Estaduais 2018: Serra volta a reinar no futebol capixaba

Foto: José Renato Campos/GloboEsporte.com

Curta o Capixabão da Depressão!

7 de abril de 2018. O dia que o apaixonado torcedor do Serra vai guardar na memória. Após 90 minutos de um jogo eletrizante diante do Real Noroeste (foram sete gols), o Serra perdeu por 4 a 3, mas levantou sua sexta taça do Campeonato Capixaba. Agora, volta a figurar no rol dos campeões estaduais – havia vencido por 1 a 0, fora de casa.

Mas o torcedor do Serra não está comemorando apenas o fim do jejum de 10 anos sem títulos na elite capixaba. O mais importante é o renascimento do clube, fundado em 24 de junho de 1930 (87 anos), mas que só se profissionalizou em 1997. Para se ter uma ideia, não havia sequer time de futebol do Serra em 2015, ano em que o clube passou dificuldades financeiras e optou por não disputar nenhuma competição profissional – veja os detalhes aqui.

No ano seguinte, o Serra retornou aos estaduais, mas ficou apenas na sexta e penúltima posição da 2ª divisão. Quem poderia imaginar que a tradicional equipe levantaria o troféu da segundona de 2017 (veja os detalhes) e terminaria com o título da elite do Campeonato Capixaba na temporada seguinte? Veja os detalhes da campanha do Serra nos estaduais 2018…

Do título ao título

Assim que acabou temporada 2017, o Serra dispensou todo o elenco. Porém, o planejamento do ano seguinte já estava em curso, tanto que alguns atletas eram observados. A montagem do elenco começou a tomar forma no fim de novembro/2017 com contratações e renovações, totalizando 13 jogadores.

Fora das quatro linhas, o presidente João Batista Piol anunciou Armando Zanata como vice de futebol do clube, que prometeu brigar para ser campeão capixaba. A chegada do dirigente motivou algumas contratações, como a do atacante Rael, “O Cruel”, que estava no Macaé disputando a Série C nacional.

Os treinos começaram no início de janeiro, com vários amistosos contra times amadores (4 a 0 diante da Igreja Batista de Barcelona e 6 a 0 sobre o BH Samor) e contra o Real Noroeste, jogo que terminou sem gols. Mesmo com os resultados positivos, havia uma desconfiança sobre o que o Serra poderia fazer nos estaduais 2018, já que o clube não disputava a elite capixaba desde 2012. Sem contar os problemas internos, que culminaram com a saída do técnico Marcos Magalhães – Charles de Almeida assumiu a equipe.

Dois dias antes da estreia, o Serra confirmou o reforço de Pepeta, bastante conhecido no futebol capixaba e que já disputou até a Liga dos Campeões da Oceania. Bem preparado, o time começou voando com seis vitórias consecutivas, um triunfo abaixo do recorde do Rio Branco, em 2015.

Único 100% nos estaduais do Brasil naquele momento, é claro que o Serra se tornou o time a ser batido, o que de fato aconteceu na sétima rodada: 2 a 0 justamente para o Real Noroeste, o que não atrapalhou a campanha de líder da 1ª fase. Ao final das nove rodadas, o Serra somou 22 pontos (7v, 1e, 1d), marcou 16 gols e sofreu sete, ficando quatro acima do único adversário a batê-lo.

Nas semifinais, o Serra encarou o Rio Branco de Venda Nova e perdeu pela segunda vez na temporada. Porém, o time repetiu o 1 a 0 do primeiro jogo e seguiu adiante por ter melhor campanha. Na decisão, o tira-teima com o Real Noroeste terminou com título do Serra, que aproveitou o bom momento para oferecer 15 ônibus de graça para o segundo jogo e ingresso para quem comprasse a camisa oficial do clube.

Agora, o Serra espera pela Copa Espírito Santo 2018, mas sabe que em 2019 terá Série D e Copa do Brasil, o que significará pelo menos R$ 600 mil nos cofres do clube apenas para participar do torneio de mata-mata. O Serra renasceu, mas quer incomodar muito mais no ano que vem!

Curiosidades

– Você pode não se lembrar, mas o Serra já aprontou em solo nacional. Na Série C 1999, em seu terceiro ano de profissionalização, o time perdeu duas vezes para o Fluminense/RJ na fase de grupos, mas terminou um ponto à frente dos cariocas, na liderança da chave – Villa Nova/MG, Anapolina/GO, Goiânia/GO e Dom Pedro II completaram o grupo. Nas oitavas de final, os capixabas eliminaram os mineiros, passaram pelo Caxias/RS nas quartas e foram para o Quadrangular Final. Mesmo com vitória sobre o Fluminense em pleno Maracanã e um empate em casa, o Serra ficou na terceira posição, mas acabou subindo por causa da Copa João Havelange. Foram duas temporadas na Série B nacional, com 43 jogos disputados.

– O Serra terá outro desafio além das competições nacionais em 2019: ser bicampeão dos estaduais. A última vez que o futebol capixaba viu um time vencer duas edições seguidas foi com o próprio Serra, em 2004. O clube completou o tricampeonato em 2005.

– A última partida do Serra em solo nacional ocorreu em 18 de março de 2009. Depois de perder por 3 a 2 para o CSA/AL, em casa, na 1ª fase da Copa do Brasil, os capixabas voltaram a ser derrotados, desta vez por 3 a 1, sendo eliminados precocemente.

Últimas

Assine Nossa Lista de E-mail!

* indicates required