatórias. As duas seleções começaram no qualificatório para o Mundial 1998, mas Belize já avançou três vezes de fase, enquanto Ilhas Cayman nunca venceram na história do torneio, com no máximo dois empates.

Além do mais, Belize tem o atacante Deon McCaulay, 27 anos, único da seleção a jogar no futebol dos Estados Unidos, mais precisamente no Atlanta Silverbacks, da segunda divisão – a base da seleção é a própria liga nacional. Já Ilhas Cayman tem quase toda a equipe jogando no próprio país, com apenas o atacante Andres Ruiz no futebol universitário estadunidense.

Mas isso não quer dizer que Belize teve facilidade. No jogo de ida, em casa, o zagueiro Elroy Smith, do Platense (Honduras), perdeu pênalti para Belize, que empatou sem gols. Na volta, Ilhas Cayman marcaram logo aos cinco minutos, mas aos 20 foi a vez de Belize empatar, o que garantiu vaga pelo gol marcado fora de casa.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Lances do segundo jogo

Imagem de Amostra do You Tube

O adversário. Belize vai enfrentar a República Dominicana, embate que também nunca ocorreu na história. E não será tão fácil assim, pois o adversário tem bons jovens jogadores, um no time B do Numancia (Espanha) e outro na equipe sub-20 do Parma (Itália).

—————————————————————————

Curaçao 4×3 Montserrat

Curaçao tinha todas as credenciais para avançar de fase diante de Montserrat, o que foi alcançado. Mas não com a facilidade que se imaginava. Além de ser comandado pelo ex-atacante holandês Patrick Kluivert, Curaçao ainda pôde contar com vários estrangeiros, principalmente no futebol holandês, em razão de ser ex-colônia do país europeu.

Portanto, Curaçao teve atletas de Twente (Darryl Lachman), Willem II (Charlton Vicento), ADO Den Haag (Papito Morencia) e até Bochum, da Alemanha (Michaël Maria), todos jovens. Por outro lado, Montserrat apostou em jogadores jovens das divisões inferiores da Inglaterra, todo o time praticamente estreante na seleção, com destaque para o zagueiro Brandon Comley, do Queens Park Rangers.

Outra situação favorável a Curaçao é a experiência do país em eliminatórias. A estreia ocorreu no qualificatório para o Mundial 1958, como Território de Curaçao. Como Antilhas Holandesas, a equipe avançou de fase em quatro oportunidades (1962, 1974, 2006 e 2010). Nas eliminatórias para a Copa do Mundo 1986, Antilhas Holandesas chegaram a empatar sem gols com os Estados Unidos, mas depois sofreram goleada de 4 a 0.

Por sua vez, Montserrat estreou no qualificatório de 2002, com oito derrotas em oito partidas e cinco gols marcados. Apesar de toda a diferença, Curaçao teve problemas para vencer em casa, por 2 a 1, tendo levado o gol de empate. Na volta, o surpreendente Montserrat vencia por 2 a 1 até os 42 minutos do segundo tempo, o que levava o jogo para os pênaltis, mas Charlton Vicento balançou as redes, empatou a partida e levou Curaçao à próxima fase.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Lances do segundo jogo

Imagem de Amostra do You Tube

O adversário. Curaçao vai medir forças com Cuba, que aparentemente não tem tanta força, pois todos os jogadores atuam na obscura liga nacional. Mas há muitos veteranos, como o goleiro Odelin Molina, 40 anos e 122 convocações, e o meia Yéner Márquez, 36, com 113 jogos pela seleção. As equipes se enfrentaram uma vez na história, em novembro de 2014, com vitória cubana de 3 a 2.

Outros jogos

Barbados 4×1 Ilhas Virgens Estadunidenses

Num primeiro momento parece um placar elástico, mas que não foi construído com tanta facilidade. No jogo de ida, em Barbados, Ilhas Virgens Estadunidenses surpreenderam e venceram por 1 a 0, apenas a terceira vitória em 16 partidas. Na volta, porém, Barbados goleou por 4 a 0, avançou de fase e agora vai enfrentar Aruba.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Lances do segundo jogo

Imagem de Amostra do You Tube

—————————————————————————

Ilhas Virgens Britânicas 2×3 Dominica

Estreante nas eliminatórias em 1998, Dominica passou de fase pela segunda vez na história (em 2006, eliminou Bahamas). O jogo de ida seria em Ilhas Virgens Britânicas, mas o estádio do país não tinha condições de sediar a partida, que foi disputada em Dominica. Assim, o adversário venceu por 3 a 2 e atuou novamente em casa na volta, empatando em 0 a 0. Detalhe que em Ilhas Virgens Britânicas não somavam pontos desde 7 de julho de 2012 (14 jogos), desde a vitória de 1 a 0 sobre Anguilla, em amistoso. Dominica medirá forças com o Canadá na próxima fase das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2018.

Lances do primeiro jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Informações

- Os artilheiros da fase preliminar das Eliminatórias Concacaf para a Copa do Mundo 2018 são dois: o atacante bermudense Nahki Wells, 24 anos, que joga no Huddersfield Town, da segunda divisão da Inglaterra, e o atacante Harry Panayiotou, 20, do Leicester City (Inglaterra), da elite nacional, mas que não faz parte do elenco principal. Ambos marcaram três vezes.

Jogos da 2ª fase das Eliminatórias Concacaf

Mais antigas

Personagens

Internacionais

Nacionais

Vídeos

Bola na Rede